Bradesco e HSBC negam demissão em massa | Fábio Campana

Bradesco e HSBC negam demissão em massa

do Bem Paraná:

Bradesco e HSBC sinalizaram, ontem, durante reunião com sindicalistas representantes dos bancários, que não haverá demissão em massa no desenrolar do processo de aquisição do banco inglês pela instituição brasileira. “Os dois bancos afirmam que não haverá demissão em massa e reiteram a disposição de diálogo com o movimento sindical.

Até que saia a aprovação da venda, que pode durar seis meses, a gestão será do HSBC e o compromisso dos dois bancos é de manter a transparência com os sindicatos e os trabalhadores”, disse Juvandia Moreira, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Representantes do Sindicato dos Bancários de São Paulo e Curitiba, Federação do Paraná/Fetec-CUT e Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) se reuniram nesta terça-feira com a direção dos bancos Bradesco e HSBC para garantir a manutenção dos empregos e direitos dos trabalhadores, após o anúncio da aquisição do banco inglês.

O objetivo do encontro era definir o futuro dos 20.165 funcionários do HSBC espalhados pelo Brasil. Mas, pelos relatos dos sindicalistas, a conversa foi tranquila.


5 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 9:58 hs

    Me engana que eu gosto… Banqueiro não tem coração. Dias piores virão.

  2. CURITIBANO ROXO
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 10:13 hs

    É outra grande perda para o Paraná, estes fatos ocorrem porque não temos nenhuma expressão política que lute pelos interesses do rico Paraná e dos pobres paranaenses……..dou nota ZERO a esses que estão em Brasília apenas a lutar pelos seus próprios intere$$es e vaidades, mas não defendem o nosso estado e o nosso povo .

  3. ELEITOR
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 13:11 hs

    ASSIM TAMBEM ACONTECEU COM O ITAU QUANDO COMPROU O BANESTADO

  4. Cesar
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 13:36 hs

    O ajuste fiscal do Levy/Dilma está dando certo para o Bradesco,que teve tanto lucro neste ano que comprou o HSBC.
    Já para os trabalhadores o ajuste provoca demissão e inflação…

  5. Paulo
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 13:57 hs

    Isso que aconteceu com o HSBC é fruto da má administração de seus gestores que visaram a classe A e esqueceram que o Brasil é em sua grande maioria composta pela classe B, C e D que faz girar a economia no país. Só mesmo um banco sem visão despreza as maiores classes sociais no Brasil em favor da minoria. Quebrou porque não souberam ter uma estratégia correta.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*