'Eu não tolero desvio de conduta', diz Richa | Fábio Campana

‘Eu não tolero desvio de conduta’, diz Richa

unnamed

Neste sábado, 11, em Londrina, o governador Beto Richa (PSDB) disse que toda e qualquer denúncia envolvendo servidor público “é apurada de de forma imediata” e que não tolera “qualquer desvio de conduta”. “No meu governo, por exemplo, o Gaeco foi fortalecido. Colocamos à disposição e ampliamos o número de policiais civis e militares que fazem parte do Gaeco”, disse Richa para imprensa ao visitar a Expolondrina.

Richa também reafirmou que o empresário Luiz Abi Antoun não tem cargo, não faz parte, “não tem e nunca teve” influência no seu governo. “As investigações estão acontecendo e qualquer denúncia que tenha fundamentos é apurada de imediato. E se houver responsabilidade comprovada, os responsáveis serão punidos”, apontou.

Sobre as investigações do Gaeco sobre servidores da Receita Estadual, Richa disse que sempre determinou a apuração, até de forma veemente, de todos as denúncias que recebeu. “Nos meus quatro anos de governo, criamos todos os mecanismos possíveis e estamos acirrando ainda mais o combate a corrupção”, destacou.

“Qualquer denúncia, não só na Receita, mas em qualquer outra área do governo, é apurada de forma vigorosa. Todos que me conhecem sabem que eu não tolero desvio de conduta. Tenho 20 anos de vida pública, reta, limpa. Tenho o legado politico do meu pai (José Richa), legado de uma política descente, honrada e disso eu não abro mão”, completou.

Beto Richa também classificou como “ilação” a especulação de parte da imprensa que apontou o auditor fiscal Márcio Albuquerque, investigado pelo Gaeco, como parceiro do tucano em corridas automobilísticas. “Comigo corriam cerca de 100 pilotos. Nas 500 milhas de Londrina são mais de 30 equipes, em média três pilotos por carro e eu corri em mais de 15 carros ao longo destes 18 anos. Essa ilação de que ele era meu parceiro em todas as corridas não é verdade”, disse.

“Estamos acompanhando as investigações. Eu mais do que ninguém, quero que tudo seja investigado, totalmente esclarecido o mais rápido possível”. Richa disse ainda para imprensa que se ficarem comprovadas as denúncias contra Albuquerque “não tem a menor dúvida” quanto a exoneração do auditor.


8 comentários

  1. Anti-petista
    domingo, 12 de abril de 2015 – 11:33 hs

    Muito estranho o esforço do grupo RPC/PT em queimar o Beto.

  2. João
    domingo, 12 de abril de 2015 – 11:36 hs

    – Sr. Governador! – Não somos contra a apuração de desvio de conduta de quem quer que seja, desde que, realizados nos termos legais existentes, o que não é o caso para a Receita Estadual em Londrina, pois que, há excessos consideráveis nas mais variadas formas. Vejamos: 1º) uma das buscas e apreensões realizadas pelo GAECO na sede desta delegacia fora efetuada com respaldo em laudo equivocado elaborado por dois Auditores do MP que consideraram como planilhas de corrupção as planilhas utilizadas pelos Auditores Fiscais, no período de 01/11/2014 a 12/12/2014 quando do esforço concentrado (autorregularização, REFIS, cobrança de devedores de IPVA, cobrança de ITCMD com base em convênio com a SRF, etc.) para arrecadar fundos para o pagamento do 13º do funcionalismo no final deste ano. Algumas destas planilhas continham colunas com os títulos “Total sem benefício”, ”Potencial” e “% dispensado”. Os Auditores do MP, equivocadamente, consideraram o “potencial” como arrecadação efetiva ao Estado e “% dispensado” como o valor da propina dividido entre Auditores Fiscais e empresários. – Inconcebível! – O Delegado Regional de Londrina em entrevista à TV Tarobá/Londrina esclareceu tal fato, só que, a imprensa não deu ênfase a tal esclarecimento, nem mesmo o MP falou algo sobre. Com base neste laudo foi que o MP declarou que os prejuízos somavam a R$ 500.000,000,00 a R$ 1.000.000.000,00 de reais. Nada mais surreal, pois que, tratavam-se de planilhas de trabalho efetivo e não de corrupção. Ficou o fisco, sobre tal fato, indefeso, já que, a apresentação de tais planilhas importa em quebra de sigilo fiscal das empresas lá listadas. É só entrevistar o Delegado Regional que este esclarecerá novamente. O “% dispensado” das planilhas trata-se de dispensa legal à vista do REFIS do ano passado, com lei votada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo Governador do Estado. Lamentável que isso tenha ocorrido. – 2º) Os excessos continuam, pois que, hoje, basta a denúncia do empresário, de que este ou aquele auditor lhe exigira vantagem indevida, para que o mesmo seja preso, e isto, em tese, sem quaisquer provas inequívocas da suposta exigência. Afirmações de exigência de vantagem indevida tem de ser provadas sob pena de se tratar de crime de calúnia/difamação do servidor, e, neste caso, possui o servidor a seu favor a Exceção da Verdade, nos termos do § 3º do art. 138 e § Único do art. 139 do Código Penal. Será que a palavra do empresário suposto corruptor possui tanta credibilidade assim, que não se é dado ao Auditor Fiscal o direito de se fazer uso deste direito. Primeiro prendem para depois ouvir. – Será o correto? – Veja-se que a liberdade é a regra em um Estado Democrático de Direito como o nosso, sendo exceção a prisão e ou restrição do direito de liberdade. Como dito no início, não somos contra a apuração de supostos desvios de conduta de quem quer que seja, desde que, nos termos legais. A instituição RECEITA ESTADUAL encontra-se prejudicada, e em muito, com as declarações generalizadas dos Srs. Promotores a ponto de Auditores Fiscais se recusarem a trabalhos face a insegurança existente, já que, basta a palavra do empresário para se ir preso. Não há segurança para os trabalhos. Qualquer empresário que quiser embaraçar uma ação fiscal poderá fazê-lo, pois basta a sua palavra para o Auditor Fiscal ir preso. Notório e sabido é que está por vir aí novo REFIS. Será que os Auditores Fiscais terão o mesmo desempenho dos meses 11 e 12/2014? – Veja-se que não há segurança para os trabalhos. Promotores e imprensa convocam empresários a realizações de delações premiadas, só que, não esclarecem a estes empresários que INEXISTE DELAÇÃO PREMIADA EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA, isto, por ser, INDISPONÍVEL O TRIBUTO. Neste caso a delação premiada do empresário somente poderá surtir efeitos na esfera penal, pois que, não estará livre do pagamento do imposto sonegado quando do acordo feito com o Auditor Fiscal ímprobo. Responderá, este, pelo seu suposto desvio de conduta, porém, responderá o empresário pelo imposto não recolhido quando do acordo efetuado. Com toda a certeza, diante da INDISPONIBILIDADE DO TRIBUTO a autoridade fiscal ao tomar conhecimento dos fatos terá por obrigação de abrir procedimento fiscalizatório na empresa do delator a exigir o imposto não recolhido por ocasião do malfadado acordo. Trata-se de DEVER DE OFÍCIO da autoridade fiscal, sob pena de PREVARICAÇÃO. NÃO HÁ COMO SER DIFERENTE. – 3º) Complementando: TOMÁS DE TORQUEMADA, famoso inquisidor espanhol, se vivo fosse se sentiria inferiorizado ao tomar conhecimento de tais excessos ocorridos em Londrina.

  3. Zangado
    domingo, 12 de abril de 2015 – 11:38 hs

    Estamos no medievalismo político – “the king can do no wrong” – então permita-se os maiores malfeitos que o chefe sempre alegará que não sabia ou que não permitia, mas tudo conheceu até que virou caso de polícia.

    Só discursos onde caberia ter tomado cautela e probidade pública.

  4. Jose Carlos da Silva
    segunda-feira, 13 de abril de 2015 – 0:06 hs

    Todo preconceito é uma generalização, mas nem toda generalização é um preconceito.
    Quem comete crime são pessoas e não cargos ou profissões.
    Sempre que se diz que os auditores fiscais cometeram crime
    estão ofendendo toda a classe, generalizações que afetam
    famílias inteiras que nem conhecem os acusados.
    Crianças, filhos e filhas deste profissionais sofrem bullying
    nas escolas simplesmente porque autoridades irresponsáveis
    acusam cargos e profissões de cometer crime ao invés de pessoas.
    e se fazem isto por preconceito contra o cargo ou profissão crime estão cometendo.

    E até contra os acusados ainda generalizam informando patrimônio
    e condutas de um como se de todos fossem. Fazem isto de má-fé?
    Pois é comum qualquer do povo tomar uma cerveja com os amigos
    no boteco e falar mal da vida alheia sem maiores problemas,
    Mas uma autoridade falando na tv não pode ter esta irresponsabilidade.

    Sobre o caso, algumas curiosidades interessantes:
    1) O promotor Renato Torquemada de Lima Castro, generalizador mor do caso,
    tem dois carros do mesmo padrão dos dois carros mais luxuosos apreendidos do auditor Luis Antonio
    Uma Mercedes (carro de valor de mais de 100 mil reais)
    E uma Santa Fé (que tanto do auditor como do promotor, estão no nome das respectivas esposas)
    E ainda uma moto BMW de quebra, esta o auditor não tem.

    2) O outro promotor do caso, que se faça uma homenagem, pois não é tão irresponsável em generalizações
    quanto o anterior, tem também uma coincidência com o auditor Luis Antonio.
    Mora numa casa de luxo de mesmo padrão e no mesmo condomínio do auditor Luis Antonio.
    E só ver no site: www . raffoarquitetura . com . br / casa-cl
    http://www.raffoarquitetura.com.br/casa-cl
    ou na revista: winkmag . com . br / magazines / 21 /
    http://winkmag.com.br/magazines/21/

    3) Quanto aos outros presos, tem auditor ali que tem só um carro e uma casa simples,
    e foi jogado na imprensa que todos tem 40 milhões.

    Quanto às coincidências patrimoniais, isto não quer dizer nada contra os promotores,
    mas é pra eles verem como generalizações afetam todas as pessoas
    e famílias que não tem nada a ver com a história.

  5. segunda-feira, 13 de abril de 2015 – 6:54 hs

    Então pede para sair.

  6. luiz
    segunda-feira, 13 de abril de 2015 – 9:15 hs

    24 de março de 2015
    “Richa determina que Controladoria apure conduta dos servidores
    da Receita Estadual” A Receita Estadual terá 48 horas de prazo para apresentação das informações.
    Então as 48 horas já se passaram e a população quer uma satisfação dos resultados!!! Nada?
    Estamos aguardando, vai ser quando isso? Lá vem desculpas!!!!

  7. Jose Abreu
    segunda-feira, 13 de abril de 2015 – 22:55 hs

    O… Luiz…. Você não leu em cima não???? Não viu a matéria sobre o REFIS??? O “Inteligentíssimo sr. Renato” não sabe ler uma SIMPLES PLANILHA, … foi avisado … e mesmo assim continua insistindo no erro!!! Aliás… o sr. Renato também mora em um condomínio na zona sul…

  8. terça-feira, 14 de abril de 2015 – 19:09 hs

    Olha uma coisa é certa, esse País tá uma podridão só……..
    Não adianta ficar defendendo esse ou aquele….. tudo é podre…. só espero que a “justiça” seja realmente feita. Sou funcionário público e tenho vergonha de toda essa corrupção em todos os níveis…… todos mesmo…….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*