Brasileiro será executado 'em breve', afirmam autoridades indonésias | Fábio Campana

Brasileiro será executado ‘em breve’, afirmam autoridades indonésias

brasileiro - indonésia1

Autoridades indonésias disseram nesta quinta-feira (23) que esperam anunciar em breve a data de execução de um grupo de condenados por tráfico de drogas, depois que o tribunal mais importante do país rejeitou o recurso final de todos, com exceção de um. As informações são da EFE/Gazeta do Povo.

No grupo está o paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte, de 41 anos, preso há dez anos no país, acusado de tráfico de drogas. Mais da metade do grupo de 10 prisioneiros que devem enfrentar o pelotão de fuzilamento são estrangeiros. O caso tem abalado as relações do governo de Jacarta com Austrália, França e Brasil.

“Esperamos que a decisão da Suprema Corte sobre o último caso aconteça o mais rápido possível para que possamos determinar a data (de execução) em breve”, disse Tony Spontana, porta-voz do gabinete da procuradoria-geral do país. O recurso que falta ser analisado é de um cidadão indonésio.

A Suprema Corte rejeitou nesta semana os recursos de um francês e de um ganês, segundo relatos da mídia. Os demais membros do grupo são de Austrália, Brasil, Filipinas e Nigéria.

O vice-presidente filipino, Jejomar Binay, se reuniu com seu colega indonésio, Jusuf Kalla, durante uma conferência em Jacarta nesta semana para fazer um apelo por clemência em nome do prisioneiro filipino.

“Esse é um apelo baseado em considerações humanitárias”, disse Binay a jornalistas no final da quinta-feira. Questionado se previa um estremecimento diplomático entre os dois países vizinhos caso a execução vá adiante, ele disse: “Duvido”.

O presidente francês, François Hollande, alertou a Indonésia na quarta-feira que a execução causará danos nos laços entre os dois países, segundo relatos da mídia.

O governo da Austrália fez repetidos pedidos de clemência para os australianos Andrew Chan e Myuran Sukumaran, mas o presidente da Indonésia, Joko Widodo, os rejeitou.

Após a execução do brasileiro Marco Acher pela Indonésia em janeiro deste ano, a presidente Dilma Rousseff se disse “consternada e indignada” com o ocorrido e convocou o embaixador brasileiro em Jacarta para consultas.

Brasileiros

Rodrigo Gularte nasceu em Foz do Iguaçu, no Oeste do estado, e foi preso no aeroporto de Jacarta em julho de 2004. Segundo as autoridades indonésias, ele foi flagrado com 6 kg de cocaína escondidos em pranchas de surf.

No dia 17 de janeiro, o carioca Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi fuzilado na Indonésia. Ele foi o primeiro brasileiro executado no exterior. Archer foi preso em agosto de 2003, ao entrar no país, pelo aeroporto de Jacarta, com 13,4 kg de cocaína escondidos em uma asa-delta. Ele fugiu do aeroporto, mas foi localizado após duas semanas, na ilha de Sumbawa.

Em fevereiro, a presidente Dilma Rousseff decidiu adiar o recebimento das credenciais do novo embaixador da Indonésia em Brasília para reavaliar a situação bilateral entre os dois países. A Indonésia tem punições duras a crimes relacionados a drogas e retomou as execuções em 2013, depois de um período de cinco anos sem aplicar a pena capital.


8 comentários

  1. PRESUNÇOSO
    sexta-feira, 24 de abril de 2015 – 14:22 hs

    Já torturam o moço com 10 anos de xinlindró, para só após, o executarem. Q m. de país é aquele..

  2. Apartidário
    sexta-feira, 24 de abril de 2015 – 14:23 hs

    Lei é lei e deve ser cumprida. Por que não ficaram traficando somente aqui no Brasil. Já estariam livres pra traficar de novo. Acho que o Brasil deveria rever sua legislação e adotar medidas como essas da Indonésia e de outros países que não toleram esse tipo de crime.

  3. BigPeter
    sexta-feira, 24 de abril de 2015 – 16:37 hs

    E esse cara é de família super rica aqui no Pr. Precisava? – Claro que não. E mesmo que precisasse, nãopoderia ter feito.
    Tinha conhecimento de todos os riscos; não é tolo, nem demente. Se estivesse estudando,ou trabalhando, em vez de estar mexendo com essa merda, estaria no convívio da família, e dos amigos.
    Infelizmente para a família, e com todo respeito, esse idiota escolheu o lado errado da vida. E vai pagar por isso.

  4. ferreira
    sexta-feira, 24 de abril de 2015 – 17:10 hs

    Presunçoso, acho que a Indonésia deveria ser exemplo para esta m. de país.

  5. Calendário
    sexta-feira, 24 de abril de 2015 – 17:13 hs

    Pena pra família dele, mas e a família dos viciados !?

  6. Henry
    sexta-feira, 24 de abril de 2015 – 17:52 hs

    DEMORÔ….!!!!

  7. Juca
    sábado, 25 de abril de 2015 – 11:22 hs

    E que não deixem trazer as cinzas do ilustre para o Brasil, pois chega de poluição por aqui!

  8. Na Ativa
    sábado, 25 de abril de 2015 – 19:57 hs

    A presidanta ficou “consternada e indignada” . quantos morrem no Brasil pela falta de uma legislação séria e eficaz de combate às drogas e a corrupção?? Vá ficar indignada …. Ele sabia.. fez e agora que assuma os riscos…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*