Dilma faz "mea culpa" diante dos governadores | Fábio Campana

Dilma faz “mea culpa” diante dos governadores

dilma

Ao abrir a reunião com 27 governadores, hoje, no Palácio da Alvorada, a presidente Dilma Rousseff defendeu seu mandato, deixando claro que, a despeito da ameaça de um impeachment, ficará no cargo até 2018. Em discurso que durou 32 minutos, a presidente afirmou que o país passa por um período de transição, e que o pior já passou. No início da fala, Dilma fez uma espécie de mea culpa e atribuiu o não cumprimento de promessas eleitorais a fatores como a crise internacional, a queda nos preços das commodities e a desvalorização do real frente ao dólar, que ajudou a aumentar a inflação. As informações são de O Globo.

— Temos um patrimônio em comum, expresso no fato de todos nós termos sidos eleitos num processo democrático bastante amplo no nosso país e todos nós temos esse dever em relação à democracia e ao voto democrático e popular. Nas últimas eleições, assumimos compromissos perante os eleitores, expressos nos nossos planos de governo de quatro anos, portanto, até 2018 — afirmou.

Dirigindo-se aos governadores, a presidente da República conclamou a todos para uma série de iniciativas, como a reforma do ICMS que, segundo ela, embora seja de ordem microeconômica, terá repercussões macroeconômicas para o crescimento e para a geração de empregos.

— Conto com vocês. Quero dizer, do fundo do coração, que vocês podem contar comigo. Há muito que nós sabemos que o Brasil se passa nos estados e nos municípios. Se nós não tivermos um projeto de cooperação federativa, em que nos articulemos e façamos com que ela dê frutos e resultados, não estaremos trilhando o bom caminho. O bom caminho é aquele da cooperação.

Segundo a presidente, tanto ela como os demais governadores eleitos fizeram suas campanhas em uma conjuntura bem mais favorável do que a atual. Destacou que, a partir de agosto de 2014, houve um fato importante no cenário internacional: o colapso nos preços das commodities — principais itens da pauta brasileira de exportações, como minério de ferro, soja e petróleo. Esse colapso foi acompanhado por uma grande desvalorização do real, com impacto sobre preços e inflação, acrescentou.

— O que estou falando não é desculpa pra ninguém. Nós, como governantes que somos, não podemos nos dar ao luxo de não ver a realidade com nós, como governantes que somos, não podemos nos dar o luxo de não ver a realidade com olhos muitos claros.

Dilma também citou a seca no Nordeste e no Sudeste, a forte queda na arrecadação de impostos e os consequentes cortes no Orçamento. Mas enfatizou que, hoje, a economia brasileira está mais forte.

— Quero dizer a vocês hoje que a economia brasileira é mais forte, mais sólida e mais resiliente do que era há anos, quando enfrentou crises similares. Não nego as dificuldades, mas imagino que temos todas as condições de superar as dificuldades e enfrentar desafios. Queremos construir bases estruturais para um novo ciclo de desenvolvimento.

A presidente apelou ao governadores para que apresentem projetos do plano de infraestrutura e logística, para o período de 2015 a 2018. Segundo ela, alguns já sugeriram projetos em seus estados.

— O que nós queremos agora é que essa carteira de projetos seja estruturada, porque nós sabemos que os investimentos levam tempo para maturar — disse.

Segundo a presidente, a expectativa é que a inflação comece a cair a partir do próximo ano. Para ela, a combinação de redução de inflação com equilíbrio fiscal vai criar as bases para um novo ciclo de expansão do crédito e contribuirá para um incremento do consumo das famílias. Essas são as bases, conforme Dilma, para um novo ciclo de crescimento.

A presidente contou que o governador de Rondônia lhe disse que faz ajuste fiscal diário, porque tem uma superintendente que controla diariamente os gastos do estado.

— Vejo o riso no rosto do Joaquim Levy — brincou Dilma.

SEGURANÇA PÚBLICA

No encontro, a presidente propôs uma pacto nacional para redução de homicídios dolosos. Segundo Dilma, os estados e a União precisam desenvolver políticas de segurança e sociais. Outro ponto sugerido pela presidente foi a redução do déficit carcerário. Segundo ela, a população carcerária brasileira cresce 7% ao ano. Hoje são 700 mil detentos, mas 376 mil vagas. Cardozo fará uma exposição a respeito.

Afif Domingos também apresentará o programa Pronatec Aprendiz e Padilha mostrará os projetos em tramitação no Congresso, com impacto nas contas dos estados e da União.

Publicidade

Ao finalizar seu discurso, disse que o país vive um “ano de travessia”, e que o Brasil voltará a crescer “com todo nosso potencial”.

— Nós sabemos que o povo está sofrendo, e que nenhum governante pode se acomodar — declarou.

A presidente recebeu os governadores na entrada do Alvorada, cumprimentou um a um e ficou um bom tempo conversando com o governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB). Em seguida, eles fizeram a foto oficial do encontro. Além da presidente, o vice Michel Temer e os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), José Eduardo Cardozo (Justiça), Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento), Arthur Chioro (Saúde), Afif Domingos (Micro e Pequena Empresa), Eliseu Padilha (Aviação Civil), Gilberto Kassab (Cidades) e Edinho Silva (Comunicação Social).

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/dilma-faz-mea-culpa-em-reuniao-com-governadores-17020571#ixzz3hPLT4j1q
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.


13 comentários

  1. quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 17:45 hs

    Se somarmos pela justica Divina,quantos anos de cadeia para este grupo???

  2. Fiora Neto
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 17:48 hs

    E o povo que se lixe….

  3. Cesar
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 17:49 hs

    Só dois países da América Latina terão PIB negativo em 2015:Brasil e Venezuela.Até a catastrófica Aregentina terá PIB positivo.Aí vem a Dilma com mais uma mentira afirmando que a culpa é da crise internacional.
    Só temos um culpado por essa grande crise em que estamos vivendo: política econômica do Mantega/Barbosa sob a coordenação e mentoria da Dilma.
    Eles sempre tentam enganar as pessoas mais humildes com mentiras deslavadas.

  4. ADEMIR
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 17:53 hs

    GOVERNADORES TAMBÉM ESTÃO PREOCUPADOS…SE A DILMONA CAIR…ABRE PRECEDENTE PARA ELES TAMBÉM! NÃO SOBRA UM DESSES AI NA FOTO….TUDO FARINHA DO MESMO SACO…

  5. ADEMIR
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 17:53 hs

    GOVERNADORES DILMONA CAIR…ABRE PRECEDENTE PARA ELES TAMBÉM! NÃO SOBRA UM DESSES AI NA FOTO….TUDO FARINHA DO MESMO SACO…

  6. Jair Pedro
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 18:02 hs

    Mea culpa diante dos governadores, jogando a culpa na crise internacional, é querer dizer, “vocês são um bando de otários”.
    Quase todos os países, uns mais outros menos, mas estão em crescimento. E nós? Ladeira abaixo. Inflação em alta, juros de matar, desemprego, inadimplência, corrupção, eu não sabia, a culpa é deles, ajuste fiscal no rabo do povo, etc..
    Eta coração valente para culpar os outros. Porque esta mentirosa não vem a pública e diga com todas as letras: Eu menti, eu enganei vocês brasileiros para simplesmente vencer as eleições e dessa forma poder manter as tetas que alimentam eu, meus amigos e o pt.

  7. jaferrer
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 18:40 hs

    Eles estão rindo do que mesmo? Em tempo, não houve “mea culpa”, o discurso é o mesmo, culpa-se fatores externos e esconde-se a própria incompetência. E estes governadores acompanham o teatro… Lamentável.

  8. CURITIBANO ROXO
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 19:47 hs

    Apelegaram bando de tucanos choldras ****%$%$*****$ estão todos em sintonia com %$$ §&*#@*** dil – mandioca !!!

  9. antonio carlos
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 21:14 hs

    A desculpa não poderia ser outra, é sempre este maldito inimigo externo nos perseguindo, esta marcação cerrada que fazem sobre nós, pobres brasileiros. Só faltou dar os nomes dos causadores desta maldita crise internacional , que parece ter sido engendrada especialmente para nos ferrar. Felizmente desta vez a Mulher Sapiens foi suficientemente sapiente para não tentar algo de novo.

  10. Paolo
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 22:37 hs

    Alguém pergunte para Betinho – este monumento de inteligência política – o que o Paraná ganhou com seu (de Beto) ato de rastejar diante da jumanta do Planalto, além de receber “aula” de administração pública às avessas daquela energúmena?!!!!

  11. COMANDO
    sexta-feira, 31 de julho de 2015 – 7:58 hs

    Essa mulher está afundando o Brasil…

  12. MANOEL BOCUDO.
    sexta-feira, 31 de julho de 2015 – 9:58 hs

    OS OTÁRIOS VÃO PAGAR A CONTA QUE A DENTUÇA FEZ PARA
    SE ELEGER EM 2014. A BRONCA AGORA VEM PARA OS ESTADOS.
    MANDA CORTAR OS MINISTÉRIOS, TEM SÓ 39 PARA ACOMODAR OS
    COMPANHEIROS, ESSE PAÍS NÃO É SÉRIO, E ESSE GOVERNO NÃO TEM VERGONHA. OS BILHÕES QUE ROUBARAM ACERTAVA TUDO.

  13. João Baptista Figueiredo
    sexta-feira, 31 de julho de 2015 – 14:16 hs

    Que medo dessa gangue!!!De utentes do dinheiro público!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*