Dilma premia com sinecuras quem a ajudou a se reeleger | Fábio Campana

Dilma premia com sinecuras quem a ajudou a se reeleger

unnamed

Ricardo Noblat

A presidente Dilma Rousseff é grosseira. Trata mal seus subordinados. E devota um desprezo especial aos políticos. Mas ingrata não é. Nem mesmo com Lula, por mais que ele se queixe. A merecida fama de pessoa grata foi reforçada, ontem, com as nomeações de Maurício Requião e Roberto Amaral para conselheiros da usina Itaipu Binacional (Brasil-Paraguai).

Maurício, psicólogo, professor, é irmão do senador Roberto Requião (PMDB-PR). Em 2008, quando governava seu Estado, Requião nomeou Maurício conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.O emprego era vitalício. Maurício ganharia R$ 26 mil mensais e teria direito a auxílio-moradia no valor de R$ 4,3 mil, carro com motorista e gasolina, além de outros benefícios. O sonho de Maurício não durou muito. Acabou afastado do cargo pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Sua nomeação feriu a lei que proíbe o nepotismo – o emprego de parentes de primeiro grau.

Dilma deve muitos favores ao senador Requião. No ano passado, ele se candidatou ao governo e apoiou a reeleição dela. No Senado, ajudou-a a aprovar o nome do jurista Luiz Fachin para vaga no STF.

Roberto Amaral não fica atrás no número de favores que Dilma lhe deve. E não somente ela. O PT também. E o próprio Lula. Amaral sempre foi um petista (ou lulista) infiltrado no PSB.

Em 2002, presidente do PSB de Miguel Arraes, Amaral concordou com o apoio do partido à candidatura de Garotinho a presidente da República. Arraes quis e pronto. Estamos conversados.

No segundo turno, Amaral empurrou o PSB para apoiar Lula contra José Serra. Uma vez eleito, Lula retribuiu promovendo Amaral a ministro da Ciência e Tecnologia.

Foi substituído antes do fim do primeiro mandato de Lula. Amaral defendeu a produção da bomba atômica brasileira. Uma asneira! Para preservar a imagem do governo, Lula mandou-o embora.

Voltou-se a saber de Amaral quando Dilma se elegeu pela primeira vez apoiada pelo PSB de Arraes e do Eduardo Campos. Dilma deu-lhe a mão. E Amaral ganhou uma sinecura. Uma não. Duas.

Amaral tornou-se membro do Conselho de Administração da Itaipu – o mesmo emprego que agora voltará a ocupar. E membro também do Conselho de Administração da Nuclebras

Embolsando por mês algo como R$ 40 mil, Amaral ficou nos dois empregos até o PSB lançar a candidatura de Eduardo a presidente. O partido obrigou-o a devolver os cargos ao governo.

Amaral tudo fizera para demover Eduardo da ideia de sair candidato. Depois da morte dele na queda de um helicóptero, tudo fez para que o PSB não apoiasse a candidatura de Marina Silva.

No segundo turno, defendeu que o PSB não apoiasse nem Aécio nem Dilma. Mas quando o partido decidiu apoiar Aécio, Amaral lançou uma nota apoiando Dilma e criticando o PSB.

Ele e Maurício Requião ganharão, cada um, R$ 20.804,13 mensais para participar de ao menos seis reuniões anuais do Conselho de Administração de Itaipu, uma a cada dois meses.

Receberão ainda remunerações variáveis como diárias de viagem e bônus por lucro, conforme ocorreu com o ex-conselheiro de Itaipu e ex-tesoureiro nacional do PT João Vaccari Neto.

Réu por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato, Vaccari deixou o posto de conselheiro em janeiro e foi substituído pelo secretário-geral da Presidência Giles Azevedo, amigo de Dilma.

Nos últimos sete anos, Vaccari declarou à Justiça Federal renda bruta de 3,4 milhões de reais – mais da metade, cerca de 2 milhões de reais, vieram de rendimentos de Itaipu.

O novo-velho emprego de Amaral não exigirá muito dele – pelo contrário. Basta que referende as decisões tomadas pela diretoria executiva do capítulo brasileiro da hidrelétrica. Moleza!


6 comentários

  1. Helena
    quinta-feira, 4 de junho de 2015 – 15:29 hs

    Eis mais uma reposta do porquê nossa conta de luz está batendo recorde de aumentos, temos que pagar os salários absurdamente altos , para manter essa cambada no empreguismo do toma lá dá cá.

  2. Fratelli
    quinta-feira, 4 de junho de 2015 – 18:30 hs

    Até quando vamos assistir BOB REX distribuindo presentes para os seus irmãos? Tudo a nossa custa! Como dizia o velho Ulysses: Muda Brasil!!!

  3. Caneca
    quinta-feira, 4 de junho de 2015 – 19:09 hs

    Como diz o ditado: quem tem amigos não morre pagão. O Brasil é realmente uma festa. Conheço bons e competentes psicólogos, atuando como tal e de acordo com sua especialidade, mas como conselheiro da Itaipu Binacional deverá ser mesmo eletrizante.

  4. NA CORDA BAMBA
    sexta-feira, 5 de junho de 2015 – 6:10 hs

    Distribuir cargos em troca de votos é uma vergonha nacional, porem difun-
    dida e sem solução aparente.

  5. FISCAL DE REALEZA
    sexta-feira, 5 de junho de 2015 – 21:42 hs

    FABIO

    MAURICIO REQUIAO NAO FOI NOMEADO ELE FOI ELEITO COM 43 VOTOS OU JA ESQUEÇEU QUEM RASGOU A COSTITUIÇAO FOI O BETO E SEUS CANALHAS ALIADOS MAS ELE VAI VOLTAR PODES CRER

  6. João Sem Terra
    segunda-feira, 8 de junho de 2015 – 8:52 hs

    A alma de Dilma já está vendida!
    Trocar o bom moço Moisés Pessuti pelo Maurício é total perda de noção.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*