Um discurso confuso | Fábio Campana

Um discurso confuso

do Lauro Jardim:

Dilma Rousseff teve tempo para pensar em alguma resposta minimamente convincente a dar ao Brasil sobre a delação premiada de Ricardo Pessoa. VEJA saiu na manhã de sábado e a presidente só abriu a boca ontem à tarde. Teve mais de 48 horas e a oportunidade de ouvir conselhos de um sem número de assessores, e o que conseguiu ontem foi soltar uma série de frases constrangedoras em seu tour por Washington.

Disse que “não respeita delator” e comparou Pessoa a Joaquim Silvério dos Reis – como se ela, ou quem sabe Lula, fossem Tiradentes.

Explicou que não respeita delator por que esteve “presa na ditadura militar e sei o que é. A ditadura fazia isso com as pessoas”. Aí fica ainda mais difícil ainda de entender onde Dilma quis chegar – ou o que quis dizer.

Que comparação é essa? Será que insinuou que Pessoa foi obrigado a falar o que falou por uma situação de exceção?

Ricardo Pessoa legalmente fez uma delação premiada, num governo em que o Congresso funciona livremente, o Judiciário também, a imprensa opera em liberdade plena. Ou seja, o governo Dilma pode ser o que for, mas não há como compará-lo a uma ditadura – como de modo surpreendente fez a própria Dilma.


7 comentários

  1. brasileiro com muita honra!
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:06 hs

    Prestem atenção no que vou dizer, anotem o dia e hora para dentro de no máximo seis mêses fazerem, uma comparação, ou confirmação:
    Esta presidenta está mal da cabeça, não coordena seus poucos sentidos e sua falar demonstra um total desiquilíbrio mental, confuso. coisa para psiquiatra. Agora o recado: alguém próximo dela, ou quem sabe o próprio lula que a internem num Pinel, pois a nossa presidenta está pirada da cabeça. Façam agora pois lá na frente terão que usar uma camisa de força para tirá-la do Palácio.

  2. MANOEL BOCUDO.
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:11 hs

    PELO FALAR DA DILMA COLOCARAM O CARA NO PAU DE ARARA.
    NOSSA COMPARAR A DELAÇÃO COM A DITADURA É DEMAIS.
    DELATOR, OU COLABORADOR DE OUTRORA ???????

  3. FUI !!!
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:13 hs

    É simplesmente patética o que esta anta fala. Abre a boca para
    despejar as mais inúteis imundices que habita o seu cérebro (que
    provou que não tem). E nesta lenga lenga de discurso desconexo
    ela vai viajando para todo canto do mundo imaginando que ainda
    é Presidenta. É pura gozação !!!!!!!!!

  4. Tele
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:41 hs

    Mas o seu partido se gloria que foi ele que criou a delação premiada
    http://www.institutolula.org/se-existe-investigacao-e-porque-o-pt-criou-os-instrumentos-para-investigar-a-corrupcao-nesse-pais-diz-lula-para-petistas-em-brasilia, ta realmente confusa.

  5. MDBVELHODEGUERRA
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:44 hs

    Ainda menina ja se encaminhou para a luta armada. A historia conta que militares mataram e também foram mortos. Foi a barbárie instalada para manter e tomar o poder. A tortura era a arma dos militares para as confissões e os sequestros e assaltos a estratégia dos guerrilheiros. Não existia Estado de Direito. Prevalecia a lei do mais forte.

    Hoje, uma senhora de idade chega ao poder num ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO.

    Legislação dos países mais cultos e desenvolvidos passaram a adotar a DELAÇÃO PREMIADA para combater o CRIME ORGANIZADO, estratégia que o Brasil adotou, vale dizer: A DELAÇÃO PREMIADA ESTA LEGITIMAMENTE SUSTENTADA PELA LEI.

    “O legislador, influenciado principalmente pela legislação italiana, criou uma causa de diminuição da pena para o associado ou partícipe que entregar seus companheiros, batizada pela doutrina de “delação premiada”.

    Lei n.º 8.072/90, art.8º, § único – O participante que denunciar à autoridade o bando ou quadrilha, possibilitando seu desmantelamento, terá a pena reduzida de 1 (um) a 2/3 (dois terços).

    Também aplicou a redução ao crime de extorsão mediante seqüestro, através da adição do § 4º ao art. 159 do Código Penal.

    § 4º – Se o crime é cometido em concurso, o concorrente que o denunciar à autoridade, facilitando a libertação do seqüestrado, terá sua pena reduzida de um a dois terços.”

    A presidANTA, compara alho com bugalhos, ou seja: TORTURA com DMINUIÇÃO DE PENA e devolução do PRODUTO DO ROUBO…

    Como sempre o pt faz, tergiversa, mente e não justifica.

  6. terça-feira, 30 de junho de 2015 – 12:32 hs

    Fabio. a própria Dilma assinou a lei de COLABORAÇÃO PREMIADA {delação} no Brasil. Ou ela tem memória muito curta para uma mulher sapiens, ou simplesmente quer novamente iludir a opinião do povo brasileiro ,a exemplo do que o PT vem fazendo em nosso pais, mas que atualmente já não é aceita em virtude do bom conhecimento de politico do nosso povo.

  7. marcello
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 17:01 hs

    Que vergonha. Esquece que delatar no termos da lei por ela sancionada é diferente de entregar como era feito nos tempos da ditadura. Será que ela pensa antes de falar?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*