CPI na Assembleia vai investigar explosões de caixas eletrônicos | Fábio Campana

CPI na Assembleia vai investigar explosões de caixas eletrônicos

felipe-bkg11

A Comissão Parlamentar de Inquérito foi proposta pelo deputado Felipe Francischini (SD)

Um crime que tem virado moda em todo o país, a explosão de caixas eletrônicos, será investigada pela Assembleia Legislativa do Paraná. A proposta da criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso foi apresentada pelo deputado Felipe Francischini (SD) e aprovada pela Casa de Leis.

Com a assinatura de 51 deputados (de um total de 54), a comissão terá a missão de investigar atos criminosos relacionados à explosão de caixas eletrônicos, a comercialização, transporte, manuseio e emprego de explosivos por empresas sediadas em território estadual. “O número de crimes desta natureza aumentou no ano passado, e algo precisa ser feito. O objetivo da CPI é investigar de maneira profunda todos os desdobramentos destes crimes, além de constituirmos um grupo paralelo de estudos e fiscalização para apresentarmos possíveis soluções para essa onda de crimes”, afirmou o deputado.

A CPI também pretende investigar as medidas preventivas de segurança tomada pelos bancos para auxiliar os órgãos de segurança a inibir os atos criminosos. Em São Paulo, por exemplo, há maior controle sobre explosivos com a fiscalização do Exército; a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) repassa a localização de todos os caixas eletrônicos e de imagens captadas por câmeras de agências e pontos bancários e a entidade se comprometeu a instalar em 100% dos caixas eletrônicos mecanismos que previnam furtos, como placas mais resistentes de proteção, emissores de fumaça e dispensadores de tintas para inutilizar notas.

“Estes são exemplos de medidas e projetos de outros estados que estudaremos nesta comissão de estudos”, pontuou o deputado. A CPI terá 120 dias de duração, assim que for instalada, para conclusão dos trabalhos. Integram a comissão os deputados Missionário Ricardo Arruda (PSC), Artagão Júnior (PMDB), Rasca Rodrigues (PV), Francisco Bührer (PSDB), Professor Lemos (PT), Guto Silva (PSC) e Felipe Francischini (SD).

Dados

Balanço dos Sindicatos dos Vigilantes de Curitiba e Região Metropolitana (SindiVigilantes) mostra que em 2012, ocorreram 214 ataques a bancos, um aumento de 118% em relação aos números de 2011, quando foram registrados 98 casos. O dado mais alarmante diz respeito às explosões de caixas eletrônicos: em 2011 foram oito ocorrências, em 2012 o número saltou para 106, o que representa um crescimento de 1225% no Paraná.

Os arrombamentos de caixas eletrônicos também aumentaram: em 2011 foram 61, contra 74 em 2012, uma alta de 21%. Assaltos a bancos ou tentativas também subiram 17%, com 29 casos em 2011 e 34 em 2012.


8 comentários

  1. luiz*
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 8:51 hs

    Esse está começando cedo a prestar um bom serviço para seus eleitores…

  2. Kátia Flávia
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 8:55 hs

    É só colocar Polícia na Rua e não só serviços administrativos e horário servidor público!

  3. RISADINHA
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 9:12 hs

    Rombo de 500 milhões na Receita não interessa ao Legislativo do Paraná. Pets e caixas eletrônicos. É de dar anciã em porcos.

  4. ELEITOR 2
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 9:22 hs

    realmente a comissão é uma bomba, temos que ver se não vão estourar as contas publicas o povo ja esta cansando de pagar a conta daquilo que não comprou

  5. Carol
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 12:51 hs

    Quem foi que edito a cara desse pia? Não consigo saber se é pior antes ou depois…

  6. Sergio Silvestre
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 16:09 hs

    iSSO É PARA NÃO COMEÇAR AS OUTRAS CPI MAIS IMPORTANTES,ESSES SALAFRARIOS INVENTAM QUALQUER COISA PARA BARRAR AS MAIS IMPORTANTES,CAIXA ELETRÔNICO É PROBLEMA DE BANCO.

  7. Marvado
    terça-feira, 24 de março de 2015 – 22:19 hs

    Esse piá pançudo tem que saber que isso é problema do pai dele. Esse cidadão deve se preocupar é com o rombo nas contas do Estado praticados pelo chefinho do pai dele. Isso, como disse o Sergio Silvestre é problema dos bancos e não do povo paranaense.

  8. Lucio
    sexta-feira, 27 de março de 2015 – 14:54 hs

    Esse pirralho está falando sério? Tanta coisa séria pra ser investigada, na educação e na Saúde, e esse moleque vai me falar de investigar as explosões nos caixas eletrônicos? O papi dele está com dificuldades em descobrir e precisa de ajuda? Ou esse pseudo-deputado está com dó dos bancos????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*