STF mantém corte de salário de professores grevistas de SP | Fábio Campana

STF mantém corte de salário de professores grevistas de SP

unnamedprof

Péssima notícia para os professores grevistas nativos. A ministra do STF Carmen Lúcia manteve entendimento do STJ em suspender o salário dos professores grevistas da rede pública estadual de São Paulo. Os professores da rede estadual estão parados desde o dia 16 de março e pedem reajuste salarial de 75,33%. As negociações com o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) não progrediram desde então e o salário dos grevistas passaram a ser cortados pela administração estadual. As informações são da Folha de S. Paulo.

Na última quarta-feira (20), o presidente do STJ, ministro Francisco Falcão, autorizou o desconto dos dias parados na folha de pagamento dos professores, revertendo liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Atendendo a um pleito do sindicato da categoria, o TJ-SP havia determinado que os trabalhadores deveriam continuar recebendo os vencimentos mesmo durante a paralisação. O governo estadual então recorreu ao STJ, com argumento de que a liminar representou gastos de aproximadamente R$ 42,5 milhões só no mês de março.

Segundo o Executivo paulista, na ocasião, saíram dos cofres públicos R$ 18,9 milhões para a contratação de professores substitutos, com objetivo de evitar a interrupção das aulas, e mais R$ 23,7 milhões em salários aos trabalhadores em greve.

O ministro Francisco Falcão acolheu a solicitação do governo do Estado. Em sua decisão, ele ressaltou as tentativas frustradas de negociação entre trabalhadores e Executivo para pôr o fim à paralisação.


5 comentários

  1. Juca
    domingo, 24 de maio de 2015 – 13:42 hs

    Caminho aberto para o Governador Beto Richa, que não deve perder a oportunidade de economizar dinheiro descontando os dias parados dessa turma petista e oportunista. E ninguém pode reclamar e alegar que o desconto é indevido ou inconstitucional, pois a decisão acima além de repercussão geral, foi dada ´pelo guardião da Constituição, que é o STF. Ponto final.

  2. Sociedade Responde
    domingo, 24 de maio de 2015 – 19:10 hs

    Ótimo! E que o Paraná siga o mesmo caminho. Qualquer problema, leva para instâncias superiores. É exigência da sociedade moralizar essa pouca vergonha que estão fazendo com os estudantes!

  3. eleitor
    domingo, 24 de maio de 2015 – 20:08 hs

    O STF só tem juízes que regem a lei aos seus políticos que o colocaram na cadeira foi só Joaquim Barbosa aposentar que voltou a ser o teatro de comedia.

  4. Freddy Kruger
    segunda-feira, 25 de maio de 2015 – 11:42 hs

    Que este fato sirva de exemplo aos Professores aqui do Paraná. A greve já extrapolou. É apenas política !.

  5. terça-feira, 26 de maio de 2015 – 18:52 hs

    ” Diga-se de passagem,,,greve do Paraná promovida por apenas questões políticas, sendo seus articuladores membros da CUT e PeTebas,,,e quem perde: os estudantes,,,vestibulares, ENEM, ano letivo,,e a educação ganha com isso uma piora cada vez mais nos índices,,,entrem com liminar pais,,,,não votem nas direções de escola que apoiam esta greve, não votem em representantes sindicais que fazem parte desta corja,,,tirem a mamadeira destes militantes.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*