Sem acordo, professores mantém a greve | Fábio Campana

Sem acordo, professores mantém a greve

centrocivicodentro2
O governo endureceu. Como prometera, não reabriu negociações sem que os professores voltem ao trabalho. Na reunião desta tarde, os mandatários da APP-Sindicato tentaram argumentar sobre a possibilidade do governo fazer outros cortes para atendê-los, mas essa discussão só se dará se os professores voltarem às aulas.

O PT exulta. A APP-Sindicato não arreda o pé e confia na continuidade da greve e do movimento de rua que provoca desgaste ao governo. Quer 8,17% de aumento, que considera reposição da inflação. Assim se estabelece um impasse. A queda de braço continua. Os professores contam com o apoio da grande mídia.


27 comentários

  1. toscani
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 15:40 hs

    E, como sempre ,a culpa é do PT

  2. Kátia Flávia
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 15:48 hs

    Governo sem Controle !

  3. Teobaldo
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 15:50 hs

    Tem mais é que descer a borracha nesse pessoal que não quer trabalhar…..como ficam nossas crianças???????

  4. Aline
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:01 hs

    Apoio da grande mídia e da população, incluindo a comunidade escolar que está de saco cheio com o desgoverno do Paraná!

  5. Coxa Branca
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:03 hs

    Chega de politicagem em cima da Educação. Chega de baderna. VOLTA AS AULAS JÁ!

  6. Jose Rosa
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:06 hs

    greve politica

    como Parana, Sao Paulo,Goias, Pará, Santa Catarina,,,

    governos de oposição ao governo federal, para esconder os roubos da Petrobras, para esconder a incompetencia do governo federal.

  7. Amauri
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:14 hs

    Uma plausível solução seria enxugar a máquina com corte de cargos DAS2, DAS3 mas não de bagrinho e sim de comissionados improdutivos. A realidade é outra e quem não se adequar ao novo momento está fadado ao suicídio eleitoral.

  8. marta ribeiro
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:20 hs

    o nosso ‘jornalão’, como dizia a Maria Louca, foi acostumado com
    as grandes verbas achacadas do Governo – da sociedade paranaense -, agora que a fonte secou está fazendo esse papelão fomentando a desordem e a perfídia … mas, mamando em verbas federais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  9. VLemainski - Cascavel
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:27 hs

    Não pague os dias parados que a situação se resolve rapidamente. O bolso dói…

  10. Pai
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:32 hs

    Desgaste do governo ou desgaste dos professores que já não são mais vistos com os mesmos olhos pelos pais e alunos?

    Eles falam em ditadura, mas não negociam, exigem… falam em democracia, mas quando um colega resolve voltar ao trabalho, é ameaçado pelos que se dizem “colegas”

    Ótimo exemplo que estão dando para meus filhos

    Parabéns pessoas que dizem ser professores… vcs são o máximo mesmo ¬¬

  11. LUIZ
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:35 hs

    DESCONTA OS DIAS PARADOS.

  12. MANOEL BOCUDO.
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:40 hs

    E A UNE VAI DEFENDER OS ALUNOS, OU OS PELEGÕES DA APP. COMO ESSES SINDICATOS ATRELADOS AO GOVERNO FEDERAL.

  13. FERDINANDO FRANCISCONI
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:41 hs

    Reafirmo: vergonha na cara e voltem a dar aulas !

  14. terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:47 hs

    Os professores que estão fora da sala de aula contam com o apoio da mídia, em contra partida os professores que escolheram continuar trabalhando, sem apoio da mídia estão sendo atacados pelos próprios colegas de profissão, são caluniados, insultados, intimidados, fazem um verdadeiro massacre psicológico. Usam todas as armas para desestabilizar os professores e os alunos que estão frequentando as aulas. Peço aos professores que são menos radicais que não se deixem contaminar por esse ódio que foi plantado no coração vocês. Sinto esse ódio não só contra o Governador Beto richa, mas também contra os próprios colegas que não pensam como eles. A profissão de professor está sendo confundido com a profissão de cabo eleitoral de partido político.
    E com lagrimas nos olhos que peço perdão aos colegas professores por não conseguir ser como eles, não consigo ser cabo eleitoral de partido político. Pensem nos alunos que estão sem aula, nem todos poderão estudar no sábado ou em janeiro. Deixe o sindicado e os Deputados do PT negociando com o governador, não vejo necessidade dos professores continuarem na rua
    Voltem professores no colégio que trabalho não está faltando giz.
    Menos greve e mais aula. Professora Joanita Aparecida dos santos.
    Peço desculpa para os professores do Paraná se no município deles e diferente o relato que fiz e baseado no que está acontecendo do meu município

  15. PATRIOTA
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 16:56 hs

    “APOIO DA GRANDE MIDIA”, Quanto estão pagando? De quem é o dinheiro!.

  16. adoniran
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 17:08 hs

    Ja falei. Põe na rua por justa causa e contrata mais pela lista do concurso. Ponto.

  17. Maria do Bairro
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 17:12 hs

    O BETO RICHA não mandou Bater nos Professores hoje ?

  18. terça-feira, 19 de maio de 2015 – 17:15 hs

    Parabéns Joanita pelo caráter e coragem, e ser uma educadora!
    Quem não estiver gostando da sua profissão, então procure outro emprego e sejas feliz!
    Estou bem disposta a trabalhar na educação, tenho formação em curso superior, e quero trabalhar! rsrsrsrrsrsrsrrs

  19. Strapasson
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 17:26 hs

    Professora Joanita: cheguei a ficar comovida com seu desabafo. Penso da mesma maneira e sofro o que a senhora falou: “massacre psicológico”.

    Também não sou cabo eleitoral de partido político. Sou professora séria e responsável. Hoje passou em frente a minha casa um aluno do primeiro ano do Ensino Médio. Conversei com ele. Disse estar desmotivado. Perguntou: “quando a gente volta, professora?” Não soube responder.

    Sou funcionária pública. Estou envergonhada por não estar fazendo o que é minha obrigação: ensinar. Claro que não sou contra o ato de defender os nossos direitos mas tudo tem limites.

    Chega. Vamos voltar. Sem patrulha, por favor.

  20. Beto arrependido
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 18:30 hs

    A causa para a continuidade da greve tem nome e sobrenome: Mauro Ricardo Costa…

  21. Marcelo
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 19:21 hs

    Isso é fácil de resolver, pague o mínimo que é a reposição da inflação 8,17%, e os professores voltam…

  22. SÉRGIO
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 19:43 hs

    Pena que os pais e alunos não possuem força nenhuma! São manipulados pelos professores. Se fossem mais organizados, as aulas já teriam voltado!!! Alunos: quando os professores voltarem, não aceitem aulas aos sábados. Eles que achem uma outra alternativa.

  23. LUIZ ERNESTO
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 21:18 hs

    BALA DE GIZ NELES. BALA DE GIZ NELES. BALA DE GIZ NELES.
    QUEM SABE TOMAM VERGONHA NA CARA E VOLTAM AO TRABALHO.

  24. Helena
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 22:23 hs

    Eles não querem acordo mesmo, querem continuar ganhando sem trabalhar tal como a pelegada que está por detrás dessa manobra polítiqueira orquestrada pela ptzada.

  25. José
    terça-feira, 19 de maio de 2015 – 22:59 hs

    A sociedade deve repensar o papel do funcionalismo público. É lamentável a politização que a sociedade paranaense vem sendo vítima. Se entrarmos no portal da transparência, no site do Governo, percebemos que o fucionalismo nao é tão coitadinho assim não. Está na hora de exigir dessas pessoas mais compromisso com a sociedade. Na minha pesquisa, no site do governo, não encontrei nada a respeito de avaliação de desempenho, nada de metas. Em fim, só vi benesses e uma média salarial bem a cima do setor privado. Nao acredito que pago impostos para sustentar essa máquina inchada e ineficiente.

  26. Nilo
    quarta-feira, 20 de maio de 2015 – 2:46 hs

    Mas olha é uma coisa mesmo, bala de borracha e bombinha de fumaça não assusta mais a “professorada”. Te Vira beto.. vai ter que ser na borduna mesmo, ou não pague os dias de greve pra cambada dai se educa a tigrada… o gente mar acustumada.. é a democracia… o republica populista sem controle….

  27. quarta-feira, 20 de maio de 2015 – 12:25 hs

    Eu já falei aqui por diversas vezes,A hora que descontarem ,estes vagabundos voltam rapidinho! parabéns professora JOANITA!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*