MP investiga supersalários na Unioeste | Fábio Campana

MP investiga supersalários na Unioeste

unnamed

O inquérito do Ministério Público que investiga eventual improbidade no pagamento de supersalários aos servidores da Unioeste e do HU tem novos desdobramentos. A 7ª Promotoria de Justiça requisitou ao TCE-PR cópias da tomada de contas feita na universidade e que apontou irregularidades no pagamento de gratificações por tempo integral e dedicação exclusiva. As informações são d’O Paraná.

Previsto na lei orgânica e no regimento interno do TCE, esse procedimento é indicado quando há a necessidade de quantificar a extensão e os responsáveis por condutas irregulares que impliquem em danos ao patrimônio público. A tomada de contas foi aberta a partir de comunicação feita pela inspetoria de controle externo e os técnicos apontaram gratificações instituídas de forma irregular pelo conselho universitário em 2012.

Segundo ficou apurado, apenas entre janeiro e maio de 2013 esse benefício gerou gastos adicionais de mais de R$ 8,6 milhões à instituição. A gratificação mensal fixada foi de 55% sobre o salário dos beneficiados. Os técnicos do TCE apontaram que a concessão da Tide na Unioeste fere o estatuto do servidor público, segundo a qual o benefício deve ser instituído por meio de decreto – e não resolução interna, como ocorreu.

Outro ponto do estatuto desconsiderado foi a jornada mínima semanal de trabalho para receber o benefício. A resolução da Unioeste estipulou 40h, quando a lei estabelece pelo menos 42h e meia. A Unioeste também desrespeitou a lei de responsabilidade fiscal ao criar despesa sem estimativa do impacto orçamentário e financeiro da medida.


6 comentários

  1. Luiz Carlos Moares
    segunda-feira, 11 de maio de 2015 – 14:00 hs

    ISSO É UMA VERGONHA. ONDE IREMOS PARAR COM TANTOS SANGUESSUGAS, CORRUPTOS MAMANDO NAS ESTRUTURAS DOS GOVERNOS?????????? R E V O L T A N T E .

  2. Adriano Mello
    segunda-feira, 11 de maio de 2015 – 14:39 hs

    Por que não exigem a publicação dos salários totais dos “professores” e técnicos das Universidades Estaduais?
    Ali há problemas muito sérios e ninguém comenta… as Universidades Estaduais vivem num mundo à parte, com super salários e super aposentadorias, dando em troca educação apenas razoável à população.
    Que quiser melhor formação, tem que recorrer depois a cursos de especialização e pós graduações.

  3. jaferrer
    segunda-feira, 11 de maio de 2015 – 16:19 hs

    A generalização somente interessa a quem costuma denegrir a todos. O comentário do Sr. Adriano é, no mínimo, rasteiro por ser generalizado. Os salários dos professores e técnicos das universidades (e falo pela Unioeste, que conheço bem) são informados no portal da transparência do governo. Não existem supersalários e a notícia não indica isto; pode, isto sim, como em muitos outros setores, haver distorções que devem ser corrigidas na forma da lei. Os salários das IES são de acesso público, como devem ser o de todos os funcionários públicos e acompanham os vencimentos médios das universidades federais. O que se está questionando é de quem é a competência para instituir o TIDE de alguns funcionários, não de todos. Sem o tide, os professores com mestrado, por exemplo, não alcançam os vencimentos dos professores do Estado com mesma titulação; isto vale também, a título de comparação, para outros setores do funcionalismo das IES. Quanto à qualidade do ensino, bem, os números e as avaliações dos últimos anos falam por si. O problema é que muita gente desconhece e critica por preconceito, tratando as universidades como nichos elitistas, coisa que definitivamente não são. Mesmo não podeno se comparar a São Paulo, o Estado do Paraná apresenta, proporcionalmente, o melhor rendimento entre todos os estados do país quando comparamos suas redes de ensino superior. Por isso, é sempre importante não colocar todos no mesmo pacote, generalizando, sob pena de perdermos o argumento e a seriedade.

  4. PRESUNÇOSO
    segunda-feira, 11 de maio de 2015 – 17:18 hs

    E na Unicentro então..

  5. Sandro
    terça-feira, 12 de maio de 2015 – 9:36 hs

    Mas como o pessoal da Unioeste ganha pouco..isso em 2013…

    Unioeste

    Quanto ganham?

    Cargo Salário

    Administradora R$ 18.386,30

    Agente de segurança interna R$ 5.526,34

    Assessor especial R$ 11.566,83

    Bibliotecária R$ 12.456,24

    Coordenador de curso R$ 12.203,79

    Diretor-geral R$ 28.607,12

    Motorista R$ 8.833,18

    Professor doutor – 40 horas R$ 9.452,97

    Reitor R$ 17.877,13

    Secretária-administrativa R$ 6.482,65

    Técnico em laboratório R$ 7.986,55

    Telefonista R$ 7.941,82

    http://cgn.uol.com.br/noticia/65961/super-salarios-se-repetem-na-unioeste

    e os caras insistem em dizer, na maior cara de pau…”não existe supersalários”….

  6. Paulo
    terça-feira, 12 de maio de 2015 – 9:38 hs

    E os super salários da fazenda/CRE?
    A maioria entre 20 e 30 mil! Pode isso?!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*