'Acrônimo' destrói arma secreta de Dilma em 2018 | Fábio Campana

‘Acrônimo’ destrói arma secreta de Dilma em 2018

dilma e pimentel1

do Claudio Humberto:

A Operação Acrônimo, da Polícia Federal, que investigava Benedito Rodrigues Neto, o Bené, empresário em Brasília, agora se concentra no governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. Considerado um dos políticos mais promissores do PT, Pimentel era a “arma secreta” de Dilma para a eleição presidencial de 2018. Só a eventual candidatura de Lula a demoveria da intenção de apoiá-lo em sua sucessão.

História juntos – Dilma é amiga de Fernando Pimentel há muitos anos, desde quando, muito jovens em Minas, foram presos e condenados pela ditadura.

Solidariedade – A presidente acompanha, desolada, o desenvolvimento da Operação Acrônimo. Ela não interfere, mas se mantém solidária ao velho amigo.

Política de alianças – Pimentel surpreendeu os políticos e enfrentou o PT, aliando-se a Aécio Neves (PSDB) para eleger Marcio Lacerda (PSB) prefeito de BH.

Comunicado – A jornalista Carolina Oliveira, primeira-dama de Minas, criou o site comunicadoimprensa.com.br para responder acusações da “Acrônimo”.


Um comentário

  1. SOLANGE LOPES
    sexta-feira, 26 de junho de 2015 – 17:50 hs

    Leva tudo a crer que este Pimentel dava uns pitacos na anta sentada quando eram mais jovens. Agora, nem pensar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*