Avesso a entrevistas, juiz da Lava Jato se comunica por meio de despachos | Fábio Campana

Avesso a entrevistas, juiz da Lava Jato se comunica por meio de despachos

Desde que a Operação Lava Jato ganhou visibilidade, há quase um ano, o juiz federal Sérgio Fernando Moro não concede entrevistas. Na última semana, o magistrado deu uma palestra para estudantes de Direito na Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, onde também é professor. Na saída, abordado por jornalistas de vários veículos de comunicação, foi perguntado se vinha sofrendo maior assédio das pessoas desde que o caso ganhou repercussão. “Assédio da imprensa”, respondeu Moro, que se esquivou cordialmente de mais perguntas com um ‘vou ficar devendo’ e se despediu. No mesmo dia, o Metro Jornal tentou conversar com o juiz, também sem sucesso. As informações são do Metro.

sergio moro - lava jato - metro (Clique na imagem para ampliar)

A reclusão de Moro, porém, não impede que suas opiniões ganhem destaque na mídia através de um instrumento corriqueiro do trabalho judiciário: os despachos. Desde 17 de março de 2014, data em que a Lava Jato foi deflagrada, Moro já abriu 19 processos criminais ligados ao escândalo de corrupção. A partir dali, todas as decisões para prender ou soltar investigados, bloquear bens, quebrar sigilos bancários e telefônicos ou negar habeas corpus, entre outras medidas, vêm acompanhadas de textos em que o juiz explica suas ações.

Nestes despachos, Moro já contestou justificativas de executivos para terem participado do esquema de propinas, rebateu acusações das defesas dos suspeitos e, recentemente, criticou encontros entre advogados de empreiteiros e o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Aos 42 anos, o juiz tem recebido atenção inédita com o caso da Petrobras, mas sua experiência em casos de corrupção e lavagem de dinheiro é antiga.

Formado em Direito em direito em 1995, na Universidade Estadual de Maringá (PR), Moro se tornou juiz no ano seguinte. Em 2003, conduziu o processo do Caso Banestado, que revelou a participação de políticos na evasão de quase US$ 30 bilhões para o exterior durante sete anos, escândalo que teve o envolvimento do doleiro Alberto Youssef. Com especialização em Harvard, nos Estados Unidos, ele é doutor e mestre em Direito.

“A corrupção não tem cores partidárias. Não é monopólio de agremiações políticas ou de governos específicos. Combatê-la deve ser bandeira da esquerda e da direita. Embora existam políticos corruptos em qualquer agremiação, não há partido que defenda a corrupção”


7 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 2 de março de 2015 – 11:03 hs

    Todo juiz zeloso sabe que boca fechada não entra mosca. Hoje em dia os holofotes da mídia atraem os insetos mais faladores possíveis, que falam demais sem ter nada a dizer. Além disso, todo bom magistrado sabe que processos cheios de fanfarronice e exageros acabam virando pó nas instâncias superiores e no STF, anulando anos de trabalhos duros.

  2. segunda-feira, 2 de março de 2015 – 12:59 hs

    Esse é JUIZ de verdade, que Deus o ilumine sempre e nos livre desse mal que atinge todo o país através desse Desgoverno PeTista

  3. AVULSO
    segunda-feira, 2 de março de 2015 – 14:02 hs

    CONTINUE ASSIM DR. SERGIO MORO. PARABÉNS E DEUS TE ABENÇOE.

  4. Dosel Jr.
    segunda-feira, 2 de março de 2015 – 14:28 hs

    Tenho duas referencias na área jurídica: Joaquim Barbosa e Sérgio Moro. O primeiro botou na cadeia os amigos e assessores de Lula. Quando tudo parecia água com açúcar chegou um jovem jurista até então meio no ostracismo.Chegou Sérgio Moro: era preciso alguém com vergonha na cara para parar os roubos na nossa melhor empresa, coisa que estava e está envergonhando o Brasil.

  5. segunda-feira, 2 de março de 2015 – 14:53 hs

    O Brasil seria outro, se tivéssemos mais Juízes como Dr. Sergio Moro!!

  6. Strapasson
    segunda-feira, 2 de março de 2015 – 16:14 hs

    Juiz Sergio Moro, um BRASILEIRO!!!

    Tenho muito orgulho dele.

    Em 15 de março, vou na manifestação, e farei no meu cartaz uma homenagem a ele, equipe e Polícia Federal.

    Vida longa a ele e equipe. Cuidem-se, viu?

  7. segunda-feira, 2 de março de 2015 – 17:51 hs

    Nos os brasileiros,geralmente somos covardes,mas nesta atual situação em que o Brasil,se encontra,esta sendo tudo roubado pelo PT,nos temos por obrigação de apoiar,defender,e colocarmos tudo para defender este HERÓI,da minha PATRIA AMADA O Brasil,nao gosto de violência,mas devemos colocar nossas vidas pelo Pais,apoiando o Dr Sérgio Moro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*