Processo contra Acioli volta ao Tribunal do Júri | Fábio Campana

Processo contra Acioli volta ao Tribunal do Júri

acioli ---

O ex-deputado estadual Roberto Acioli (PV) voltará a responder no Tribunal do Júri ao processo criminal por homicídio em que é réu. A decisão foi do desembargador Prestes Mattar depois de ter sido informado pelo Ministério Público que Acioli não se reelegeu e, portanto, não tem mais direito a foro especial. As informações são da Gazeta do Povo.

Acioli é réu na morte de Paulo Cesar Heider, em 1999. O apresentador confessou que foi autor do tiro que matou a vítima, mas afirma que o disparo, com um revólver calibre 38, não foi intencional. O caso estava tramitando no Tribunal de Justiça até janeiro em função do fato de deputados não poderem ser julgados em primeira instância. No entanto, com a nova decisão, o caso volta para a 1.ª Vara do Tribunal do Júri.

Segundo a versão apresentada pelo ex-deputado à Justiça, ele acreditava que Heider estava envolvido em um assalto à loja de sua ex-mulher. Acioli afirma que seguiu o rapaz para cobrar explicações, mas que o jovem saiu do carro de maneira brusca. Acioli, que na época não tinha cargo público, encostou o sujeito numa caminhonete. Ele alega que, ao levar uma cotovelada, o revólver, que teria usado em sua versão apenas para controlar Heider, teria disparado sem querer.

Não há data prevista para o julgamento. A defesa e a acusação já tiveram prazo para apresentar as alegações finais. Em primeira instância, caso o julgamento chegue ao final, o veredicto será dado por sete jurados escolhidos dentre a população. O juiz, nessa situação, apenas estabelece a sentença, se for o caso.


13 comentários

  1. indignado
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 11:21 hs

    Esse cara é um safado vagabundo, na televisão posa de bom moço.

  2. Roberto Santos
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 11:29 hs

    O cidadão tirou o rapaz de dentro de um táxi, e executou sem mais nem menos, sob a alegação de que o mesmo teria roubado a loja da esposa. E vem alegar que foi acidental? quero entender que a arma apareceu por acaso na sua mão e que o tiro era só para assustar? O motorista do táxi, logicamente mentiu ao afirmar que houve uma execução sumária.

  3. LUIZ
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 12:16 hs

    UM PILANTRA E NADA MAIS,TANTO É QUE NÃO SE REELEGEU.

  4. quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 14:25 hs

    O taxista foi meu vizinho e sua versão nada tem a ver com a versão dada por Aciolly. Segundo o taxista, foi execução mesmo, no duro, alí na tampa. O Aciolly queria matar mesmo. Agora que o cerco está se fechando, ele diz que foi acidental. Sempre foi assim… você já viu um criminoso assumir a culpa diante da Justiça e da Imprensa?

  5. Alaor
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 14:46 hs

    Ontem na minha frente, vi dois safados assaltarem um rapaz que caminhava pela rua, se eu tivesse uma arma o mataria na hora ou se ele saísse na frente do meu carro naquele momento passaria 100 vezes em cima dele, não sei o motivo pelo qual o Acioli matou uma pessoa mas se foi por este motivo ele tem que ganhar um brinde. Chega ladrão em todos os lugares.

  6. bruno
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 15:23 hs

    Estou ao seu lado Aciolli, sei que foi um disparo acidental

  7. indignado
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 15:55 hs

    Ele ia muito ao Gato Preto, hoje Pantera Negra, ali na Hermelino, lá sempre cercado de policiais bandidos e vagabundos como ele , ficava ameaçando as pessoas.

  8. Antonio
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 16:04 hs

    O filho do Acioli, vereador Cristiano Santos do PV, é um mala sem alça, ficou muito boçal, ele encontra amigos e mal cumprimenta, conseguindo ex amigos.
    Pois bem, esse vereador que levou um fumo na eleição passada, é da base de apoio do prefeito Gustavo Fruet, poderá negociar com Fruet a vinda do deputado Rasca Rodrigues, para a gestão municipal, com isso seu pai, assumiria a vaga de Rasca, pois é o primeiro suplente, e o processo retornaria ao TJ. Claro, é preciso combinar com o Rasca, mas isso o Acioli poderá fazer, pois ao contrário do arrogante do filho, é humilde.
    Acho exagero essa “pauleira” em cima do Acioli, quem nunca errou que atire uma pedra.
    Se ele matou não cabe a nós achincalhar o ex deputado, deixem para a justiça.
    Quem conhece o Acioli sabe que é um lutador.

  9. toninho
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 17:16 hs

    Ele executou o bandido. E ainda não temos pena de morte. Isso na presença do taxista. Tem que arcar com as consequências, sim. Se o bandido pelo menos tivesse esboçado uma reação, quem sabe poder-se-ia dizer que foi acidental ou em defesa. Não é uma questão de achincalhar ou não. A partir do momento que o blog publicou a notícia, as reações contra e a favor são legítimas, inclusive com os comentários desairosos daqueles que o conhecem.

  10. BigPeter
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 17:28 hs

    Safado, ou não, Oh Indignado, lembre-se que ele apenas livrou-nos de mais um bandido, que hoje estaria por aí,roubando, assaltando, e matando.
    Se cada um de nós fizesse a parte que lhe cabe, certamente esse país já estaria livre dessa bandidagem há muito tempo. Inclusive de políticos.
    (Não conheço Acioli;nunca votei nele, e jamais votarei. Mas ele está certíssimo.)

  11. DE OLHO
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 18:10 hs

    Assassino safado!
    Tem que ir para o PAU!

  12. Ilha da Uta
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 18:12 hs

    Antonio, ele JÁ FOI lutador….de Telequete!!!!

  13. BigPeter
    domingo, 22 de fevereiro de 2015 – 3:24 hs

    Alaor; elematou porque o vagabundo assaltou uma pequena loja de celulares damlher dele.
    E fez certo. Vagabundo bom, é vagabundo morto.
    O resto aqui, são querlas políticas…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*