'Financial Times': economia fraca e corrupção afastam investidores do Brasil | Fábio Campana

‘Financial Times’: economia fraca e corrupção afastam investidores do Brasil

unnamed

O jornal britânico Financial Times publicou nesta terça-feira (12) um conjunto de reportagens especiais analisando a situação política e econômica do Brasil. O jornal lembra dos recentes escândalos de corrupção, dos problemas econômicos que ameaçam a prosperidade da classe média e de como essa receita ameaça a estabilidade do governo da presidente Dilma Rousseff. No mesmo dia em que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, chega a Londres para uma reunião com investidores, o FT destaca que, se o Brasil não voltar a crescer, seu grau de investimento deve cair. As informações são do Estadão.

O especial do FT conta com seis reportagens e um artigo escrito por Fernando Meirelles, ex-presidente do Banco Central. Segundo o jornal, os problemas econômicos e a corrupção tiveram reflexos severos na popularidade do governo Dilma Rousseff: “Em 2013, dois anos depois de assumir o governo, a presidente Dilma Rousseff estava entre os presidentes mais populares do mundo. Na época, 65% dos brasileiros achavam que ela fazia um trabalho bom ou excelente. Em março deste ano, no entanto, a situação era inversa, com 62% brasileiros achando que ela faz um trabalho ruim ou péssimo”.

Para o jornal, frente a isso, o governo reagiu: “Depois de afastar investidores com uma combinação tóxica de políticas pouco convencionais, intervenção estatal e um modelo econômico populista, a presidente Dilma Rousseff finalmente começou a fazer as pazes com o mercado”. As medidas tomadas, com a nomeação de Levy, foram custosas para a administração petista: de acordo com o jornal, a reeleição de Dilma se amparou em um discurso “anticapitalista”, e o corte de gastos implementados contraria esse discurso.

Mas o jornal faz elogios a Levy, tido como um economista confiável, “treinado pela Universidade de Chicago”. De acordo com o FT, investidores de longo prazo reagiram de maneira positiva à nomeação de Levy, mas aguardam novas definições da política econômica.

O jornal também destaca a dependência brasileira a exportação de commodities, como minerais e soja. Segundo o FT, desde o primeiro governo Lula, a exportação de commodities cresceu 29%, ocupando 49% da pauta de exportações. Por anos, a valorização desses artigos garantiu recursos que foram reinvestidos em programas sociais. Ao longo dos últimos anos, a demanda internacional por esses artigos, sobretudo por parte dos chineses, diminuiu, e os preços caíram. O jornal lembra que, para muitos, o importante, agora, é diversificar as exportações. Mas também destaca que podemos aproveitar a vantagem competitiva no setor de produção de carnes – o Brasil é o maior produtor de carne em todo mundo, uma vantagem em um contexto em que cresce a demanda por dietas ricas em proteína e refeições prontas.


5 comentários

  1. luiz
    quarta-feira, 13 de maio de 2015 – 13:51 hs

    Será mesmo? Então porque a China está trazendo 60 Bilhões de dólares para nossa infraestrutura. Será que chinês não é investidor?

  2. Beatrix Kiddo
    quarta-feira, 13 de maio de 2015 – 14:54 hs

    Não se espante não luiz, os chineses não dão ponto sem nó, e aprenderam com o tempo a só fazerem “negócios da China”. Só eles investem em “potências emergentes” como a Venezuela e a Argentina, isto no nosso continente. Investidores sérios não fazem negócios de risco. O que me espanta é a mudança de humor dos ingleses, até dias atrás rasgavam seda para nós, falando que o gigante acordou. Agora dizem o contrário, que o gigante não passa de um macaco em casa de louça.

  3. TARZAN
    quarta-feira, 13 de maio de 2015 – 15:05 hs

    PT, vocês conseguiram quebrar nosso País. Também com esses currículos Lula (analfabeto) e dilMÁ (guerrilheira) esperar o quê?

  4. Luigi
    quarta-feira, 13 de maio de 2015 – 16:33 hs

    Chama o nobre e provecto Senador Requião, amiguinho de Lula e Dilma, que ele apresenta a solução: demite o Levy e nomeia o Heron Arzua.

  5. Do Interior.....
    quarta-feira, 13 de maio de 2015 – 17:59 hs

    Luiz, o que vale não o que a china traz mas o saldo no final da conta. Ocorre que a maioria dos investidores estão sumindo do Brasil por causa da Corrupção, da roubalheira e pela política externa ser de “anão diplomático” pois o Itamarati só defende ditaduras e faz coisas antidemocráticas. Lá fora, o blá-blá-blá não funciona como nos beneficiários do bolsa família.

    Isso ocorreu por causa do PT, que implantou esta política errada e institucionalizou a corrupçao e a roubalheira nas estatais.

    Você precisa ler mais e raciocinar sem a propaganda petista.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*