Educação confirma desconto das faltas dos professores em greve | Fábio Campana

Educação confirma desconto das faltas dos professores em greve

unnamedseres

A secretária de Educação, professora Ana Seres, confirmou que o governo está processando o desconto em salário dos dias parados durante a greve dos professores. Ana Seres lamentou, ainda, as mobilizações da PP-Sindicato em frente aos núcleos regionais de educação, impedindo a entrada de funcionários e o andamento dos trabalhos. São os núcleos que repassam à secretaria os relatórios de faltas dos professores. “Lamento tudo isso, pois os núcleos regionais têm que trabalhar, inclusive nos passando os relatórios de faltas”, disse Ana Seres na coletiva à imprensa nesta manhã desta segunda-feira, 25, em Curitiba.

No caso do Núcleo de Curitiba, que funciona no mesmo prédio da Paraná Previdência, os funcionários não puderam entrar e com isso foi prejudicado o andamento das perícias médicas e até o processamento do pagamento dos aposentados do Estado.

Considerando a decisão judicial que declarou a greve abusiva, o lançamento das faltas relativas ao mês de abril está sendo realizado desde a semana passada, para desconto no mês de junho. A secretária explicou que, se houver retorno às salas de aula, há a possibilidade de não lançamento de faltas. Portanto, havendo reposição, serão cancelados os descontos.

As faltas injustificadas geram diversos prejuízos à carreira dos professores, não apenas demissão. Com apenas uma falta, por exemplo, já há prejuízo na progressão na carreira. Com qualquer número de ausências em sala de aula fica comprometida a classificação em concurso para remoção (mudança de escola) e a partir da quinta falta o profissional pode perder o direito à licença especial (a cada cinco anos).


22 comentários

  1. Johan
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 8:55 hs

    Caro FÁBIO, com retardo de mais de 30 dias, os FROUXOS SECRETÁRIOS DO ESTADO do GOVERNO BETO, iniciaram procedimento de igualar e nivelar a discussão com os mercenários professores da rede estadual de ENSINO. Com os descontos sendo aplicados sobre os dias paralisados e as anotações respectivas e convocação e chamamento dos professores que estão na fila de espera para assumirem suas turmas, o jogo pode continuar com paralisações. Defendo a liberdade de opinião, liberdade de imprensa e liberdade de investigação. Apoio a mobilização dos CAMINHONEIROS e redução de R$ 0,50 por litro de diesel, apoio a RENÚNCIA JÁ da DILMA, agora no poder, para evitar que cometa maiores VEXAMES e VERGONHAS, praticadas contra a sociedade brasileira. Atenciosamente.

  2. Anderson
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 9:06 hs

    Eu como funcionário de empresa privada sou obrigado a descontar contribuição sindical todo ano,mas não sou obrigado a pagar para estes sindicatos aqui do Paraná,neste ano já recolhi para um de SP e próximo ano irei recolher para algum da região Norte do País. É vergonhoso ainda termos que pagar isso,não vejo credibilidade nessa gente e ainda sou obrigado a dar dinheiro pra essa corja vermelha.

  3. Estatística
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 9:40 hs

    Se realmente houver o desconto dos dias parados a reposição deixa de ser devida. Quem perde? OS ALUNOS.

  4. LENZA TOLEDO
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 9:52 hs

    O governador precisa exonerar esses grevistas terroristas e contratar aqueles que estão na fila e querem trabalhar. A fila precisa andar, governador!

  5. OPINIÁTICO
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 9:59 hs

    CARÍSSIMOS,
    A IMPRENSA ATUANDO EM PROL DA EDUCAÇÃO É LOUVÁVEL.
    MAS SERÁ QUE NÃO EXISTE BADERNEIROS NESSE CONTEXTO. SE FOR POSSÍVEL SEPARA O JOIO DO TRIGO É DE BOM ALVITRE..

  6. Anderson
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 10:09 hs

    Então ja que vai ser descontado… como q fica a reposição ? Professores terão que repor de graça ???

  7. Beatrix Kiddo
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 10:21 hs

    Quero ver até onde vai a macheza da categoria, quando a grana ficar curta, e não der para pagar as contas, será que a mão amiga da APT/Sindicato vai aparecer para dar uma ajudazinha? Dinheiro é o que parece não faltar para a APT/Sindicato.

  8. VLemainski - Cascavel
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 10:50 hs

    O governo não está fazendo nada de excepcional…Se a greve foi julgada ilegal, estou totalmente a favor do não pagamento dos dias parados… É o respeito ao dinheiro dos contribuintes… Não trabalhou, não recebe… Chega de esculhambação… A contracheque zerado fará a diferença… Pena que muitos bons professores estejam sendo ameaçados e também não receberão…

  9. Zé da Bota
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 10:59 hs

    Se eu não trabalhar todo este tempo em que os professores estão parados teria acontecido o seguinte: 1)-Meu patrão teria me mandado embora. 2)-Se ele não me mandasse embora descontaria todos os dias não trabalhados. Daí minha pergunta: se professor é um trabalhador igual a mim, porque esta regalia de não descontar nada, em que ele é melhor que eu…alguém me responde?

  10. Mariana
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 11:06 hs

    Sugiro descontar do que me deve: progressão (devendo desde outubro de 2014 +/- R$ 900), promoção (devendo desde abril de 2015 +/- 600), multa por atraso no terço de férias (+/- R$ 1400), 13% reajuste piso nacional (devendo desde janeiro de 2015 +/- R$ 3000), retroativo piso nacional de janeiro a maio (devendo desde 2011)….Ihhhhh passou do valor de um mês de trabalho….governo ainda continua me devendo….e isso que citei, só requerendo na justiça, mas um dia vem. Governinho cara de pau….quer descontar de quem ele deve.

  11. clarice franze
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 11:34 hs

    ACHO CERTO DESCONTAR, OUTRAS CATEGORIAS ESTÃO TRABALHANDO PARA ARRECADAR E PAGAR ESTES GREVISTAS.
    SE ESTÃO NESSA É POR OPÇÃO, ENTÃO AGUENTEM AS CONSEQUENCIAS.
    QUANTO A REPOSIÇÃO, É A SEQUENCIA DAS AULAS RETOMADAS, TRABALHAM E GANHAM.
    SE O GOVERNO VACILAR CADA VEZ QUE ESTA APP COMANDADA POR PETISTAS, CUTISTAS E LULISTAS MAIS OS DILMISTAS DESOCUPADOS DER UM PIO AMEAÇANDO IR PARA AS RUAS QUEBRAR TUDO, O GOVERNO PAGA POR ISTO, E AS OUTRAS CLASSES TRABALHADORAS SENTEM-SE DSMERECIDAS.

    DESCONTOS NELES.

  12. JOANITA APARECIDA DOS SANTOS
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 11:40 hs

    Votei no Governador Beto Richa , estou decepcionada com a indecisão se desconta ou não o salários dos grevistas, estou em sala de aula fazendo o meu trabalho sobre pressão, intimidação, esta semana os professores grevistas da Cidade de Inácio Martins além da pressão e intimidação que estavam exercendo sobre os alunos e pais, começaram outra estratégia ficando no portão de entrada do colégio por onde os alunos passam para intimida-los com sua presença. Pelo o conhecimento que tenho sobre meus colegas se assim posso chama-los, se as faltas não forem descontadas o Governador vai enfrentar 4 anos de greve na sua gestão. Pagamos impostos para o Governador administrar o Paraná para todos, e não ser Governador para um grupo de simpatizante do Pt, que nunca vai votar nele. Quando o Governo diz que vai descontar as faltas quase todos ligam e dizem que vão voltar na segunda-feira, o governo volta a trás os professores dizem que não voltam. Governador não acho justo os professores ficarem ganhando sem trabalhar. Muitos professores estão na greve para acompanhar os companheiros, mas no momento que for descontados as faltas eles trocarão os companheiro pelo salário, infelizmente é a única saída para retorno as aula desconto e contratação de outros professores. O que vejo é um grupos de pessoas desesperadas a procura de algo que nem eles mais sabem o que querem encontrar. Se o governo ceder os professores voltarão para a escola, ficarão duas semas passando vídeo sobre como dizem eles o massacre para manipular os alunos, vão trabalhar um pouco, um dia de trabalho e dois de atestados, quanto acharem que é convenientes voltam à greve. Sinto muito, mas não consigo ter outra visão da greve. Coragem Governador o povo que paga impostos e a maioria dos pais dos alunos já perceberam a intenção da greve e começaram a se manifestar contra. O sentimento de piedade passa rápido para quem trabalha e paga imposto, não se deixe manipular por deputados que faz média. Tome a tua decisão de manter o desconto e terá o meu apoio.
    Contrata outros professores para repor, na minha cidade a maioria e do interior e na reposição não sabemos se vai ter transporte, depende o município, os alunos estão preocupados, perderam a motivação de estudar, estão ficando revoltados, quem tem emprego na minha cidade ganha salário minimo, ou vive de bolsa família e leite do governo, querem fazer o Ensino Médio outros de EJA para irem a procura de trabalho em outras cidades maioires.
    Professora Joanita

  13. Vigilante do Portão
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 12:02 hs

    E o pessoal da APP, como sempre, falando em DIREITOS.

    Não pensaram, em momento algum, no DIREITO dos ALUNOS.

    Vou insistir na pergunta:

    Qual foi o reajuste dos Servidores FEDERAIS?

    5%.

    É verdade.

    E No ano passado?

    5%.

    Nada do pessoal do PT reclamar?

  14. Sérgio
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 12:04 hs

    É preciso fazer valer esta determinação! Fica um jogo de empurra! Vai para o Núcleo, o Núcleo empurra para os Assistentes (Documentadores), que empurram para os Diretores decidirem.
    Ai, os Diretores não mandam as faltas!!!

  15. Loop
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 14:26 hs

    Com a demora (forçada pela APP) … e a não remuneração pelas faltas dos baderneiros, o governo já pode conceder o percentual pleiteado. Vai dar na mesma que o reajuste, hoje, proposto e não aceito.
    Se o Beto estivesse interessado em abraços, (…), bem já não é o mesmo assunto.
    Parabéns governador!

  16. Educador
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 14:39 hs

    Sem reposição não tem duzentos dias letivos, aí sim quem será prejudicados serão os alunos, o Governo BETINHO só faz m…

  17. lou
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 14:59 hs

    Essa mulher é professora aposentada?
    Fico impressionado, pois ela está apoiando uma decisão do governo que reduz o salário dos professores. Muitas greves do passado certamente produziram acordos que a beneficiou quando em atividade.
    O que será que ela conversa com o travesseiro?

  18. lou
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 15:14 hs

    Eu não sou professor, mas minha irmã é.
    Ela é graduada pela UFPR, Pós-Graduada e com Mestrado, fez pesquisa no exterior, teve livro publicado fora do país.
    Ela é professora do Estado, está em greve e quer a reposição da inflação, tal como o TJ está dando aos seus servidores, TCE, MP, etc.
    Ela não está pedindo aumento, só a reposição, será que isso é pedir muito?

  19. Carlos
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 15:38 hs

    Boaaaa…. tem que descontar mesmo, vagabundo que não quer trabalhar não merece salário.

  20. ana
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 16:29 hs

    Bem se está descontando salários, obviamente que do outro lado retira-se o direito dos alunos da reposição de aulas. Afinal os professores que tiverem salários descontados não serão obrigados a repor aquilo pelo qual não receberem.

  21. Carlos
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 17:08 hs

    Se não reporem, simples, DEMITE. Bando de VAGABUNDOS.

  22. Luiz Eduardo
    terça-feira, 26 de maio de 2015 – 22:06 hs

    Se houver descontos, não haverá o que repor. A escravidão foi abolida há muito tempo. Os servidores e professores apenas querem o que lhes garante a legislação – a reposição da inflação.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*