Decisão da Justiça respalda desconto dos dias parados dos professores grevistas | Fábio Campana

Decisão da Justiça respalda desconto dos dias parados dos professores grevistas

unnamed3

Além de declarar ilegais as greves dos professores estaduais e dos professores universitários, as decisões do desembargador Luiz Mateus de Lima respaldam a determinação do governo estadual em descontar os dias parados dos grevistas. O juiz também ampliou de R$ 20 mil para R$ 40 mil a multa diária a APP-Sindicato e de R$ 3 mil para R$ 10 mil a multa diária aos sindicatos e associações que representam os professores universitários. Os presidentes dos sindicatos também pagaram multa diária de R$ 500,00 se não comunicarem em cinco dias os professores do retorno imediato às aulas.


10 comentários

  1. SOMBRA
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 18:44 hs

    Esses políticos que aguardem 2018, nem para sindico de privada.

  2. Gardel
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 19:56 hs

    Esses ptralhas entrincheirados nos espaços que servem de abrigo à impunidade, promovendo ingerências descabidas e uso político. Fora ptralas.

  3. Juca
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 20:06 hs

    O difícil é fazer valer a decisão judicial, pois essa turma não é de cumprir a lei e as determinações judiciais.

  4. ser loque gomes
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 21:51 hs

    Essa turminha lembra mais manifestantes pró Guevara do que professores!

  5. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 27 de abril de 2015 – 23:42 hs

    Esse Pais está lascado,depender do TJ do Paraná ,eles tomando decisões tipicas de ditaduras,e o direito de greve?

  6. clarice franze
    terça-feira, 28 de abril de 2015 – 8:20 hs

    RECEBEM MUITO BEM, TEM TODOS DIREITOS GARANTIDOS, ADEREM À GREVE EM UM PISCAR DE OLHOS, DESCONTOS EM FOLHA? NÃO ESTÃO NEM AI.
    VANOS VER QUAL O PRÓXIMO MOTIVO À SER USADO PARA A PRÓXIMA GREVE,

    E ASSIM VAI A EDUCAÇÃO, DE LADEIRA ABAIXO……..

  7. Luis Antonio de Sá Barreto
    terça-feira, 28 de abril de 2015 – 8:49 hs

    Nada como uma ajudinha do Auxílio Moradia para comprar esses “juízes”, não é mesmo?

  8. eleitor de boa memoria
    terça-feira, 28 de abril de 2015 – 10:16 hs

    QUEM SABE ASSIM OS PROFESSORES VOLTAM A DAR AULAS E QUEM SABE ATÉ ENSINEM SEUS ALUNOS ALGUMA COISA JÁ QUE HOJE CHEGAM AS UNIVERSIDADES ALUNOS SEMI ALFABETIZADOS , O QUE É UMA VERGONHA. MAIS DE 70% DOS ALUNOS COTISTAS VINDOS DE ESCOLAS PUBLICAS DESISTEM DO CURSO NO SEGUNDO ANO POR NÃO CONSEGUIR ACOMPANHAR OS DEMAIS ALUNOS VINDOS DAS ESCOLAS PARTICULARES.É O FIM

  9. VLemainski - Cascavel
    terça-feira, 28 de abril de 2015 – 11:23 hs

    Engraçado é que ninguém dos grevistas manifestou-se contra os marajás dos serviços públicos… Creio que a próxima reforma deva ser esta… Direitos adquiridos?…

  10. Lucas
    terça-feira, 28 de abril de 2015 – 11:52 hs

    Se descontar ninguém vai repor os dias letivos, e sem os 200 dias letivos nenhum aluno pode ser promovido de série, então não sei como fica…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*