Advogado da campanha de Gleisi recebeu R$ 7,2 mi de alvos da Lava Jato | Fábio Campana

Advogado da campanha de Gleisi recebeu R$ 7,2 mi de alvos da Lava Jato

unnamed

Responsáveis pela coordenação jurídica das campanhas da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) em 2008, 2010 e 2014, escritórios do advogado Guilherme Gonçalves receberam R$ 7,2 milhões de empresas suspeitas de participarem do esquema de corrupção e pagamento de propina ligado à atuação da empresa de tecnologia Consist no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. As informações são da Folha de S. Paulo.

Segundo a investigação, os pagamentos suspeitos começaram após a assinatura de acordo de cooperação técnica entre o Ministério do Planejamento em 2010 – à época ocupado por Paulo Bernardo (PT-PR), marido de Gleisi -, a Consist e a Associação Brasileira de Bancos e o Sindicato das Entidades Abertas de Previdência Privada.

Pelo acordo, a Consist passou a gerir o sistema de empréstimos consignados no Ministério do Planejamento a partir dos dados de 2 milhões de servidores federais. A empresa era remunerada pelos bancos com uma parte da amortização mensal de cada empréstimo de funcionário público.

A tese do Ministério Público é que os cerca de R$ 53 milhões pagos pela Consist às empresas indicadas pelos operadores – o ex-vereador de Americana (SP) Alexandre Romano (PT), preso hoje, e Milton Pascowitch – seriam, na realidade, propina pela prestação de serviços nos empréstimos consignados junto ao Ministério do Planejamento.

De acordo com investigadores da Operação Lava Jato, os pagamentos aos escritórios de advocacia foram feitos a pedido do ex-vereador de Americana (SP) Alexandre Romano (PT), preso hoje sob suspeita de ser um dos operadores do esquema que envolvia um sistema para a concessão de empréstimos consignados.

Segundo a investigação, o escritório de advocacia Guilherme Gonçalves & Sacha Reck Advogados recebeu R$ 4,65 milhão entre setembro de 2010 e janeiro de 2013 diretamente da Consist Software e R$ 423 mil entre janeiro e abril de 2012. Uma outra empresa do grupo Consist, a SWR Informática, realizou repasses que somaram R$ 1,2 milhão entre fevereiro de 2013 e janeiro do ano passado.

Com o desmembramento da sociedade de advogados, o especialista em direito eleitoral que assessorou as campanhas de Gleisi passou a atuar no escritório Gonçalves, Razuk, Lemos & Gabardo Advogados recebeu R$ 957 mil entre maio de 2014 a março de 2015 da Consist Business Software a título de honorários advocatícios.

De acordo com os investigadores, a Consist pagou propina ao PT para ser beneficiada como operadora dos sistemas de empréstimo consignado, através de dois operadores indicados por João Vaccari Neto – Milton Pascowitch, que se tornou delator, e Alexandre Romano.

Uma das novidades da fase Pixuleco 2 da Operação Lava Jato foi a suspeita de que escritórios de advocacia poderiam estar sendo usados para escoar a propina.

Também foram alvos de busca os escritórios Oliveira Romano Sociedade de Advogados, do próprio Alexandre Romano, e o Portanova Advogados Associados, que recebeu R$ 270 mil entre janeiro e maio deste ano da Consist Business.

OUTRO LADO

A Folha ainda não conseguiu falar com Guilherme Gonçalves por telefone ou e-mail. A senadora Gleisi Hoffmann também foi procurada via assessoria de imprensa, mas ainda não se manifestou.

Ex-sócio de Guilherme Gonçalves, o advogado Sacha Reck disse que vai comparecer espontaneamente à Polícia Federal para prestar esclarecimentos.

Reck, cujo atual escritório foi alvo de buscas nesta quinta, afirma não manter qualquer vínculo nem ter prestado serviços à Consit Software, SWR Informática e à Consist Business nem ao ex-vereador Alexandre Romano.

Em petição enviada ao juiz Sergio Moro, o advogado disse que, na antiga composição do escritório, havia uma clara divisão entre os sócios devido às especializações diferentes de cada um. As carteiras de clientes dos dois eram próprias de cada associado e não tinham comunicação, inclusive financeira, entre ambos.


12 comentários

  1. henry
    quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 16:25 hs

    ANTES EU COBRAVA QUE A “falsa barbie” DEVOLVESSE O DINHEIRO “desviado” NO PETROLÃO DA ptROBRAS. ACHO QUE NÃO ESTOU CERTO, ALÉM DE PEDIR A DEVOLUÇÃO DE TODOS MILHÕES, TEM QUE SE PEDIR A “perca” DO MANDATO CONQUISTADO COM DINHEIRO ROUBADO.

  2. Araldo
    quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 16:27 hs

    Puxa vida, mas então o Ratinho Junior está nessa também? Pois em 2012 ele era o coordenador Jurídico do Mouse.

  3. Ricardo Sanson
    quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 16:55 hs

    fedeu e bastante

  4. quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 17:11 hs

    Até que enfim um ministro acionou a inteligencia e vai mandar investigar
    a Dilma. Bola pra frente !!!

  5. quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 17:16 hs

    Adivinha se não tem dinheiro sujo circulando nas mãos destes advogados
    e do casal Gleisi. São todos farmha do mesmo saco. Se queimar não sobra nada…

  6. A CULPA É DO FHC
    quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 23:02 hs

    IMAGINEM VOCÊS QUANDO INVESTIGAREM AS LIGAÇÕES DO ADVOGADO COM O TRANSPORTE COLETIVO DE CIDADES QUE FORAM BENEFICIADAS PELO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO. ESSES 7,2 MILHÕES VIRAM FICHINHA.

    É UM ESQUEMA BEM MAIOR!!

    O GOVERNO FEDERAL – MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO – DÁ O DINHEIRO PARA O MUNICÍPIO PARA MELHORAR O SISTEMA VIÁRIO, POSTERIORMENTE O MUNICÍPIO CONTRATAVA O ESCRITÓRIO DO CAUSÍDICO.

  7. Renato Britto Barros
    quinta-feira, 13 de agosto de 2015 – 23:38 hs

    Já vi esse cara em outras paradas.
    Diz a rádio peão do centro cívico que o tal advogado sitado acima é sócio do também PETISTA ANDRÉ PASSOS .

  8. TROLL
    sexta-feira, 14 de agosto de 2015 – 7:53 hs

    Chegou a tua vez seu canhotinha PTralha?
    Vamos assistir atentamente as explicações esotéricas!

  9. Marcos
    sexta-feira, 14 de agosto de 2015 – 8:46 hs

    A narizinho está mais suja que pau de galinheiro . Existe papuda feminina? Cada enxadada sai minhoca, e o Paulo Bernardo e esse adv do Pt vão ter que se explicar. Chega de roubalheira desses petistas larápios.
    Quero ver a gleisi saindo na rua aqui em Curitiba.

  10. anderson
    sexta-feira, 14 de agosto de 2015 – 10:26 hs

    Essa ai qualquer coisa Que você comente no face e ela não gosta logo já te bloqueia. Ela é o maridao tem muita história pra contar… Como diria o saudoso Alborghetti “e só mostrar um copo de agua”…

  11. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 14 de agosto de 2015 – 11:53 hs

    Não existe acusação sobre o esquema da petrobras ter pago alguma despesa do Ratinho.

    Não adianta tentar confundir a opinião pública.

    A loira melhorou muito:

    No caso do Youssef, nossa senadora insistiu em dizer que não conhecia o doleiro.

    No caso do Advogado, sendo impossível dizer que não conhece, falou que teve algum contato…

  12. MDBVELHODEGUERRA
    sexta-feira, 14 de agosto de 2015 – 12:29 hs

    Até tu R A T I N H O?

    TA ESPERANDO O QUE PARA SE DEFENDER OU VAI VIR COM A MESMA LENGA LENGA DOS PETRALHAS DE QUE TEU FILHOTE SEMPRE RECEBEU DE ACORDO COM A LEI……..

    EM ZONA DE MERETRICIO NÃO ENTRA FREIRA….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*