Auditoria aponta problemas na Secretaria da Fazenda do Estado | Fábio Campana

Auditoria aponta problemas na Secretaria da Fazenda do Estado

via TCE-PR:

A 1ª Inspetoria de Controle Externo do Tribunal de Contas (TCE-PR), que tem como superintendente o conselheiro Nestor Baptista, concluiu auditoria que apontou problemas de controle, gestão e de informática na Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) do Paraná. Essas falhas prejudicam os registros da execução orçamentária, financeira e patrimonial do Estado, dificultando o trabalho de fiscalização executado pelos técnicos do órgão de controle do gasto público.

A auditoria foi realizada por solicitação das seis Inspetorias de Controle Externo (ICEs) em atividade – unidades do TCE-PR encarregadas da fiscalização dos órgãos estaduais – tendo em vistas as dificuldades encontradas “para alcançar elementos indispensáveis ao controle externo”. Entre os pontos levantados pela auditoria estão pagamentos autorizados por ofício, sem prévio empenho de despesas; o descumprimento do acesso à informação (pela inexistência de dados no Portal de Gestão do Dinheiro Público) e a parcial inoperância do Sistema Integrado de Acompanhamento Financeiro (Siaf).

O resultado da auditoria está sendo encaminhado pelo presidente do TCE, conselheiro Ivan Bonilha, ao secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Machado Costa, para a adoção de providências. Ao mesmo tempo, a 1ª ICE fará a comunicação de irregularidade ao Tribunal de Contas, que abrirá procedimento para apurar as conclusões da auditoria.

Obstrução
Segundo as ICEs, a auditoria foi necessária porque seus técnicos não podem realizar, em plenitude, as atividades fiscalizatórias, pois nem a documentação de janeiro de 2014 havia sido devidamente processada até o mês de junho passado. Segundo eles, não se trata de mera disponibilização tardia do Siaf, mas de obstrução ao livre exercício da atividade fiscalizatória.

O processo foi encaminhado ao titular da Sefa considerando que o decreto nº 25/15, que fixa normas para a execução orçamentária e financeira para este ano, dispõe que a execução da despesa orçamentária obedecerá decisões do secretário da Fazenda. Também é de responsabilidade dessa pasta a aplicabilidade das disposições contidas no decreto, bem como as questões relativas ao orçamento e à matéria relativa à execução financeira do orçamento.


5 comentários

  1. COMANDO
    quarta-feira, 29 de julho de 2015 – 15:50 hs

    Pente fino nisso…

  2. Kátia Flávia
    quarta-feira, 29 de julho de 2015 – 16:31 hs

    Tem que chamar todos administradores anteriores para esclarecer !!

  3. Ronaldo Muraski
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 7:52 hs

    “O MELHOR AINDA ESTA POR VIR”!!!
    IMAGINEM A HORA QUE CHEGAR NA SAÚDE, JÁ TEM GENTE LÁ QUE NÃO SALVA MAIS NADA NOS COMPUTADORES, A ORDEM DO GENERAL É…”POE TUDO EM PEN-DRIVE, NÃO QUERO NADA NESSAS MÁQUINAS”….
    É, A COISA TÁ FEIA…E TACA-LHE PAU GAECO!!!

  4. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 30 de julho de 2015 – 12:07 hs

    -O sr. Mauro Ricardo Machado Costa terá que resolver em breve período de tempo, estes apontamentos do TCE-PR, pois foi contratado para isso, além de equilibrar as finanças do Estado, deixar como legado, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) do Paraná, em situação privilegiada e organizada!

  5. Baita
    sexta-feira, 31 de julho de 2015 – 13:57 hs

    (QUESTIONADOR), Estes ESCÂNDALOS eram nas gestões passadas, vem de fora por que aqui ninguém resolveu nada, só dívidas, enrolação e envolvimentos escandalos e agora sumiram … não localizados !!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*