Garis e coletores deflagram greve e Curitiba amanhece sem coleta de lixo seletiva | Fábio Campana

Garis e coletores deflagram greve e Curitiba amanhece sem coleta de lixo seletiva

greve - garis

Sem acordo com a Cavo, garis, varredores e serventes entraram em greve manhã desta terça-feira (17) por tempo indeterminado. A coleta de lixo e limpeza de bairros de Curitiba será afetada nas próximas horas, uma vez que apenas o serviço essencial será mantido. De acordo com o Simeaco, a Cavo aumentou a proposta inicial de reajuste salarial de 4% para 7,7% em março e mais 1,3% em setembro nos salários, além de 10% de reajuste nos tíquetes. Os trabalhadores, porém, rejeitaram a proposta fracionada. “Queremos um aumento justo e lutamos por melhores condições de trabalho. A proposta é insuficiente”, afirmou Manassés Oliveira, presidente do sindicato. As informações são da Banda B e do Bem Paraná.

O Simeaco afirma ainda que a Cavo não tem respeitado o número mínimo de três coletores por caminhão de lixo, que os uniformes de verão não foram entregues até agora e que não há equipe específica preparada para limpeza de acidentes. Uma reunião está marcada para acontecer às 15h de hoje entre o Siemaco e a Cavo no Ministério Público do Trabalho.

O salário de coletor é de R$ 1.118,00 e de um varredor de rua está em R$ 958,00 enquanto os tíquetes alimentação estão em R$ 266,40 e R$ 470,16, respectivamente. São, ao todo, 2,5 mil trabalhadores que cuidam da limpeza pública de Curitiba. As duas últimas greves, em março de 2014 e abril de 2013, tiveram dois dias de duração.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*