Estudante do Paraná vai participar da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica | Fábio Campana

Estudante do Paraná vai participar da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica

joao paulo1

Pela primeira vez na história do Estado, o Paraná terá um estudante para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica, que este ano acontece na cidade de Magelang, na Indonésia. João Paulo Krug Paiva, 16 anos, aluno do Colégio Bom Jesus, de Curitiba, foi um dos cinco estudantes brasileiros a apresentar as melhores médias finais nas provas classificatórias para a Olimpíada.

Com esse resultado, o estudante do 3º ano do ensino médio embarca no dia 20 de julho junto com outros quatro alunos brasileiros também selecionados.

“Quando você vai competir uma olimpíada, você entra em um universo muito maior e compete com pessoas que tem uma estrutura muito forte. É muito legal poder representar o Brasil lá fora e vou fazer valer essa oportunidade”, afirma João Paulo. Há mais de um ano, ele dedica horas de estudos para conseguir boas notas e chegar à etapa final.

Para se preparar para a disputa, João Paulo contou com toda a estrutura dos 37 anos de existência do Planetário do Colégio Estadual do Paraná. O local serviu de aprendizado junto com a ajuda de diversos professores, em diferentes momentos. Um deles foi o professor Paulo Roberto Lagos que orientou o estudante durante a visita ao Planetário.

“Observamos o céu em datas no passado, presente e futuro e consegui passar algumas informações sobre o telescópio e outros equipamentos. São detalhes que podem ajudá-lo no desenvolvimento final, embora ele já tenha um senso de conhecimento muito grande”, explica o professor. Por e-mail, João Paulo solicitou o auxílio do mestre e a partir da visita teve acesso a equipamentos que permitem a projeção do céu em diferentes datas e lugares do mundo.

“O João sabe muito bem o que quer e onde encontrar as coisas. O meu papel foi apenas de mostrar caminhos, pois ele já sabe andar com as próprias pernas”, diz o mestre. Além do estímulo dado pelo professor, o estudante, que obteve a segunda melhor média nacional entre os alunos de escolas públicas e particulares, também contou com o apoio de seus pais.

“O que mais nos deixa orgulhoso não é o resultado, mas o empenho dele, ainda mais quando o resultado é expressivo. O grande motivo de comemoração é o fato de ele saber o que quer e ter lutado por isso há muito tempo”, comenta o pai, Emílio Paiva.

PLANETÁRIO – O Planetário de Curitiba foi inaugurado em 27 de abril de 1978 e está localizado em um complexo, em formato de pirâmide, localizado no Colégio Estadual do Paraná. O local é aberto para visitação do público em geral, conforme agendamento prévio.

Lá, é possível encontrar equipamentos específicos que permitem estudos aprimorados e captações de imagens com qualidade do céu. O instrumento de origem alemã Zeiss ZKP1, utilizado na visita de João Paulo, é um dos diferenciais do local. Ele permite projetar o céu no presente, passado e futuro, de qualquer cidade do Brasil ou do mundo. Além disso, é possível observar o sistema solar, o céu estelar, e outros fenômenos celestes.

Professores, estudantes, comunidade e turistas do Brasil e do Exterior podem conhecer o local, que fica na Avenida João Gualberto, 250, no bairro Alto da Glória, em Curitiba.

OLIMPÍADA – A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astrofísica (OBA) é organizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira em parceira com a Agência Espacial Brasileira (AEB). O evento é aberto aos alunos de escolas públicas e privadas, do primeiro ano do ensino fundamental até o último ano do ensino médio. As provas são realizadas dentro das escolas participantes e os alunos recebem premiações e certificados.

Além desses reconhecimentos, a OBA tem a intenção de selecionar equipes para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica e na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica.

Os estudantes que apresentam bons resultados na OBA são convidados a participar de um processo de seleção com conteúdos de nível um pouco mais alto, para que posteriormente sejam selecionados os cinco melhores para representar o país lá fora.


Um comentário

  1. sexta-feira, 17 de julho de 2015 – 22:25 hs

    Como é bom ler uma notícia boa como esta, que mostra os nossos jovens estudantes procurando o “seu caminho” através dos estudos.

    Que o Brasil possa contar futuramente com esta juventude que está vindo com lucidez de espírito, pois os políticos atuais estão perdidos, muito perdidos!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*