Para inglês ver | Fábio Campana

Para inglês ver

A retificação da delação premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, garantindo que não houve sobrepreço nas licitações da estatal e que o financiamento de políticos saia do lucro das empreiteiras, é para inglês ver ou atende a alguma manobra de eventuais interessados. Não mudará nada e nem será levada a sério. Se fosse um fato concreto, a Petrobras não teria quaisquer prejuízos. E não é assim: a estatal prepara divulgação de balanço auditado admitindo perdas de R$ 6 bilhões a R$ 10 bilhões com a corrupção na empresa.


Um comentário

  1. luis
    terça-feira, 14 de abril de 2015 – 23:23 hs

    Não acho que seja sem importância essa retificação, ela muda radicalmente a leitura que a mídia e a oposição vinham dando aos fatos!
    Então o dinheiro não é propina é dinheiro do Caixa oficial das empresas, isso faz toda a diferença,
    Acho até que demoraram para fazerem isso, pois se fosse propina teria que ser do Caixa 2.
    Quem pagaria propina com dinheiro do Caixa da empresa? Só se os contadores estivessem de férias!!!
    Se não houve sobrepreço então não aconteceu nada!
    Vejam que o cara está no fio da navalha e se ele mentir está frito!
    Só não entendo porque ninguém aborda essa nova versão reescrita pelo delator?!
    Será que a ficção será melhor sucedida que a verdade dos fatos?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*