A tática dos desesperados | Fábio Campana

A tática dos desesperados

A tática da oposição, única que lhe restou depois da derrota no Paraná, é tentar arrastar para a vala comum todos os adversários. Dedica tutano, neurônios e recursos vários para fazer valer denúncias forjadas em mentiras e armações.

Não é difícil. Basta abrir uma denúncia no Ministério Público e providenciar-lhe espaço na mídia adestrada para que a manobra ganhe tintas de escândalo e o veneno da mentira surta efeitos.

Assim a política nativa chega ao seu patamar mais baixo, quando desaparecem idéias, convicções e projetos para dar lugar aos ataques vis recheados de um moralismo chinfrim que faz sucesso em nossa cultura habituada ao sensacionalismo das falsas revelações.

É o que restou a caterva de Dilma Rousseff e Lula nesta área do planeta. Como não consegue se defender das acusações baseadas em provas e testemunhos perante um juiz da estatura de Sergio Moro, a caterva dilmista lança seu fel de aleivosias contra todos que a criticam. Chegou a divulgar insinuações sobre o comprometimento de Moro com o PSDB. Baixou à sordidez de envolver sua mulher. Um absurdo.

Da mesma forma, há evidente propósito de atingir o governador Beto Richa. A oposição aproveita o período de maus bofes da população com todos os governantes que se obrigam a apertar os cintos para fazer frente ao desastre econômico do governo da União e atira contra o tucano, procurando associá-lo a denúncias de corrupção. Chega a atestar parentescos que não existem e lhe atribuem intenções que são pura ficção de marqueteiros.

É o desespero dos derrotados. Investem contra a imprensa que não domesticou e que lhe reserva argumentos críticos irrespondíveis. Mas logo se vê que esse esforço é inútil e que a verdade costuma se impor, ainda que muitas vezes com demora. Já o governo de Dilma Rousseff e do PT não tem como disfarçar a série inesgotável de casos de corrupção que brota de suas entranhas. O povo deu a resposta nas ruas e agora na pesquisa. Hoje, 62% desaprovam o governo de Dilma. Apenas 13% o consideram bom. É o fim de linha de uma experiência que se anunciou como modernizadora e termina como responsável pelo maior caso de corrupção no planeta.


6 comentários

  1. Juliano
    quarta-feira, 18 de março de 2015 – 14:06 hs

    e se eu entendi direito, a parcela de paranaenses que desaprova o governo Beto Richa é apenas intriga da oposição…

  2. Sandro Gomes
    quarta-feira, 18 de março de 2015 – 14:41 hs

    Fabio, tudo bem q vc é, indubitavelmente, pro-richa e com certeza é seu eleitor, mas negar o obvio? O Abi mesmo q náo fosse parente, tem acesso direto ao (des)governador.explique a foto em q ele aparece refestelado no sofá go gabinete e q posteriormente foi editada, explique Ezequias e o roubo dos cofres públicos e agora em cargo público, explique Caramori. O candidato mentiu na campanha inteira e agora ta pagando por isso pois foi descoberto.Defender sim, mas com coerência. Parabéns aos seus eleitores.

  3. louise
    quarta-feira, 18 de março de 2015 – 16:23 hs

    Bastidores.
    Dizem que não estão economizando azeite na fritura do Governador.Tem gente interessada em gerar muito stress, vai que ele pede um afastamento para aliviar a pressão!

  4. quarta-feira, 18 de março de 2015 – 16:28 hs

    Excelente texto, com precisão cirúrgica.
    É o choro e o desespero dos derrotados com a tática fascista.
    Ou seja, culpar o adversário daquilo que você faz, intimidar sempre, mesmo que as razões sejam patéticas e absurdas.
    Governo PTista perdeu o rumo ao descobrirem suas roubalheiras e agora só lhes resta apelar e tentar mudar o foco

  5. BigPeter
    quinta-feira, 19 de março de 2015 – 2:08 hs

    Querer negar o poder deletério, criminoso, do petismo bandido central, e seu sindicalismo chefiado por gangsters, tudo a serviço do projeto petista de perenização no poder, é burrice, ou canalhice.
    É lógico que Richa, por extensão o Paraná, são vitimas desse poder monstruoso, infernal comandado por Brasília.
    Ainda mais, contando com senadores do estofo de um Requião, e de uma Gleisi Hoffmann.
    Nossa esperança reside no Paranaense Sergio Moro, e sua equipe, para extirpar esse câncer pelos séculos dos séculos, do nosso meio.
    Richa é um herói. Fosse outro, já teria largado tudo, e mandado todos à pqp.

  6. Rudnei
    quinta-feira, 19 de março de 2015 – 11:03 hs

    É o Sandro Gomes folou tudo, parabéns pelas colocações, infelizmente mais uma pedra no mocassim do Beto.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*