Esse é um filme onde o bandido sempre vence | Fábio Campana

Esse é um filme onde o bandido sempre vence

rolo_filme_1
Ricardo Noblat

A essa altura, aos deputados do governo e da oposição que aprovaram a Medida Provisória 665 do ajuste fiscal só resta uma coisa a fazer: aprovar a Medida Provisória 664, também do ajuste, e torcer para que o governo cumpra o que prometeu.

O governo prometeu distribuir cargos do segundo e do terceiro escalão entre aqueles que lhe foram fieis. Desconfiados, os fieis queriam receber os cargos antes da votação da 664. Caso não recebessem, ameaçavam votar para reprová-la.

Mas de que adiantaria? Ao fim e ao cabo, ficariam sem os cargos que tanto querem. De resto, reconhecem que não haveria tempo para o governo entregar os cargos antes da votação da 664, marcada para a próxima semana. O jeito, portanto, é confiar.

A primeira leva de cargos contempla cerca de 150 deles. Cada afilhado de deputado empregado se compromete a tirar vantagem do cargo arranjando negócios para seu padrinho. Os negócios podem ser limpos, sujos ou suspeitos. Quase sempre são sujos.

O governo está cansado de saber disso. Mas finge que não. Quando estoura um novo caso de corrupção, o governo alega ser inocente. E garante que não ficará pedra sobre pedra, doa em quem doer, até que tudo seja apurado. É o que se vê a todo instante.

É o que continuará se vendo.


2 comentários

  1. Palpiteiro
    sábado, 9 de maio de 2015 – 14:07 hs

    No Brasil do lulopetismo os bandidos sempre vencem e o crime (de colarinho sujo) compensa, sobretudo se forem políticos. Do mensalão, afora os empresários, todos os políticos estão fora da jaula.

  2. Beatrix Kiddo
    sábado, 9 de maio de 2015 – 14:11 hs

    Adoro este Governo, sempre há lugar para mais um, filho, parente ou amigo de deputado ou senador só fica sem emprego se quiser. E depois o povo reclama que a coisa não anda no Serviço Público.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*