Delações na Lava Jato ameaçam futuro de políticos do Paraná | Fábio Campana

Delações na Lava Jato ameaçam futuro de políticos do Paraná

unnamed2

As delações e prisões no âmbito do Operação Lava Jato ameaçam o futuro político de lideranças dos dois principais partidos de oposição no Paraná, o PT e o PMDB. A delação assinada pelo dono da UTC, Ricardo Pessoa, e homologada na última semana pelo Supremo Tribunal Federal (SFT) tirou o sono da senadora Gleisi Hoffmann (PT) – a maior beneficiária no Estado das doações eleitorais do empreiteiro.

A UTC já repassou R$ 1,5 milhão para as campanhas da petista no Paraná: R$ 100 mil (em 2006 ao Senado), R$ 250 mil (em 2008 à prefeitura de Curitiba), R$ 250 mil (em 2010 ao Senado) e R$ 900 mil (em 2014 ao Governo do Estado).

Pessoa foi também convocado pelo ministro do STF, Teori Zavascki, a prestar depoimento no processo em que Gleisi responde por corrupção passiva qualificada no Supremo. O empreiteiro convocou ainda o marido da petista, o ex-ministro Paulo Bernardo (PT) como testemunha de defesa nos processos decorrentes da Operação Lava-Jato.

Na campanha de 2014, a UTC repassou R$ 95 mil para a campanha do deputado federal Zeca Dirceu (PT), filho do mensaleiro José Dirceu – também envolvido nas investigações da Lava Jato. Em 2012, na campanha para prefeitura de Maringá, o presidente do PT, o deputado Enio Verri, recebeu R$ 100 mil da UTC.

Veneri/Odebrecht – Outro desconforto causado aos petistas do Paraná foi a prisão de Marcelo Odebrecht, presidente da Construtora Odebrecht. O deputado Tadeu Veneri (PT), arauto do udenismo petista, recebeu R$ 213.750,00 da Construtora Odebrecht em 2014. O repasse da Odebrecht – em duas parcelas de R$ 71.250,00 e R$ 596.457,62 – significou 35,8% da arrecadação da campanha de Veneri.

Voltando ao deputado Zeca Dirceu, as suas duas últimas campanhas (2010 e 2014) receberam R$ 1.077.500,00 de empreiteiras investigadas no Petrolão ou com contratos no governo federal. Além dos R$ 95 mil da UTC em 2014, Zeca Dirceu recebeu R$ 30 mil da Galvão Engenharia em 2010.

Ainda em 2014, o petista recebeu R$ 570 mil da Engevix, R$ 95 mil da Carioca Christiani Nielsen Engenharia, R$ 142,5 mil da CRBS, R$ 95 mil da Etesco e R$ 50 mil da Engepav. Na última semana, a força-tarefa da Lava Jato pediu à Justiça Federal que quatro executivos da Engevix e outros quatro réus sejam condenados à pena máxima de 30 anos de prisão e devolvam R$ 152 milhões aos cofres públicos referentes às propinas pagas pela empreiteira em contratos com a Petrobras.

O presidente do PT, deputado Enio Verri, também foi gratificado com recursos das empreiteiras investigadas no Petrolão. Em 2014, Verri recebeu R$ 95 mil da Andrade Gutierrez para sua campanha de deputado federal. Em 2012, na disputa da prefeitura de Maringá, foram R$ 100 mil da UC e R$ 150 mil da OAS, e em 2010, na campanha de deputado estadual, outros R$ 50 mil da Galvão Engenharia.

Gleisi/Petrolão – Useira e vezeira do dinheiro das empreiteiras investigadas é a senadora Gleisi Hoffmann. Em duas campanhas, em 2010 e 2014, a petista recebeu R$ 13,5 milhões de empresas – a maioria empreiteiras – denunciadas por pagamentos de propina, corrupção e financiamentos de campanhas eleitorais com o dinheiro desviado da Petrobras.

Em 2010, Gleisi teve ainda a maior parte de sua campanha irrigada em R$ 3,7 milhões doados por empreiteiras. Gleisi recebeu R$ 1 milhão da Camargo Correa, R$ 780 mil da OAS , R$ 250 mil da UTC, R$ 250 mil da CR Almeida e R$ 220 mil da Coesa Engenharia. Em maior volume, as doações se repetiram na campanha de 2014.

A petista recebeu mais 7,7 milhões. Desse montante, Gleisi recebeu R$ 150 mil do Banco Pactual, listado na Operação Lava-Jato, R$ 2 milhões da Construtora Triunfo, R$ 475 mil da Queiroz Galvão, R$ 950 mil da Andrade Gutierrez, R$ 950 mil da UTC e R$ 420 mil da Galvão Engenharia.

Requião/Capital vadio – Quem também não dá um pio ou tuíte, como prefere, sobre as doações é o senador Roberto Requião (PMDB-PR), defensor da Carta de Puebla, e crítico do “capital vadio”, o sistema financeiro. Nas duas últimas campanhas, Requião recebeu R$ 2.050.000,00 justo do capital vadio e de empreiteiras investigadas pela Lava Jato.

Em 2014, três empreiteiras doaram R$ 550 mil para Requião (R$ 50 mil da Construção Triunfo e a Construtora OAS repassou R$ 500 mil, em duas parcelas: uma de R$ 300 mil e outra de R$ 200 mil). Em outra campanha, em 2010 para o Senado, Requião recebeu R$ 150 mil da Galvão Engenharia.

Triunfo, OAS e Galvão são três das empreiteiras denunciadas, com executivos presos em Curitiba, nos esquemas de propinas a partidos e políticos. Do capital vadio, Requião recebeu R$ 1,5 milhão (R$ 500 mil do Bradesco e outro R$ 1 milhão do Banco Pactual).


10 comentários

  1. Henry
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 16:09 hs

    QUE A “barbie” SEJA COBRADA PARA DEVOLVER CENTAVO POR CENTAVO, DO QUE ROUBOU NO ESQUEMA DA ptROBRAS.

  2. MANOEL BOCUDO.
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 16:25 hs

    SERGIO MORO TRAGA AS ALGEMAS URGENTE, E VÁRIOS PARES, VAMOS
    TER MUITOS PULSOS COM ARGOLAS EM BREVE. A BARBY ESTÁ COM A
    CORDA ESTRANGULANDO O PESCOÇO. TEMOS AINDA O PAULO
    BERNARDO E MAIS ALGUNS QUE PEGARAM O PIXULECO.

  3. Antonio Vier
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 16:57 hs

    o mais importante de tudo é que os fatos sejam bem esclarecidos e divulgados pois nosso pais sempre padeceu de memória seletiva ou amnésia momentânea eleitoralmente falando. Ha de se passar realmente a limpo e varrer estes políticos, seja da bandeira e ou ideologia que for. Ou se é honesto ou não se é. Não tem meio termo. Pro inferno com eles todos. Gente corrupta e desprezível .

  4. segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 18:03 hs

    VIXI ! PeTezada e seus comparsas( entre eles Requião) estão todos envolvidos Lava Jato .
    Imagina quando investigarem de fato o BNDES, Eletrobrás, BB, CEF , vai faltar cadeia

  5. segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 20:28 hs

    E ai Da. Gleise e Requião, paladinos da justiça, qual a desculpa agora. Encarem a verdade. Fim de Carreira.

  6. Mirian Waleska
    segunda-feira, 29 de junho de 2015 – 22:53 hs

    Barbie, Barbie, não vai ter KEN te livre dessa.

  7. Ezequiel da Vila dos Prazeres
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 7:46 hs

    DO JEITO QUE O BONDE DA ANDANDO, LOGO LOGO ESSE MAR DE LAMA VAI RESPINGAR AQUI NA VILA, EI CLAUDINHO, VAMO VAZA!!!

  8. REQUIÃO DEMAGOGO
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 8:48 hs

    Não consegue nem afastar Romanelli do PMDB e acha que tem poder ou moral para afastar o governador. Após o irmão Mauricio Requião ser acomodado gentilmente no conselho da ITAIPU o nosso senador, defensor da moral e dos pobres, tá bem mansinho com o PT. Prefere ficar passando ilusão aos filiados do PMDB como se tivesse mais algum estoque de votos para as futuras eleições.

  9. José Luiz.
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:05 hs

    Esse filho do Zé Dirceu sempre fez campanhas milionárias… se duvidar é mais malandor do que o pai (se é q isso é possivel)

  10. Johan
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 10:58 hs

    Caro FÁBIO, essa participação do PINÓCHIÃO, no recebimento de recursos das estatais como RECEPTADOR DE PRODUTOS ROUBADOS foi muito forte para os pmdebistas do PARANÁ. Em Curitiba ele não elege mais nem guarda-parque. Como DEFENSOR da CARTA de PEUBLA, onde “apoia os pobres para mentê-los pobres”. Lamentável para o PARANÁ, possuir um SENADOR SENIL que não sabe mais o que fala. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*