Definições do Governo Dilma, segundo o Financial Times: Deplorável, corrupto e incompetente | Fábio Campana

Definições do Governo Dilma, segundo o Financial Times: Deplorável, corrupto e incompetente

unnamed

Segundo o jornal britânico Financial Times, ainda que Dilma não soubesse nada sobre a corrupção em seu governo, “Ela pode ser culpada, pelo menos, pela bruta incompetência”. As informações são do blog Nota do Dia.

O diário financeiro cita o “deplorável histórico econômico” da presidente, com a recessão que deve prosseguir até 2016, inflação e desemprego em alta, e investimentos e confiança do investidor em queda como motivos que levaram milhares de brasileiros às ruas em protestos no domingo.

O país corre o risco de ter a classificação do grau de investimentos rebaixada em razão da perspectiva negativa para a economia. As agências de classificação de riscos e os investidores estrangeiros entendem que o Brasil enfrenta circunstâncias políticas e econômicas desafiadoras. Em outras palavras: a economia está num estado deplorável.

No campo político, o governo tem dificuldade em aprovar medidas do ajuste fiscal que tem por objetivo estabilizar a economia em logo prazo. O ajuste fiscal pode até ser positivo e ajudar a controlar as finanças do governo, mas para o cidadão é péssimo, pois prevê cortes em setores estratégicos como educação, saúde e segurança, além do aumento de tarifas, juros e impostos.

O fato é que o país não estaria enfrentando tantos problemas não fosse a inépcia do governo. De maneiras diferentes, os impactos da gestão temerária do governo Dilma afeta todas as camadas da população, seja através das demissões, falências, da alta dos custos, da desvalorização de imóveis e bens duráveis ou do retrocesso de projetos e conquistas das famílias e das empresas.

A performance deplorável da presidente Dilma Rousseff perante os desafios é outro fator, talvez o mais relevante, que contribui para o agravamento da crise política e econômica. Ao invés de reconhecer sua mediocridade como chefe de Estado, Dilma insiste em desfilar sua arrogância, fiando-se na relativa segurança institucional do país e na capacidade de superação inata do povo.


5 comentários

  1. joao
    sábado, 22 de agosto de 2015 – 9:53 hs

    O efeito surpresa é incompetência, a famosa frase do não sabia, não sei….a velha forma de se esquivar da responsabilidade, adotado por políticos velhacos e canalhas do nosso país.
    Falta a lei do fuzilamento destes que tiram da mesa do trabalhador, de forma indireta, o sagrado salário de subsistência. O que não podemos aceitar são os conformistas de plantão que ainda defendem estas corjas de bandidos. Temos de ter a ousadia dos canalhas, para vencer a miséria, assim como, os magistrados também não deveriam aliviar a pena. Estamos vulneráveis, fomos enganados, ludibriados por políticos sem escrupulos e respeito com a sociedade. ATÉ QUANDO????

  2. OLHO VIVO
    sábado, 22 de agosto de 2015 – 12:11 hs

    QUE CARA DE QUEM ACABOU DE CHEIRAS UMA ” MAIZENA “.

  3. Falido e mau pago
    sábado, 22 de agosto de 2015 – 16:13 hs

    Visão realista de quem está observando de fora, sem influências estatais/comerciais sobre a mídia brasileira de aluguel.

  4. luiz
    domingo, 23 de agosto de 2015 – 12:17 hs

    o lula quando premeditou seu sucessor , ao pensar que um homem no poder ,não acataria seus devaneios, colocou uma mulher sem condição alguma de governar,seria seu fantoche articulado, e ainda dizem que o homem é inteligente, eu acho que foi as aberrações que a natureza nos castiga

  5. Flávio MRLB
    domingo, 23 de agosto de 2015 – 14:35 hs

    Tolinhos estes moços….não entendem nada de notícia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*