Moro critica advogados de empreiteiras por encontro com ministro da Justiça | Fábio Campana

Moro critica advogados de empreiteiras por encontro com ministro da Justiça

seeergio moro
Sérgio Moro fez o comentários ao negar liberdade a Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, considerou ‘intolerável’ e ‘reprovável’ a atitude de advogados de empreiteiras e acusados da Operação Lava-Jato de se reunirem com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Segundo ele, a mera tentativa dos acusados e das empresas de “obter interferência política” no processo judicial indica a necessidade da manutenção da prisão preventiva dos réus para garantir a instrução e a aplicação da lei e “preservar a integridade da Justiça contra a interferência do poder econômico”.

Moro fez o comentários ao negar liberdade a Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC Engenharia, que está preso desde novembro passado na sede da Polícia Federal em Curitiba, acusado de coordenar o “Clube das Empreiteiras”.

“Intolerável, porém, que emissários dos dirigentes presos e das empreiteiras pretendam discutir o processo judicial e as decisões judiciais com autoridades políticas, em total desvirtuamento do devido processo legal e com risco à integridade da Justiça e à aplicação da lei penal”, afirmou Moro.

Publicidade

Em seu despacho, Moro afirma que “não socorre os acusados e as empreiteiras o fato da autoridade política em questão ser o Ministro da Justiça. Apesar da Polícia Federal, órgão responsável pela investigação, estar vinculada ao Ministério, o Ministro da Justiça não é o responsável pelas ações de investigações, cabendo-lhe apenas dar à Polícia Federal as condições estruturais de realizar o seu trabalho com independência e, se for o caso, definir orientações gerais de política criminal e de atuação dela”.

Moro reafirmou a existência de provas e indícios da prática sistemática de crimes de cartel, de fraude à licitação, de corrupção e de lavagem de dinheiro por parte das empreiteiras e lembrou que a cada grande contrato da Petrobras eram pagas propinas a diretores e empregados da estatal, políticos e partidos políticos, corrompendo o regime democrático.

“Não se trata de um ou dois parlamentares, mas mais de uma dezena”, afirmou o juiz, acrescentando que parte dos crimes está sob a competência do Supremo Tribunal Federal (STF).


16 comentários

  1. AFANAZIO
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 – 22:16 hs

    vamos ver se nós brasileiros criamos a vergonha na cara, e os politicos tb, e caso esses não criem vamos fazer a nossa parte – q todo mundo sabe o q é ?!?!?!?!

  2. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 – 22:33 hs

    Ele criticou e depois foi em cima do muro como um bom tucano e se duvidar maçon.
    Da asco ver o JB depois de abandonar o barco aparecer agora e dar palpites.
    Da asco ver o sr Moro centrar somente em petistas e deixar bilhões em corrupção desde o banestado sem ninguém devolver um centavo sequer.
    O Brasil ainda tem uma elite mafiosa que mesmo o povo mandando por dose anos está sendo bombardeado e eles mesmo assim não voltam ao poder.
    Daqui ate 2018 vamos ver vacas voar e toda sorte de artimanhas e até guerrilha vai ter.Ou eles tomam o poder ou ficam amis esse seculo a ver navios.

  3. Felipe
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 – 23:18 hs

    O sr juiz esqueceu de mencionar o ministro da justiça, a principal figura deste encontro, e que tem muito interesse nas investigações..;

  4. Paolo
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 – 23:24 hs

    Moro, esperto que é, não quis comprar briga com o PT! Ele está “careca” de saber que foi o petista cardozo que chamou os divogados pra traçar umas estratégia mode blindar os CHEFES DO PETROLÃO, Lula e Dilma!!!!

  5. Luis Antonio de Sá Pereira
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 – 23:30 hs

    Será que o Moro está se inspirando no Barbosa e não na Constituição Federal? Ou, quem sabe o Moro não sabe diferenciar o que é Legal do que é partidário, uma lástima. Perdi a minha credibilidade neste “juiz”.

  6. João da Silva
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 0:39 hs

    Hum…que este encontro foi bizarro, não restam dúvidas…mas, e aí o juiz comete um deslize grave, os advogados podem usar de todas as maneiras para defender seus clientes…quem errou foi o Ministro da justiça que recebeu os advogados e fez promessas cretinas! Cuidado Juiz Moro, com a ânsia de transformar empreiteiros e intermediários nos maiores vilões do Brasil, vai favorecer aos bandoleiros! Estamos de olho

  7. FUI !!!
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 5:02 hs

    Apesar de opiniões que achem normal os advogados das empreitei-
    ras em procurar o Ministro Cardozo eu acho que é complicado estas
    atitudes porque demonstra claramente que estão tentando colocar as
    forças políticas no jogo. Os caras devem permanecer no xadrez indefi-
    nidamente.

  8. Juca
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 7:29 hs

    Vá firme aí Moro, não dê chance para essa quadrilha.

  9. GUSTAVO
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 9:25 hs

    ELES VÃO TENTAR DE TUDO…

    LADRÕES DO POVO BRASILEIRO…HÁ 500 ANOS ROUBAVAM O BRASIL…

    CONTRATOS SUPERFATURADOS…DISTRIBUIÇÃO DO DINHEIRO AOS PARTIDOS DA BASE DO GOVERNO…

    ERA UMA FARRA…

    AGORA É PRENDER OS POLÍTICOS E DEPOIS METRALHAR TODOS NA PRAÇA DA SÉ EM SÃO PAULO…

    NUNCA MAIS IRÃO ROUBAR…

    MORO E BARBOSA NELES…

    PT PEDE PARA SAIR…

    QUE VERGONHA…NOJO…SÓ MENTIRAS…

    IMPEACHMENT JÁ…

  10. João Carlos
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 9:30 hs

    Pela graça de um Deus que tudo vê, e muito em breve SE fará visível, é que temos Homens, com “H”, que não se deixam corromper, e não temem as ameaças de seres humanos corrompidos pela ganancia e falta de carácter. Parabéns Exmo. Dr. Sérgio Moro. Estamos orando por sua determinação em fazer o que é correto.

  11. Zangado
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 9:53 hs

    Corretíssima apreciação!
    Faltando argumentos jurídicos que socorram seus petroleiros, os advogados vão bater à porta do ministro?
    Pode-se imaginar o que foram pedir …

  12. A verdade
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 10:50 hs

    Os advogados tem que fazer de tudo para defender os seus clientes. Eles são a “longa manus” dos clientes. O Ministro da Justiça tem obrigação em receber advogados. Agora, o juiz não precisa reclamar disso. Isso demonstra só a fraqueza da defesa no plano judicial e a busca de uma saída na via administrativa. Eles não terão sucesso. Pois o Ministério da Justiça não pode interferir no processo judicial. Poderia ter interferido na fase do inquérito pois a PF está submetida ao Ministério da Justiça. Mas essa fase já passou para aqueles que estão em fase judicial. Se existir abuso na prisão, interrogatório ou nas condições carcerárias dos presos o caminho certo dos advogados é reclamar sim ao Ministério da Justiça.

  13. SYLVIO SEBASTIANI
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 11:21 hs

    Um coisa, com certeza a população brasileira gostaria de saber: “Quanto recebem esses advogados pela “causa” que abraçaram em defender esses réus?

  14. SYLVIO SEBASTIANI
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 11:28 hs

    Ministros de Estado e ainda da Justiça, conversando com réus? Que país é este? Porque ele não foi conversar com o advogado do Fernandinho Beira-Mar, o Juiz Lalau, os advogados de seus correligionários do PT, José Dirceu entre outros?
    Somente estes que tem dinheiro?
    Que país é este, que vale-tudo?

  15. quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 12:39 hs

    A Máfia montada pelo PT e certos aliados está s desmoronando, E assim vai ser, pois a Máfia Italiana, que era muito mais compacta e que sobrevivia por mais de um Século foi desbaratada devido a Juízes como Dr. Moro. O Império do PT está ruindo a medida, que a cada dia que passa são descobertos os depósitos em nome do PT e de petistas. A hora que chegar as contas do PT no exterior, como aconteceu, na campanha anterior, sob alegação de caixa dois, daí cai tudo. Essa sigla tornou-se MALDITA e é sinônimo de CORRUPÇÃO.

  16. xiru de palmas
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 13:10 hs

    O Ministro da Justiça não ocupa um cargo público? Então tem que atender o público.
    Seu eu for conversar com o Pelé, me transformarei num craque? ou será que o Pelé só pode receber craques para conversar.
    O Ministro, com certeza atendeu a uma agenda.
    Agora isso é precedente para manter os homens na cana?
    Se eles tiverem que ficar presos não deverá ser porque seus advogados estão procurando meios de os liberta-los.
    Me desculpe o Juiz Moro, mas esta atitude foi totalmente contrária aos princípios de direito.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*