A falência dos programas sociais de Curitiba | Fábio Campana

A falência dos programas sociais de Curitiba

Margarita Sansone, jornalista, ex-diretora das instituições e serviços da área social da Prefeitura de Curitiba no período em que seu marido, Rafael Greca de Macedo, foi prefeito, faz dramáticas revelações sobre a falência dos programas sociais na atual gestão de Gustavo Fruet. O artigo de Margarita, consistente e corajoso, é o que segue:

FAS-3

FAS-SOS, portas fechadas em Curitiba!

FAS1

Margarita Sansone

Pedra e cal sobre o portal da antiga casa de Socorro aos Necessitados. Lixo acumulado no portão. Silêncio e medo, onde antes havia atendimento e acolhida com solidariedade.

Curitiba inspira cuidados, aos 322 anos de sua fundação. Notória falência de serviços públicos que antes nos valeram o Prêmio Mundial do Habitat 1996.

O local, num prédio histórico de 1930, funcionou desde 1995 como FAS-SOS, central de atendimento a moradores de rua em situação de risco. Fechado pelo prefeito Fruet após 20 anos de exemplares serviços à nossa amada Curitiba.

A central 24 Horas FAS-SOS – acoplada à extinta Fazenda Solidariedade – chegou a acolhar até 800 pessoas por dia, com serviços de albergagem e promoção social. Serviço criado por esta repórter , através a Fundação de Ação Social de Curitiba, por nós instituída na gestão do então prefeito Rafael Greca (1993-1996). É inestimável minha gratidão à equipe de funcionários públicos municipais de então e, aos que na atual gestão, lutaram até o final contra sua extinção.

O que fazíamos ali é o mesmo tipo de serviço social de acolhida que o valoroso Papa Francisco acaba de instalar no Vaticano para os moradores de rua. A Barbearia do Papa – tal a FAS SOS já fez aqui na amada Curitiba – permite banho, serviço de barbeiro e higienização, troca de roupas, encaminhamento social, busca de trabalho, acesso hospitalar, passagens para reencontro com as famílias, para os barboni , como são chamados os mendigos em Roma.

Consultado sobre o FAS-SOS, o Google ainda refere a rua Conselheiro Laurindo 792, antiga sede da Sociedade Socorro aos Necessitados. E assegura em vistoso grifado azul – Atendimento 24 horas. (sic) É uma pena que a informação seja falsa.

A FAS já não faz…

Os moradores de rua , misturados ao lixo e a seus próprios dejetos, vivem em gravíssimo risco, nas calçadas e marquises de Curitiba.A FAS já não faz…


9 comentários

  1. Juca
    sábado, 28 de março de 2015 – 13:41 hs

    A maioria desses moradores de rua (moradores de rua?) é viciada em álcool,drogas,prostituição e vagabundagem. Assim, estou de acordo com que acabe essa coisa de assistencialismo barato.
    Se a senhora Margarita e o Sr. acharem por bem, que juntem todos os de “moradores” de rua e levem para a chácara “São Rafael das Laranjeiras” em Piraquara

  2. De olho nas notícias!
    sábado, 28 de março de 2015 – 14:19 hs

    É lamentável mesmo. Banho aos moradores de rua, hoje em dia, é só quando os caminhões pipa lavam as calçadas para expulsar essas pessoas. Um serviço que já foi modelo, a exemplo de tantos, acabar assim…..

  3. Pompeu
    sábado, 28 de março de 2015 – 16:56 hs

    Esse prefeitinho politiqueiro é uma lástima!

  4. Situado
    sábado, 28 de março de 2015 – 17:20 hs

    Que grave erro cometemos nós com nossa cidade. Como é fácil desmantelar um trabalho bem feito durante anos por muitas mãos. Aonde estão os vereadores que não legislam coerentemente protegendo a cidade dos desvaneios políticos? Porque não conseguimos montar uma estrutura efetiva feita por funcionários concursados, estes sim comprometidos com a cidade, que nos mantenha nos trilhos em tempos dificeis.

  5. Roberto Santos
    domingo, 29 de março de 2015 – 11:33 hs

    Sempre achei a Sansone meio “superstar”, mas tenho que concordar com ela que Curitiba está sem ADMINISTRAÇÃO nas áreas sociais. Fani Lerner , Fernanda Richa e Sansone foram as que nos últimos 30 anos, imprimiram com vigor um trabalho sério, eficiente, comprometi-das com políticas e ações voltadas aos menos favorecidos. A atual Secretária nem chega nem aos pés, do que elas fizeram. Uma pena

  6. marcello
    segunda-feira, 30 de março de 2015 – 9:52 hs

    Em uma rápida volta de bicicleta pelo centro de Curitiba no último domingo tomei um susto com a situação que vai desde a Av. Sete de Setembro, passando pela Barão do Rio branco e Riachuelo. Prédios e fachadas totalmente pichadas, alguns poucos comerciantes pintando as portas de aço também pichadas, trabalho que ao meu ver só serve para abrir espaço para novas pichações. Mendigos acordando do lado direito e também do lado esquerdo das ruas. Até barraca montada eu pude ver. Assim concluí que não são pessoas que dormem eventualmente lá, mas sim, pelo aparato que montaram, são “moradores” habituais do local. Lamento que a Curitiba da Senhora Margarida e eu conhecemos nos anos 90 ficou longe. Percebo o terrível fenômeno da “São Paulinização” que aportou silenciosamente em Curitiba e agora, em passos largos, estende seus tentáculos. Se não forem tomadas medidas de extrema urgência, logo não terá mais volta.

  7. indignado
    segunda-feira, 30 de março de 2015 – 14:31 hs

    Juca , não acabou apenas mudaram de lugar. Esse lugar que aparece na foto durante anos serviu de esconderijo para vagabundos devendo para a Lei, que saíam, roubavam o povo, machucavam e depois iam se esconder da polícia neste local. é justo esses marginais serem sustentados por nós e ainda por cima nos assaltarem com a anuência da prefeitura? O assistencialismo a vagabundos continua, está em outro local.

  8. Marcia marina van Erven
    segunda-feira, 22 de agosto de 2016 – 9:56 hs

    Sou sobrinha de uma das assistentes sociais da década de 60/70 da sociedade socorro aos necessitados, a tristeza que me abate é infinita, pois o patrimônio da sociedade é muito grande na própria João Negrão e imoveis de aluguel, na administração incopetente querem dizer aonde foi parar este patrimônio doado no inicio do século por um casal alemão para que cuidassem de seu filho doente? E os apartamentos vazios sem locação numa região procurada e muito valorizada, sonde ta esse dinheiro.? Choro pois quando pequena ajudava cuidar dos velhinhos lá dentro, morava de aluguel na João Negrão 539, via a dedicação de minha tia Regina van Erven em angariar recursos até nos fardos que vinham do estrangeiro para vestir os idosos? E agora essa politicagem sórdida não quer saber de ajudar os menos favorecidos nesta vida? Porque não conseguem roubar como um lula da vida, ? Enquanto o povo está em miséria? Fome e desamparo? Me expliquem como o aluguel da igreja que esta na propriedade da sociedade socorro numa localização mais do que privilegiada está sendo paga para quem? E os imóveis da quadra toda que pertencem a sociedade socorro Aos necessitados, ta indo para quem? No minimo se alguem investigar de verdade todo aquele nega patrimônio já passou para as mãos de mais um ladrão. Só que roubar de uma sociedade carente e esfomeada vai se responder para Deus.

  9. Eloise Vieira
    domingo, 19 de abril de 2020 – 15:26 hs

    Gostaria imensamente de saber porque estes imóveis estão abandonados. Podem servir de abrigo e cuidados aos moradores de rua em situação de risco. Fazer triagem e somente aceitar quem realmente precisa e quer ser ajudado.
    Porque manter estes prédios vazios, se deteriorando?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*