Sindicato diz que represálias aumentam motivação de professores para greve | Fábio Campana

Sindicato diz que represálias aumentam motivação de professores para greve

greve-professores

Da Banda B, por Luiz Henrique de Oliveira

O anúncio do Governo do Paraná de um suposto cerco policial no bairro Centro Cívico e do desconto do salário dos grevistas motiva ainda mais os professores da rede estadual de ensino, que iniciam a retomada da paralisação nesta segunda-feira (26). É o que garante Marlei Fernandes, secretária de Finanças da App-Sindicato. “Mais uma vez estamos defendendo os nossos direitos. Estaremos nas escolas pela manhã, mostrando que o movimento é legitimo e constitucional e pedindo que os pais voltem para casa com os alunos. Qualquer ameaça causa ainda mais motivação”, descreveu Marlei.

O principal motivo para a paralisação é a votação do projeto de lei que promove mudanças no Regime Próprio de Previdência Social do Paraná. “O governo está descumprindo com aquilo que prometeu durante a nossa última manifestação. Nós entendemos que o que eles querem é apenas aliviar o caixa prejudicando os servidores”, explicou a secretária de Finanças.

O projeto do governo propõe que cerca de 30 mil beneficiários com 73 anos ou mais sejam transferidos do Fundo Financeiro para o Fundo Previdenciário, que é constituído a partir de contribuições dos servidores. “Nós não admitimos que o governo mexa na aposentadoria dos funcionários desse jeito. Por isso, decidimos paralisar novamente as atividades”, completou Marlei.

Vamos em paz

Na entrevista, a sindicalista garantiu que o intuito dos manifestantes é protestar sem violência. “Nós queremos a categoria lá com tranquilidade e paz, porque não queremos nenhum confronto. Ficamos ali por 30 dias em fevereiro com muita calma e nada aconteceu, com exceção ao momento da invasão da Alep (Assembleia Legislativa)”, relembrou ela, negando que a App tem relação com mensagens, que estão circulando na rede social Facebook, que pedem aos professores que usem máscaras e luvas de proteção na região do Centro Cívico.

Cerco policial

Com relação a possibilidade de cerco policial, neste domingo a movimentação era normal e sem a presença de efetivo acima do normal. Apesar disso, a Polícia Militar do Paraná convocou mil policiais para proteger a Assembleia Legislativa (Alep) durante a votação dos projetos de ajuste fiscal que ocorre nesta semana. Segundo a corporação, o efetivo está de prontidão em casa e só sairá às ruas se for necessário.

Nota do governo

Em nota, o governo informou que já entrou na Justiça pedindo que a greve seja declarada abusiva e ilegal. Segundo o órgão estadual, o projeto da previdência está em discussão há mais de 50 dias e todos os itens são acordados com o funcionalismo público. Segue texto na íntegra:

O governo determinou hoje que as eventuais faltas a partir de segunda-feira, dia 27, de professores e funcionários da Educação sejam descontadas em folha de pagamento. Diretores e chefes de núcleo estão orientados a fazer as anotações e encaminhar os dados à Secretaria de Estado da Educação do Paraná. A nova paralisação vai comprometer gravemente o cronograma de estudos e, consequentemente, o rendimento escolar dos alunos, já que o calendário escolar teve que ser refeito uma vez.

Cabe ressaltar que a Procuradoria Geral do Estado já ingressou com medidas judiciais para decretar a greve ilegal e abusiva. Ao contrário do que ocorreu durante a greve do início deste ano letivo, a partir de agora serão anotadas as faltas para posterior desconto salarial.

Apontado como um dos principais motivos da retomada da paralisação, o projeto de lei 252/2015, que trata da revisão do plano de custeio do Regime Próprio de Previdência Social do Estado do Paraná, foi amplamente debatido durante cinquenta dias. Ficou claro que o projeto não altera em nada o pagamento de proventos a aposentados e pensionistas do Estado. Não há mais nada que possa ser dito contra a intenção do governo estadual de proteger o sistema previdenciário e equilibrar o caixa do Tesouro Estadual.


14 comentários

  1. Helena
    domingo, 26 de abril de 2015 – 20:43 hs

    Se vão mascarados é porque não é professor. Tem politiqueiros bandidos aí.

  2. João Silva
    domingo, 26 de abril de 2015 – 22:49 hs

    E a verdadeira face destes “professores” vai aparecendo! chantagistas e perdulários, canalhas e demagogos! Nossas crianças estão na m, enquanto a educação estiver na mão destes párias! A maioria nunca pisou em uma sala de aula! Tanto no sindicato daqui, quanto nós dos demais estados, a imensa maioria é formada de bandidos! Usam dos professores, e de uma retórica picareta para sensibilizar a população! Não cola mais… Enganaram por muito tempo! Cadeia neles, desconto para os que de fato trabalham mas se prezam a ser obedientes aos bandoleiros! Aqui não é uma república sindicalista! Quando questionaram Álvaro Dias sobre ter tocado a cavalaria em cima dos professores, existiu uma frase atribuída a ele, é desconfio que seja verdade..,,”não soltei em cima de professores, e sim de bandidos”. Passou da hora de privatizar tudo e acabar com estes sindicatos e seus apoios políticos, estas chantagens chinfrins e, principalmente, deixar aqueles que precisam (e que eles juram se importar) na mão…simplesmente, os alunos e os pais(no caso desta turminha) Está Marlei foi candidata, da onde veio o dinheiro? O outro que anunciou a greve, também tem suas falhas já conhecidas…em SP, Bebel Noronha delira e quebra tudo! No RJ professores e black blocs se abraçam….e a educação hahahahahahahaha!

  3. Luiz Henrique Alves de Souza
    domingo, 26 de abril de 2015 – 23:59 hs

    Compromisso firmado por Richa para por fim a greve de fevereiro: “Nenhum projeto sobre a previdência vai ser enviado sem uma ampla discussão com as diversas categorias envolvidas”. Compromisso assumido, compromisso descumprido.

  4. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 7:05 hs

    Represálias?

    Descontar dias NÃO TRABALHADOS, é represália?

    É LEI.

    Não trabalha?

    Não recebe!

    Simples.

    Como é Bom:
    Fazer GREVE, deixar milhares de alunos sem aula, depois, receber o salário INTEGRAL.

  5. Juca
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 7:47 hs

    Essa turma não quer trabalhar. O governo tem de agir com rigor,principalmente cobrando os prejuízos dos dias parados e a ALEP cobrando judicialmente os danos causados na greve anterior.

  6. Juca
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 7:48 hs

    Essa turma não quer trabalhar. O governo tem de agir c

  7. Do Interior.....
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 8:49 hs

    E o sindicato da Previ, Caixa e Postalis? Onde estão? Surrupiaram dinheiro das aposentadorias para os cofres dos quadrinheiros petista e emprestaram dinheiro para nada menos que a Venezuela, a fundo perdido, diga-se de passagem.

    O que tem a dizer os sindicatos destas classes. Porque não fazem greve? Porque TODOS os sindicatos são do PT. Por isso, caros professores, na próxima eleição, mudem totalmente os (maus) elementos do seu sindicado. A democracia é a alternância de poder.

    Quem sabe outras pessoas tirem as vendas colocadas pelos pelegos petistas do APP-PT-MST, que apoiam somente os mensaleiros.

  8. Maria
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 8:57 hs

    Tem algo errado os professores vão reivindicar que sejam feitas a coisas certas levam cacetada de PM e os deputados malandros que irão fazer a M… contra o povo são protegidos !

  9. Beatrix Kiddo
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 9:36 hs

    Adoro gente radical, são as pessoas mais fáceis de antecipar as suas ações. A ignorância de todo radical é sempre evidente, a verdade é a dele, ou dela, como quiserem. Conheci e convivi com muitos deste tipo, sempre prontos a reclamar, reivindicar mas sempre prontos a não fazer o que lhes toca. Trabalhar não é coisa de radical, é sempre mais fácil falar do que fazer.

  10. COELHO RICOCHETE
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 9:42 hs

    Desconto dos dias parados e umas borrachadas resolvem.

  11. Gardel
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 10:06 hs

    O PT mostra a sua face sórdida ao utilizar seus ruminantes para xingar e berrar. Vagabundos ligados à UNEA, funcionários públicos petistas disfuncionais e desocupados ocupacionais, analfabetos, massa de manobras e incapazes, zumbis socialistas. Gente esquisita, covardes, cavalos de São Jorge, zumbis a mando do PT.

  12. Antonio Alvaro Rosar
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 10:59 hs

    Esta APP ta igual time que não sabe perder, evita falar o nome do adversário que fez o gol.

  13. AGENTE
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 10:59 hs

    QUE TAL O SINDICATO DOS AGENTES COLOCAR NA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES QUE O GOVERNO DEFINA QUEM VAI COORDENAR O DEPEN QUE HOJE TEM DOIS DIRETORES E DOIS VICE DIRETORES NOMEADOS E RECEBENDO AS VANTAGENS DE UM CARGO DAS2 (O SEGUNDO MAIS AUTO DOS CARGOS DE ASSESSORAMENTO SUPERIOR) E FICAM NUM EMPURRA, EMPURRA E OS FUNCIONÁRIOS FICAM SEM SABER PARA QUE LADO CORRER. DISSERAM QUE IRIAM MUDAR E NA REALIDADE MANTIVERAM TODA A TURMA DO REQUIÃO. MANDOS E DESMANDOS SEM NINGUÉM FAZER NADA SÓ PROPAGANDA. JÁ QUE O SECRETARIO NÃO QUER SABER DO SISTEMA PENITENCIÁRIO QUE DEVOLVA PARA A SECRETARIA DA JUSTIÇA.

  14. João
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 18:28 hs

    Não quero mais que o meu suado dinheiro, que vai para os cofres públicos através dos impostos, seja utilizado para enriquecer (isso mesmo: enriquecer ) os dirigentes sindicais e para a construção das magníficas e faraônicas sedes dos sindicatos em qualquer cidade.
    Aplique-se esses recursos em saude e educação para a população carente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*