Traiano no lançamento do projeto "Audiência de Custódia" | Fábio Campana

Traiano no lançamento do projeto “Audiência de Custódia”

mail.google.com

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), participou nesta sexta-feira, 31, do lançamento do Programa “Audiência de Custódia”, no Tribunal de Justiça do Paraná. O lançamento contou com a presença do presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski e do governador Beto Richa. O presidente do TJ, desembargador Paulo Vasconcelos, destacou a importância das parcerias para tornar viável o projeto. “Esse programa só se tornou possível graças à parceria que firmamos com a Assembleia e com o governo do Estado”, destacou.

O ministro Ricardo Lewandowski afirmou que a audiência de custódia tem dois aspectos importantes. O primeiro é a questão humanitária. “Porque faz justiça ao cidadão. O juiz ouve a versão de viva voz. Verifica se o preso foi torturado”, destaca o ministro. O segundo ponto, segundo Lewandowski, é a economia gerada ao soltar presos que não oferecem risco à sociedade.

Traiano também representou a Assembleia Legislativa na homenagem prestada hoje pelo Paraná aos ministros do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski e Edson Fachin, primeiro paranaense ministro do STF.

Traiano, que foi um dos comandantes da força-tarefa paranaense que ajudou a eleger Fachin para o Supremo, estava na tribuna de honra na homenagem aos ministros, quando o governador Beto Richa condecorou, nesta sexta-feira, o presidente do STF, Ricardo Lewandwoski e o ministro Fachin, com a Ordem Estadual do Pinheiro, a mais alta honraria do Estado.


3 comentários

  1. Da Vinci
    sexta-feira, 31 de julho de 2015 – 21:29 hs

    Logo logo isso vai servir pro Beto Richa e pro Traiano, eles estão si garantido o futuro.

  2. sexta-feira, 31 de julho de 2015 – 22:32 hs

    INFORMATIVO DE UTILIDADE PÚBLICA.
    O CPP determina que o detido seja ouvido pelo juiz dentro de 24 hs, devendo o Juiz lhe nomear adv. dativo.

    Art. 306. A prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente, ao Ministério Público e à família do preso ou à pessoa por ele indicada. (Redação dada pela Lei nº 12.403, de 2011).
    § 1o Em até 24 (vinte e quatro) horas após a realização da prisão, será encaminhado ao juiz competente o auto de prisão em flagrante e, caso o autuado não informe o nome de seu advogado, cópia integral para a Defensoria Pública. (Redação dada pela Lei nº 12.403, de 2011).

  3. Johan
    sábado, 1 de agosto de 2015 – 16:08 hs

    Caro FÁBIO, é oportuno lembrar o TRAIANO de que deve posição a sociedade a respeito das ações praticadas pelo DEPUTADO NELSON JUSTUS e o púpilo PASTOR PRACKZICK. Malfeitos praticados no mandato passado devem ser investigados, SIM. Essa ALEP é responsável ou está de mentirinha. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*