Roubaram talheres, xícaras, garrafas e jarras na Assembleia | Fábio Campana

Roubaram talheres, xícaras, garrafas e jarras na Assembleia

unnamed

A invasão da Assembleia pelos professores não foi pacífica como alegam os professores. Além dos estragos (portões, cercas derrubadas, portas de vidro despedaçadas) um rastro enorme de furtos foi registrado. Os prejuízos contabilizados até agora montam R$ 51 mil.

Os invasores da Assembleia, que incluíam militantes com prisão decretada por participação em outros distúrbios violentos, já devidamente identificados pela polícia, furtaram uma enorme quantidade de objetos. Entre eles 12 microfones Beta Shure. Também sumiu uma bandeira do Brasil, um mastro de bandeira, seis terminais de votação destruídos com partes levadas, 13 garrafas térmicas de café de 2,5 litros, 9 garrafas térmicas de 1,5 litros; 74 xícaras de café com brasão do Paraná, 24 copos de short drink, uma jarra de inox e um açucareiro.


27 comentários

  1. Coxa Branca
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 10:47 hs

    Se estivessem preocupados com o futuro dos alunos e a melhoria na qualidade da Educação, os professores já teriam terminado a greve. Mas como a preocupação é unica e exclusivamente salarial, então, unem-se a APP-CUT, e os alunos que se danem.

  2. Rogerio
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 11:02 hs

    Se roubaram, a assembleia repõem ja que roubam os cidadãos todos os dias. Campana que tal uma nota sobre o super salario do secretário da fazenda que com suas cadeira em conselhos, inclusive no Detran ganha mais de 100 mil por mes. Isso não é privilegio ? Tu concordas ? E outra, onde se escondeu o governador ? Esta mais que na hora de sair de baixo da cama pois a historia mostra que administradores covardes tem uma saída honrosa; a Renuncia .

  3. daniel
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 11:06 hs

    FORA PETEZADA DO DIABO!

  4. Gardel
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 11:11 hs

    Petralhada fizeram a festa.O PT é sinônimo de mal conduta, gente acostumada à cultura de usurpação do bem alheio para uso próprio. Traz em seu bojo, as piores personalidades da sua história. Nas agressões contra governos tucanos, encontra terreno fértil para a semeadura da demagogia. Nunca fazem isso contra governos ptralhas, veja o caso do Agnelo Queiroz. É um caso típico de safadeza aguda.

  5. JOÃO CIDADÃO
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 11:22 hs

    PREZADO COXA BRANCA,

    OU VOCÊ É MUITO DESINFORMADO OU ESTÁ DE MÁ FÉ POIS EM NENHUM MOMENTO DA GREVE SE COGITOU REIVINDICAÇÃO SALARIAL.

    EMBORA EU TENHA MINHAS CRÍTICAS PESSOAIS EM RELAÇÃO AOS INDÍCIOS DE CORRUPÇÃO NO SEIO DO PT, SEI TAMBÉM QUE NÃO É SÓ DO TEMPO DO PT, E ISTO, O FATO DA APP SER FILIADA A CUT, COMO A MAIORIA DOS SINDICATOS DO PAÍS, ISTO DE MANEIRA ALGUMA DESQUALIFICA O MOVIMENTO DE GREVE.

    ENTÃO PARE DE DISTORCER OS FATOS. ISTO É INADMISSÍVEL.

  6. O burro que não quer ver
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 11:38 hs

    Caro APAVORADO, você é o conhecido desinformado não é mesmo? Já rola pela internet a relação OFICIAL da depredação executada na ALEP, além desses vários itens que foi citado pelo ilustre Campana, tem outros com valores consideraveis, assim justificando o valor de 50 mil.

    Já acabou a razão desta greve, antes do carnaval, agora fazem corpo mole para voltar as salas, um monte de alunos no último ano, beirando o vestibular e só o que queriam é ter o conteúdo em dia para ocupar os finais de semana com estudos do cursinho ou domiciliar, e agora depois que voltarem vão ter que repor aulas aos sabados por conta do interesse exacerbado no dinheiro.

    Se existir “outra vida” escolham melhor suas profissões.

  7. Wilma
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 12:36 hs

    De quanto é mesmo o prejuízo desse governador ao Paraná?

    O que mesmo que o Coxa Branca disse? Perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado e não mostrar sua ignorancia

  8. Marilú
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 12:52 hs

    Caro Juca. Não será preciso mandar a conta para ninguém. Tudo será pago pelo nosso sindicato, como falou nosso presidente,e mais, sem usar recursos públicos , portanto deixe de fazer suposições e ataques e procure saber exatamente o que significa desmanche de escola pública. Ou você também nunca precisou dela????

  9. maria mazza
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 12:55 hs

    Algumas barbaridades.:

    …talheres e louças não estavam no plenário da ALEP.

    Não havia e nem há integrantes do MST em nosso acampamento .mas eles são trabalhadores dignos e não merecem esses comentários.

    Nem todos eram trabalhadores da educação.Havia muitas outras categorias junto e numa situação dessas muitos infiltrados podem..
    ter estado por lá .
    Uma professora , que eu sei quem é, recolheu e entregou para serem guardados os microfones., se a quem foram entregues, uma pessoa da ALEP, não os devolveu …. Apenas algumas considerações

  10. terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 13:01 hs

    Nossa… Já deu resultados com os Marqueteiros

  11. ana
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 13:02 hs

    Declaração feita pelo Presidente da APP, Prof. Hermes da Silva, amplamente divulgada pela RPC e demais meios de comunicação, confirma que o Sindicato dos Professores e demais representações de servidores públicos irão pagar pelos prejuízos. Nós que estamos lutando contra o desmonte do ensino público e do serviço público do Paraná não queremos de maneira alguma que a população pague por qualquer tipo de dano recorrente da nossa reação contra medidas tão perversas, medidas estas originárias da incompetência na gestão administrativa e financeira do Estado pelo atual governador e aliados.

  12. terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 13:02 hs

    Que verdade, marqueteiros do pr trabalham bem.

  13. Sandro
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 14:10 hs

    bem…vamos lá……quem invadiu a AL é responsável pelo vandalismo na casa…51 conto até agora deve ser cobrado desses baderneiros, que incluem, professores, membros da CUT, MST e outros “movimentos” que promovem a desordem……mas o prejuízo é muito maior, caros senhores.

    quanto custa ao estado as seguintes regalias:

    – 3 meses de férias a cada 5 anos…isso fora as férias normais…..quanto custa os funcionários que existem pra cobrir essa vergonha…
    – auxilio transporte quando os servidores estão de férias….pera aí….60 mil servidores tiram férias por ano…60 mil x 350 conto = 21 milhões……
    – custo da previdência paga pelo GE pra esses funcionários…..lindo se não fosse tudo dinheiro público…..
    – marajás que infestam as universidades estaduais, com salários de mais de 10 mil….ex; UNIOESTE paga 18 conto pra uma bibliotecaria….
    – auxilio moradia pra 20 super-homens…
    – auxilio gasolina pra deputados….

    caraca…vc que é cidadão normal, nos existimos e pagamos os impostos só por estado ( PR no caso ) bancar seus funcionários, 190 mil……..são bilhões gastos pra ter quase nada de retorno…..

  14. João
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 17:29 hs

    Funcionário público fazer greve é fácil. Nem os dias parados são descontados.
    Já viu greve de professor de escola particular? A consequencia seria: RUA.
    A propósito, de onde vem os altos valores recebidos pelos sindicatos? Ou V. não sabia que vem do governo federal, portanto nós pobres contribuintes é que pagamos?

  15. Lima
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 17:30 hs

    Paralelo ao movimento das praças e ruas, o governo tucano convocou o time da propaganda visando criminalizar os funcionários públicos. Marqueteiros pagos a peso de ouro se debruçam desde o último domingo (22) sobre uma estratégica de enfrentamento com grevistas na mídia. É a batalha da comunicação, que até agora Richa perdeu de goleada na opinião pública. A ideia de Richa, que já tentou carimbar professoras de “baderneiras”, seria vender a tese de que está cortando “privilégios” dos educadores, por isso a grita corporativista.

  16. Paposério
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 18:03 hs

    Eu não chamo isso de roubo, mas de confisco do que foi pago com o nosso dinheiro. Portanto não se roubou nada, só restituímos o que pertence ao povo e neste caso aos professores.

  17. João do NP
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 19:56 hs

    Estou começando a achar que a aversão ao PT e a associação do partido aos professores (pela minoria) é tão grande que esta surtindo efeito inverso…. O resultado é que os que se dizem oposicionistas não sabem o que defendem, já que também não tem moral nem ética para defender!!!

  18. professora atenta
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 21:42 hs

    Sandro, desordeiro é vc que não têm vergonha de postar INVERDADES a mando do Beto. Quanto custou mesmo a sua postagem delirante??????????????????????????????????

  19. silvana
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 21:45 hs

    Olá
    Não acredito que os professores furtaram o que quer que seja da Assembléia.
    Possivelmente no referido ambiente deve ter câmeras que fizeram os registros, é só examinar e cobrar de quem é de direito.
    Com toda certeza foram pessoas que não fazem parte da nossa luta pela educação.
    Não se deixem enganar e manipular !

  20. Deise
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2015 – 22:08 hs

    Onde está o Governador e sua vice?Alguém têm noticias deles.
    O Estado do Paraná tem ou não governo ? Será que eles sumiram junto com os talheres?. Quantas perguntas sem respostas.

  21. Professor Samuel
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 0:15 hs

    Sandro é só fazer um concurso, passar e vir lecionar…acho que vc não passa….rsrsrsr

  22. Amélia
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 3:08 hs

    Ops, vou pedir transferência para ser bibliotecária da UNIOESTE. Acho que tá sobrando zero aí, não tá não?
    Quanto à reportagem: o pior de tudo isso é que tem quem acredita.

  23. jaime rodrigues
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 8:49 hs

    QUEM GANHA SEM TRABALHAR

    ISSO É CAFE PEQUENO

  24. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 12:57 hs

    -Sacangem…levaram até o açucareiro!!!

  25. Mirelly
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 15:10 hs

    Acho interessante sua posição diante dos que você deveria defender. Estou todos os diariamente desde o primeiro dia de manifestação e vocês simplesmente ignoraram os apelos de SEUS eleitores e não tivemos escolha a não ser invadir para sermos ouvidos. E pode ter certeza que se a invasão não tivesse sido pacífica, o sr. e alguns de seus colegas não teriam a oportunidade de se esconder. E desafio qualquer um que diz que somos pau mandado do PT a vir em nossas manifestações e encontrar alguém de qualquer partido que seja entre nós sendo ouvido pelos professores. Acordem enquanto podem. Partido hoje, não significa mais nada.

  26. Juca
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 15:47 hs

    Marilu, com todo respeito, só acredito que teu sindicato vai pagar os danos causados na Assembléia Legislativa quando seu presidente publicar em Jornal de ampla circulação e nas redes sociais cópia do recibo ou comprovante bancário do pagamento. Quer fazer crer você que essa greve não é patrocinada pelos políticos que citei, pelo MST e por outros ramos da marginalidade nacional, quem sabe até pelo PCC.
    Só vocês ainda não perceberam que constituem massa de manobra dessa esquerda comunista que toma conta do país. Só vocês não percebem que foram vítimas do Requião quando estava no governo, que quebrou a Paraná Previdencia. Não foram os dois políticos citados por mim que desfilaram aí no acampamento de vocês no Centro Cívico. Quem não quer continuar como professor, peça a conta e vá fazer outra coisa, mas não seja trouxa servindo de massa de manobra dessa esquerda criminosa.

  27. Juca
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 15:53 hs

    Marilu, completanto, pois esqueci. Estudei sempre em escolas públicas, desde o primário até o curso superior na UFP. Sou do tempo em que os professores não ganhavam quase nada mas ensinavam mesmo, independe de condições do prédio. Estudei no primário em um barração sem divisões internas, a professora pela manhã dava aula para o primeiro e segundo ano. Ensinava as duas turmas ao mesmo tempo, e o estabelecimento de ensino era municipal e chamava-se “escola Isolada”.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*