Dividida, Assembleia Legislativa vota reajuste para outros poderes | Fábio Campana

Dividida, Assembleia Legislativa vota reajuste para outros poderes

do Bem Paraná:

A Assembleia Legislativa vota nesta semana os reajustes salariais para os servidores da própria Casa, além dos funcionários do Tribunal de Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas. No caso dos servidores do Legislativo, os deputados estão divididos entre seguir o mesmo índice concedido aos funcionários públicos do Executivo, de 3,45% a serem pagos em outubro, ou promover a reposição integral e imediata das perdas inflacionárias de 8,17%, como propõem o TJ, MP e TC para seu quadro de pessoal.

Na semana passada, os parlamentares aprovaram a proposta do governo, de reajuste geral de 3,45% para o funcionalismo, acatando o argumento de que o Estado não teria condições financeiras de garantir a reposição da inflação neste momento. Um recurso da bancada de Oposição que pedia a votação em plenário da emenda que previa o aumento de 8,17% foi rejeitado por 27 votos a 20.

Após a decisão, o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), anunciou que a Casa passaria a discutir o reajuste para os servidores dos demais poderes, inclusive do próprio Legislativo. Em reunião com os parlamentares, Traiano e o líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), defenderam que a Casa seguisse o mesmo índice oferecido aos funcionários do Executivo. A maioria dos deputados, porém, defendeu a reposição integral da inflação, lembrando que nos últimos anos, o Legislativo tem devolvido recursos ao governo. Além disso, os parlamentares argumentaram que não faria sentido aprovar a reposição das perdas inflacionárias para Judiciário e Ministério Público, e dar um índice menor para os servidores da Casa.

Tanto o TJ, quanto o MP já enviaram projetos prevendo a reposição dos 8,17% da inflação, retroativa a 1º de maio deste ano. No caso do Judiciário, o impacto do aumento em 2015 seria de R$ 52,5 milhões. Em 2016, de R$ 87,4 milhões e em 2017, de R$ 99,1 milhões. Para este ano, o reajuste elevaria a despesa anual com pessoal do TJ para R$ 1,4 bilhão. Para o ano que vem, ela chegaria a R$ 1,588 bilhão e em 2017, a R$ 1,684 bilhão. No caso do Ministério Público, a reposição implicará em um impacto financeiro de R$ 1.043.494,60 ao mês.

Nos dois casos, os deputados devem aprovar os projetos sem alteração, já que os demais poderes têm autonomia financeira. “Não posso interferir no Judiciário. Ele tem orçamento próprio. O MP da mesma forma”, alegou Traiano. Em relação aos servidores da Assembleia, a cúpula da Casa teme o desgaste que a aprovação da reposição da inflação representaria, em comparação com o reajuste menor aprovado para os funcionários do Executivo.

Repasses – O líder da bancada da Oposição, deputado Tadeu Veneri (PT), já avisou que se a Casa propor o reajuste de 3,45%, vai apresentar emenda para garantir os 8,17% para os servidores do Legislativo. “Os 8,17% são o percentual da inflação. Defendemos a reposição para todos os poderes”, disse, afirmando que se a Assembleia tem devolvido dinheiro para o Executivo, não faria sentido propor índice menor apenas para “fazer média com o governo”.

Veneri lembrou que a bancada oposicionista propôs reduzir os repasses aos outros poderes, o que garantiria mais R$ 428 milhões ao ano ao governo, mas a ideia foi rejeitada pelos deputados.


4 comentários

  1. PEDROCA DO SUDOESTE
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 11:07 hs

    Se tivessem vergonha na cara, aprovariam os mesmos índices dos demais servidores.Mas,com certeza,como sempre aumentarão a mais,diferenciados.Dois pesos e duas medidas.Aguardem……

  2. segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 12:37 hs

    Será um absurdo se outros setores forem agraciados com o índice de correção plena de 8.17%. Pois afinal este dinheiro não sairá também dos cofres públicos? Se o governo não tem condições de repor a inflação de forma completa, esta conduta tem que ser extensiva a todos.

  3. eleitor
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 12:39 hs

    AGORA EU QUERO VER A ATITUDE DESSE QUE DIZ SER O GOVERNADOR SERIO JUSTO .

  4. antonio carlos
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 13:37 hs

    Esta cambada ainda nem votou e já sabemos qual é o resultado. Esta corja de calhordas está cuspindo nas nossas caras. Fica aí o aviso principalmente para o povo do Interior, o deputado candidato a prefeito da tua cidade votou a favor da patifaria? Não vota nele, lugar de patife não é a frente de nada, mas como já elegemos estes patifes, é puxar o tapete deles toda vez que podemos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*