Não ofende | Fábio Campana

Não ofende

marco schlemm

O professor Marcos Schlemm (foto) faz a pergunta que nenhum membro das bandas da oposição ao governo do Paraná quer ouvir:

— Vamos imaginar que o Requião não tivesse deixado o estado num buraco financeiro, investido na previdência como deveria ter feito e o governo federal tivesse liberado os R$ 1.8 bi que deve ao estado do Paraná, será que não estaríamos em outra situação agora?

Pois, pois, a pergunta já vem com resposta. Só a oposição quer fazer parecer o contrário. E há quem acredite.

Marcos Schlemm é Professor na Pontífica Universidade Católica do Paraná – PUCPR, desenvolveu projetos no IBQP e no SESI (Serviço Social da Indústria). Estuda Innovation Management and Culture, Design-thinking, startups em Berkeley, depois de passar pela Universidade do Sul da Califórnia e pela Hult International Business School


20 comentários

  1. Miguel
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 12:43 hs

    Será que não tivesse ocorrido o fenômeno no Nepal, teríamos tantos mortos? Tenha paciência Fábio!

  2. CORINGA
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 12:45 hs

    CONCORDO COM O PROFESSOR CERTAMENTE NÃO TERÍAMOS PRESENCIADO TRÁGICO FATO. POREM O QUADRO NÃO É ESTE. O REQUIÃO NÃO TEM MORAL NENHUMA EM CRITICAR O BETO RICHA , POREM A ADMINISTRAÇÃO DO CONFLITO DEVERIA TER SIDO CONDUZIDO DE FORMA PROFISSIONAL . O SECRETARIO DA SEGURANÇA DEVE TER CONFUNDIDO PROFESSOR COM TRAFICANTE , JÁ QUE ELE ESTUFA O PEITO DIZENDO SER O IMPLACÁVEL CONTRA O TRAFICO(O QUE PARTICULARMENTE NÃO ACHO)

  3. Ie Clazer
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 12:46 hs

    É facil agora a Gleisi e o Requião criticarem o governador, mas quando eles estavam la em Brasilia,seguravam as verbas do Paraná, agora vem dar apoio aos professores fazendo politicagem, não tem vergonha na cara, o nosso estado foi muito prejudicado por causa do pt.

  4. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 12:59 hs

    Duro de entender o professor até seu sobrenome e depois o managhement fo the hills suke em tiza fof.Tudo enrolado em gringo.

  5. luis
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 13:55 hs

    Não tenho procuração dele, mas que eu saiba foi o mamona que deixou de cobrar a contribuição dos aposentados.
    Quem aumentou salários e fez contratações descompassadas com a arrecadação? Foi o chefe de plantão.
    Agora se vê obrigado a moer a economia do Paraná com um aumento inconsequente da carga tributária, com efeitos nos próximos meses.
    Inflação e migração de empreendimentos para outras plagas.
    Não vou nem comentar o Londrina’s GATE , mas governar sem dizer “NÃO” dá no que deu!

  6. PAULO MARINGÁ
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 13:56 hs

    E vamos supor que o Beto Richa na campanha de reeleição em 2014, não tivesse mentido, dizendo que estava TUDO certo, que havia dinheiro em caixa, que seria feito investimentos e que o MELHOR estava por vir, será que ele tinha ganhado a eleição??

  7. Simões
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 13:58 hs

    Agora todo mundo fica filosofando a favor e contra.

    Será que alguém parou para pensar o que poderia ter acontecido se a polícia não tivesse sido chamada ou tomado as atitudes que tomou? Não venham me dizer que nada iria acontecer, Fevereiro serviu de exemplo quando tudo foi muito pacífico.

    Além do que misturar política com educação é o maior erro que os professores estão fazendo.

  8. Professor Samuel
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 14:08 hs

    Esqueceu de falar na roubalheira no PR…se liga Professor…

  9. Edson
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 14:14 hs

    Embora eu não apoie a selvageria do ocorrido na Assembleia Legislativa, não podemos esquecer que o Requião quebrou o antigo IPE (Instituto de Previdência do Estado), meteu a mão nos fundos (para o Estado), fez igualzinho ao que fez agora o Beto Richa (só que professor nenhum falou nada naquela época), deixou as estradas todas esburacadas para o Lerner ser obrigado a pedagiá-las, criou o Banco del Paraná no Paraguai, o que quebrou o Banestado para que o Lerner pudesse privatizá-lo, não repassou os recursos da parte do Estado e uma parte dos descontados dos funcionários para a Paranaprevidência , o que levou a grande parte dessa situação que hoje se vê, barrou muita coisa para o Paraná lá no Senado e tantas outras mazelas contra o Estado. Só que a APP e mais ninguém viu nada disso.

  10. Adroaldo Maffuz
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 14:48 hs

    E o veloz governador levou 49 meses para dizer que o Paraná estava quebrado por causa do Requião? Por que não disse logo quando assumiu, como fez o prefeito de Curitiba? Culpar um antecessor de 4 anos atrás é mais um tiro no pé? Aliás, quantos pés tem o governador? Porque o estoque de tiros que ele já deu nos pés é impressionante!

  11. zangado
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 15:03 hs

    Faria bem também ler o seguinte poema de Kipling:

    Se

    Se és capaz de manter tua calma, quando,
    todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa.
    De crer em ti quando estão todos duvidando,
    e para esses no entanto achar uma desculpa.

    Se és capaz de esperar sem te desesperares,
    ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
    Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
    e não parecer bom demais, nem pretensioso.

    Se és capaz de pensar – sem que a isso só te atires,
    de sonhar – sem fazer dos sonhos teus senhores.
    Se, encontrando a Desgraça e o Triunfo, conseguires,
    tratar da mesma forma a esses dois impostores.

    Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas,
    em armadilhas as verdades que disseste
    E as coisas, por que deste a vida estraçalhadas,
    e refazê-las com o bem pouco que te reste.

    Se és capaz de arriscar numa única parada,
    tudo quanto ganhaste em toda a tua vida.
    E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
    resignado, tornar ao ponto de partida.

    De forçar coração, nervos, músculos, tudo,
    a dar seja o que for que neles ainda existe.
    E a persistir assim quando, exausto, contudo,
    resta a vontade em ti, que ainda te ordena: Persiste!

    Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
    e, entre Reis, não perder a naturalidade.
    E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
    se a todos podes ser de alguma utilidade.

    Se és capaz de dar, segundo por segundo,
    ao minuto fatal todo valor e brilho.
    Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo,
    e – o que ainda é muito mais – és um Homem, meu filho!

    Rudyard Kipling

    Nota: Tradução do poema “If”, 1895

  12. SILVA
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 16:07 hs

    Frustrado….

  13. Luiz
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 16:51 hs

    NEM TODOS SÃO CAPACHOS DO LULADRÃO,UM INTELIGÊNTE SEMPRE APARECE.

  14. LENZA TOLEDO
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 17:24 hs

    Os insatisfeitos, mas honestos e corajosos professores estão começando a se manifestar. Parabéns ao Prof. Marcos Schlemm! Eu ainda quero ver como vão ficar as reposições das aulas. Será que vai ser do tipo assim: Vamos desenvolver uma atividade com uma bola e chuta quem quiser. Pronto, a aula já terminou!

  15. João Armindo
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 17:57 hs

    Sérgio Silvestre, o professor Marcos M. Schlemm sempre esteve ligado ao Planejamento no Estado, mas isso num tempo que tínhamos pensadores como Belmiro, Deconto, Passos e outros q no momento não recordo, mas q também foram d suma importância para o desenvolvimento.O professor Marcus trabalhou na Matriz que deu sustentação ao desenvolvimento no Estado, foi gente como ele q permitiu saltarmos de uma economia ruralista para uma d Mercado. Marcus foi técnico e diretor no PPTE, na Fidepar e na SEPL. Conhece com propriedade quem comete as mazelas no Estado e portanto tem todo o direito de perguntar, indagar e questionar.

  16. João Armindo
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 17:58 hs

    Azar de quem declara ignorância por não saber pronunciar o nome dele.

  17. TARZAN
    quinta-feira, 7 de maio de 2015 – 9:41 hs

    Ainda bem que apareceu um professor lúcido para fazer esse comentário. Requião e a Barby Senadores declarados inimigos do Paraná (mais o desgoverno federal) é que são culpados por toda essa crise que estamos passando a nível estadual e nacional. Chega de brincar de política.

  18. luiz saragiotto
    quinta-feira, 7 de maio de 2015 – 11:22 hs

    REQUIÃO E GLEISE DESÇAM DO PALANQUE

    Sr. Senador Requião renuncie a sua aposentadoria de governador e, devolva o dindin do estado gasto com seus 80 cavalos que já da pra diminuir os custos do estado.
    Sra. Senadora Gleise explique as denúncias do PETROLÃO.
    Trabalhem pelo Parana e parem de possar de paladinos da moralidade que não cola, o povo não é bobo e sabe quem são vocês.

  19. Paulo
    quinta-feira, 7 de maio de 2015 – 11:47 hs

    Fica fácil falar quando se trabalha em uma instituição privada e fica fácil falar dos Governadores que antecederam ao Beto Richa, mas não estou lembrado que nos governos anteriores manifestações como está tenham ocorrido, como também, não estou lembrado do ex-Governador Requião ter mandado bater em professores. Mas como em mídia tudo pode até ler cometários de marido da chita que é bem a cara do eleitor do Beto. Prefere jogar a culpa nos outros do que assumir os erros. E SÓ TENHO A DIZER UMA COISA AOS QUE SÃO CONTRA A EDUCAÇÃO. PARABÉNS A VOCÊS POR TEREM COLOCADO BETO NO GOVERNO. Hoje o Paraná e Curitiba são mais conhecidos que feijão com arroz, no mundo inteiro. Não somente pelo Lava Jato, mas pela truculência deste Governador e seus Secretário que tem o apelido de “Batman”.

  20. jorge
    quinta-feira, 7 de maio de 2015 – 15:57 hs

    SE MINHA AVÓ TIVESSE UM PINTO ….. TERIA EU DOIS AVÔS?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*