Governo apresenta nomes para discutir redução do pedágio e novas obras | Fábio Campana

Governo apresenta nomes para discutir redução do pedágio e novas obras

cida- min. transportes

A vice-governadora Cida Borghetti entregou ao secretário transportes do Ministério dos Transportes, Luciano Castro, um ofício do governador Beto Richa indicando os representantes do Governo e do setor produtivo para participar do grupo de trabalho que vai estudar a prorrogação da delegação das rodovias federais que formam o Anel de Integração.

A vice-governadora reforçou que o Governo trabalha com três premissas básicas na questão: a redução da tarifa, a realização de novas obras e fim das demandas judiciais. “O Paraná quer a redução do pedágio, a execução das obras necessárias e acabar de vez com a discussão jurídica que já vem de longa data”.

Foram indicados o diretor-geral do DER, Nelson Leal Júnior, e o diretor da Agepar, José Alfredo Stratmann. Já o setor produtivo destacou o presidente do Sinduscon/Oeste, Edson José de Vasconcelos e o consultor técnico da FAEP, Antônio José Correia Ribas. Eles serão coordenados pela vice-governadora e pelos secretários Eduardo Sciarra (Casa Civil) e José Richa Filho (Infraestrutura e Logística).

A pedido de Richa, Cida convidou o secretário Luciano Castro a vir ao Paraná para conhecer com mais detalhes a situação das rodovias pedagiadas do Anel de Integração. Entre os trechos a serem visitados, foi sugerido que o secretário conheça pessoalmente a BR-369, que liga o Norte e o Norte Pioneiro ao estado de São Paulo. A antecipação da duplicação da rodovia é uma prioridade do Governo do Estado.


13 comentários

  1. quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 10:48 hs

    Esse papo é copiado do governo Requião Coice de Cavalo,só conversa pra boi dormir!

  2. Allan
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 10:51 hs

    NOS PARANAENSES SÓ ACEITAMOS ESSA RENOVAÇÃO SE CONSTAR – OBRAS E ENGENHARIA SÉRIAS NOS CONTRATOS (E QUE SEJA VEDADO OS TAIS ADITIVOS AQUELES QUE DO NADA DESOBRIGAM AS EMPRESAS A FAZEREM OBRAS E PEDAGIO A NO MAAAAAAXIMO R$ 3,00 (TRES REAIS)….

    E MAIS UMA COISA OS CONTRATOS VENCEM APENAS NO FINAL DO PROXIMO GOVERNO QUERIA ENTENDER O PQ DO ATUAL GOVERNADOR ESTAR TAAAAAO INTERESSADO EM RENOVAR JÁ AS AVENÇAS…GOSTARIA DE ENTENDER

  3. Pedro
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 11:28 hs

    PRORROGAÇÃO DA DELEGAÇÃO? Piada. As atuais concessionárias já lucraram rios de dinheiro. Que tal uma boa concorrência, abrir a possibilidade de outras empresas entrarem no processo licitatório, disputando a partir da oferta do menor preço e as melhores obras (duplicações).

  4. CONSUMIDOR
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 12:47 hs

    Para enrolar o distinto público, a Assembleia Legislativa aprovou projeto ontem (8) isentando portadores de doenças crônica da cobrança do pedágio mais caro do mundo nas rodovias do Paraná.

    Efetivamente, não se sabe quantos “cristãos” serão beneficiados pela proposta do deputado Missionário Ricardo Arruda (PSC). Provavelmente nenhum, por isso passou com muita facilidade no plenário.

    A Assembleia há muito está com “peso na consciência”, desde que assou uma enorme pizza na CPI do Pedágio. O parlamento não cumpre seu papel de fiscalizar a máfia que opera nas estradas do estado.

    Além da adesão de mais parlamentares à bancada do pedágio, o Palácio Iguaçu se transformou em um balcão de defesa da prorrogação do contrato com as concessionárias. O governo Beto Richa (PSDB) advoga sem pejo contra os usuários das rodovias.

    Um relatório do Conselho Regional de Engenharia (Crea), de março de 2013, em poder do Fiep (Federação das Indústrias) e Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Paraná), acusa as concessionárias de ter feito nos últimos 15 anos paisagismo nas rodovias pedagiadas ao invés de engenharia.

  5. Koba
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 13:20 hs

    É uma vergonha o Govenador Beto Richa, encampar as ideias absurdas de seus assessores de prorrogar os contratos de pedágios.
    Os contratos somente vencerão em 2022, porque prorroga-los agora.
    É ilegítimo, é imoral antecipar a prorrogação agora.
    O PSDB esta mostrando que não é nada diferente do PT.

  6. Maria do Bairro
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 13:47 hs

    Poderia citar o Lerner ! rs.

  7. luiz
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 14:20 hs

    Advocacia administrativa por acaso não é uma irregularidade?
    Se tem um contrato cumpra-se. Depois fazemos outra licitação, quem ganhar ganhou!

  8. quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 14:26 hs

    O pedágio no Paraná é um dos mais caros ou o mais caro do Brasil. De Foz do Iguaçu para Curitiba gasta-se mais em pedágio do que em gasolina. Está na hora desse “imbróglio! ser DEFINIDO. Santa Catarina cobra R$2,00 (DOIS REAIS) de pedágio em cada praça indo de Curitiba à Florianópolis. A diferença é enorme, algo está errado nesses valores. Tem que haver nova LICITAÇÃO para que vença o de menor preço. Nada de PRORROGAÇÃO, POIS GRAÇAS A ESSAS PRORROGAÇÕES é que se paga aquilo que as concessionárias determinam.

  9. jk
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 16:47 hs

    Tanto interesse desse governo em prorrogar os contratos com as pedageiras so tem uma explicação R$$$$ para campanha de 2016 e 2018.
    E o povo trouxa paga a conta.

  10. Ricardo
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 16:47 hs

    O CIRCO ESTÁ SENDO ARMADO NOVAMENTE NA CALADA DA NOITE. AS MESMAS QUADRILHAS TENTAM SE APODERAR DE MAIS UM NACO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO PARA SE LOCUPLETAR, E NO FUTURO ELEGER OS SEUS CANDIDATOS. PARA UMA PRORROGAÇÃO DOS ATUAIS CONTRATOS, DEVERIAM FAZER AUDIÊNCIAS PÚBLICAS E NÃO SOMENTE OUVIR ESSAS FEDERAÇÕES. POR SINAL, NESSAS FEDERAÇÕES EXISTE UMA CAIXA PRETA DO TIPO DA FIFA. VAMOS TOMAR CUIDADO.

  11. antonio carlos
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 17:51 hs

    O que a vice governadora pensa que está fazendo? Se é que ela pensa. Prorrogar esta m…. que é pedágio é um crime, mas como vivemos no País da impunidade, mais um crime não vai fazer tanto estrago assim. Agora já passo mesmo a acreditar que o Betinho Banana não se elege senador, com uma cambada de aliados do tipo desta mulher, é pedir para se ferrar mesmo.

  12. zangado
    quinta-feira, 9 de julho de 2015 – 18:29 hs

    O pedágio se revela mais forte que Lerner, Requião e Beto Richa; todos foram e estão coniventes com esse monstruoso pedágio que foi imposto ao contribuinte sobre patrimônio rodoviário estadual.

    As concessionárias estão na delas, ganharam os contratos do governo e devem ser cumpridos como foram assinados.

    Agora, querer prorrogar por mais 20 anos sob o argumento de baixar e realizar obras, palamordedeus, estamos num país sem Lei e sem Alma; país a la Mão Grande !!!

    E o Ministério Público Federal que impugnou, fundamentalmente em Juízo, os aditivos espúrios realizados por Lerner e Requião – vai concordar ?

  13. Aristides Tabo
    sexta-feira, 10 de julho de 2015 – 10:24 hs

    Em 1968 a viagem entre Curitiba a Maringá demorava cinco horas e meia, isto é, de Fusca. O posto em Imbaú, na rodovia, era parada obrigatória, pois fica na metade do caminho.
    Hoje, com veículos mais modernos demora-se quase seis horas, pois além do trafego, não se consegue ultrapassar os veículos lentos pois há faixas contínua em quase 50% da rodovia e se perde mais de meia hora só em filas nos postos de pedagios.
    O que foi feito desde a privatização das nossas rodovias? Muito pouco ou quase nada, porém as podas nas vegetações, isso está ótimo.
    A promessa de duplicar a rodovia em 7 (sete) anos só ficou nas promessas. Acidentes se multiplicaram e a paciência dos paranaenses também.
    Daí vem esse boy de Curitiba querendo fazer aditivos renovando as concessões por mais vinte anos. A que interesse ele está fazendo isso? Dos paranaenses do interior não é.
    Afinal, esse pedagio só serviu para a reeleição do Lerner que abaixou os pedagios em 50% até ser eleito e para o Requião ser eleito com o mote de “ou abaixa ou acaba” .
    Não abaixou e nem acabou, só o paranaense que se ferrou.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*