Clayton Camargo volta ao Tribunal de Justiça | Fábio Campana

Clayton Camargo volta
ao Tribunal de Justiça

noticia_236714_img1_3-f2

Ora, pois, o mundo gira, a Lusitana roda e Clayton Camargo volta ao Tribunal de Justiça. Em pouco mais de um ano terá a sua aposentadoria integral. A Corregedora Nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, determinou o arquivamento sumário do pedido de providências por suspeita de tráfico de influência contra o desembargador e ex-presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Clayton Camargo. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abriu o pedido de providências em outubro do ano passado, logo após o ex-deputado estadual e filho do desembargador, Fábio Camargo, ser eleito conselheiro no Tribunal de Contas do Paraná. O CNJ suspeitou, na época, que suposta conduta de Clayton teria influenciado no resultado do pleito.“Diante da ausência de elementos aptos a viabilizar a compreensão das alegações deduzidas pelo requerente, não é possível a apreciação deste pedido de providências”, despachou a ministra.

Resta saber como fica o processo que Fábio Camargo move para voltar ao Tribunal de Contas como Conselheiro.


17 comentários

  1. Flávius
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 16:36 hs

    A esse país, falta seriedade, falta verdade; está tudo podre e fede muito o pus expelido dessas malditas feridas. O odor está ficando insuportável…

  2. Luigi
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 18:12 hs

    Caros co-ledores e co-ledoras deste blogue (página pessoal, atualizada periodicamente, em que os usuários podem trocar experiências, comentários etc.): peço vossa serena e atenta observação para a
    região delimitada pelo couro cabeludo, orelhas e pescoço, composta da testa, olhos, nariz, boca, queixo e bochechas deste fidalgo. Tem coelho nesta horta!

  3. Milton
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 18:14 hs

    VERGONHA,VERGONHA, VERGONHA… Todo mundo é bandido? Os que cometem crime, os que julgam os criminosos, a quem recorrer? A solução é alugar o Brasil..

  4. antonio carlos
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 19:37 hs

    Que nojo, até parece que já estamos vivendo a realidade argentina, venezuelana e boliviana, nestes países a Justiça funciona ao gosto dos donos do poder. Agora só está faltando o brilahntina voltar para o emprego para o qual foi eleito pelo paizão.

  5. PARANA NETO.
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 20:15 hs

    …Taí um bom homem…quanta injustiça fizeram com ele…???!!!!!!!..

    …Pelo amor de DEUS…aonde o Paraná vai parar….
    …E o Brasil…???!!!!…deveria estar na cadeia……….
    ….Chamem o TIM MAIA….

    pn….

  6. Sergio Silvestre
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 20:40 hs

    Pensando bem um caracol belo e ornado tem tudo a ver com a lesma que tem dentro”

  7. Artur
    terça-feira, 30 de junho de 2015 – 21:22 hs

    Em todas as categorias profissionais existem pessoas honestas e corretas e pessoas podres. No judiciário, o poder mais corrupto do pais, também existem pessoas corretas e honestas, mas lamentavelmente são muito poucos……………….!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. Apocalipse
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 7:43 hs

    “Meu Deus”, o que mais teremos pela frente!!!

  9. Renato Britto Barros
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 8:33 hs

    Nesse país tudo phode.
    denuncias existe para ser investigadas e cabe ao poder Judiciário definir se a denuncia é real ou apenas uma invenção das pessoas.
    Por que será que a GAZETONA tanto bateu no desembargador ?
    Qual o real interesse da GAZETONA ?
    $erá que a$ polpuda$ verba$ federai$ da GAZETONA vão acabar com a denúncia da BARBYE da$ Araucária$ ?
    Quem viver verá$

  10. COMANDO
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 9:05 hs

    Nem os corvos suportam o cheiro da carniça que está rodeando o país…

  11. Paulo
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 10:21 hs

    Depois desta é para acabar com a esperança de alguma melhora no Paraná, só falta agora o filho do mafioso voltar para o TCE. O Paraná fede, cheira e exala o fedor da podridão que se tornou os três poderes do Estado, executivo, legislativo e judiciário. Só uma mudança radical para mudar este cenário de roubalheiras, corrupção e demagogia política, temos que reagir para sumir com está escória e lixo do nosso Paraná, pois se isso não acontecer a curto prazo seremos pior que o Haiti.

  12. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 11:07 hs

    -E como dizia o reverendo:….segue o féretro!!!!
    -Este Brasil nunca será um País sério e muito menos o Estado do Paraná!!!

  13. marcello
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 11:24 hs

    Dá medo só de olhar para a foto desse senhor. Junto com o filho formam uma dupla da pior espécie.

  14. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 11:47 hs

    O Paraná bem merece.

  15. Luiz Oliveira da Silva
    quarta-feira, 1 de julho de 2015 – 11:56 hs

    Oh quanta injustiça!……. com o povo.

    Concordo com o Marcelo. É o capeta mor e dono da zona. Que dupla!

  16. SERGIO DIBNER MARAVALHAS
    sábado, 26 de setembro de 2015 – 21:05 hs

    vejam senhores não existe justiça aqui na terra, mas ninguem foge a justiça de DEUS, que esta dentro de nós, aguarde, sua morte, vai ter justiça sendo feita na hora.

  17. Paulo
    quinta-feira, 29 de outubro de 2015 – 16:30 hs

    O Parana não tem dinheiro para professor! Médicos! Policial!…etc, mas tem dinheiro para manter esse tipo de servidor de origem duvidosa, salários altos e apadrinhamento, Duvido que o Filho Fabio tenha competência para estar onde esta,O povo esta muito queto, calado, parado…conheci o Fabio Camacho em um evento uma vez, fala nada com nada, molecão ainda com ideologias primarias. Espero que o CNJ e STF retire os dois onde estão e confisque o dano causado ao erário. Legislação injusta uns passam anos estudando para um concurso deste nível, outro com uma canetada e pequenas ameças a alguns legisladores estaduais se entregam e indicam este tipo de gente. Sou completamente contra cargos indicados ainda mais se tratando deste Nível, e com Vitalidade.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*