Fora Chioro, diz João Arruda | Fábio Campana

Fora Chioro, diz
João Arruda

unnamed

O deputado federal João Arruda (PMDB), coordenador da bancada paranaense no Congresso Nacional, disse nesta quarta-feira, 6, em Brasília, que a falta do ministro do ministro da Saúde, Arthur Chioro, na reunião da Comissão de Fiscalização é uma confissão da dívida de R$ 520 milhões que a União tem com o Paraná. “Ele é um irresponsável, não merece ser ministro da Saúde. Como não pode atender uma convocação da Câmara dos Deputados para prestar esclarecimentos?”, questionou Arruda.

Chioro fora convocado na Comissão de Fiscalização da Câmara dos Deputados para explicar as dívidas da União com o Paraná no âmbito da saúde. “A sua falta é uma confissão dessa dívida. E a União não deve só ao Paraná, deve também a outros estados. O ministro não pode mais ficar enrolando, tem pagar as dívidas, fazer pelo menos um cronograma de pagamentos”, disse o deputado.

A assessoria do ministro, segundo o deputado, ligou para a Comissão de Fiscalização tentando justificar e adiar a participação de Chioro na comissão. “Não precisa mais. O governo federal precisa ter mais responsabilidade perante o parlamento. Vou comunicar a liderança do PMDB e pedir providências. Se depender de mim, ele não é mais ministro da Saúde”, completou.


3 comentários

  1. Eloiza Helena
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 17:13 hs

    Demitir o Ministro é fácil, quero ver ele se ver livre do Gilson, kkkkkk

  2. blog do joaquinzao
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 19:56 hs

    mas este deputado Joao Arruda agora que acordou pois e um petistas rocho muito bem esta acordando agora

  3. Beatrix Kiddo
    quarta-feira, 6 de maio de 2015 – 21:59 hs

    Perguntar não ofende o guri, sobrinho do senador maluco, mas com que dinheiro? Ou você não sabe ainda que o Governo não paga mais ninguém? Tanto o desgoverno federal quanto o aqui da província só tem dinheiro para pagar a folha de pagamento dos seus servidores. E olha lá. Quitar dívida com a Saúde? Nem pensar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*