Cidades, Educação e Transportes terão os maiores cortes no Orçamento federal | Fábio Campana

Cidades, Educação e Transportes terão os maiores cortes no Orçamento federal

d’O Globo:

O ministério alvo do maior corte no Orçamento, que será divulgado na tarde desta sexta-feira, será o das Cidades, onde serão contingenciados R$ 11,8 bilhões. O Ministério da Educação também sofrerá um grande corte de R$ 9,4 bilhões. Isso apesar de a presidente Dilma ter anunciado que o setor é a prioridade do seu segundo mandato. O Transportes terá uma diminuição de R$ 5 bilhões. Esses serão os três ministérios com as maiores reduções.

O contingenciamento será divulgado pelos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa. Segundo fontes da área econômica, o corte será próximo a R$ 70 bilhões. Se o valor for confirmado, representará R$ 10 bilhões a menos do que Levy havia defendido. Os dados do Orçamento serão divulgados em uma edição extra do Diário Oficial da União, que será publicada ainda nesta sexta-feira.

Hoje, foi publicada, no Diário Oficial, MP que eleva de 15% para 20% a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) paga por bancos. A medida é uma forma de compensar as perdas fiscais com as mudanças feitas pelo Congresso Nacional nas MPs que endurecem o acesso a benefícios trabalhistas e previdenciários. A previsão é que, com isso, a União arrecade entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões a mais este ano.

Nesta sexta-feira, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde afirmou que o contingenciamento de cerca de R$ 70 bilhões no Orçamento é um sinal de “coragem” e de comprometimento do governo brasileiro com o ajuste fiscal. A responsabilidade fiscal tem sido um assunto constantemente abordado pelo Fundo nos comentários sobre o país. Lagarde declinou, no entanto, avaliar se o corte será suficiente para ajustar as contas públicas.

– O que será anunciado hoje claramente demonstra a coragem política e a determinação para entregar as metas de superávit primário. Esse é o jeito certo. Não vou apressar conclusões se é muito, pouco ou suficiente. Precisa ser estudado claramente. Precisa ser avaliado em relação à inflação, ao crescimento. Nossos técnicos olharão os detalhes do decreto – destacou Lagarde.


2 comentários

  1. Johan
    sexta-feira, 22 de maio de 2015 – 17:31 hs

    Caro FÁBIO, há necessidade de parabenizar os professores da APP – SINDICATO, dos estudantes da UNE, e lamentar pelos alunos paranaenses, pelo sucesso alcançado na obtenção do corte de R$ 16,4 bi para a EDUCAÇÃO, justamente no desgoverno da DÉBIL PRESIDENTE DILMA VAGALUME então chefe da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA que definiu como lema o setor de máxima importância PÁTRIA EDUCADORA – ledo engano. Se um país com esse lema está sendo tratado dessa maneira, pode-se imaginar o que deverá ocorrer com o restante dos demais ministérios e da população em geral. Defendo a liberdade de opinião, liberdade de imprensa e liberdade de investigação. Apoio a mobilização dos CAMINHONEIROS e a redução de R$ 0,50 por litro de diesel, apoio a RENÚNCIA JÁ, da DILMA, agora no poder, para evitar que cometa, maiores VEXAMES e VERGONHAS, praticadas contra a sociedade brasileira. Atenciosamente.

  2. araujo
    sexta-feira, 22 de maio de 2015 – 19:09 hs

    Será que a pelegada da APPT vai fazer badeerna contra a Dilma pelo vultuoso corte das verbas da educação?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*