Marcello Richa critica discriminação do governo federal ao Paraná | Fábio Campana

Marcello Richa critica discriminação do governo federal ao Paraná

unnamed

O coordenador de Estudos e Projetos do Instituto Teôtonio Vilela (ITV-PR), Marcello Richa, criticou neste sábado (7), durante o 4º encontro “Trocando Ideias”, a postura discriminatória do governo federal em relação ao estado do Paraná. “Se tivéssemos que combater apenas a corrupção do governo federal seria mais fácil, mas também temos que enfrentar a discriminação. O PT tem um projeto de poder e essa é sua única prioridade, desviando recursos que são de direito dos paranaenses para poder acomodar compromissos políticos e fortalecer seus projetos partidários”, afirmou Marcello Richa.

O tucano destacou que nos últimos quatro anos o governador Beto Richa travou uma batalha contra o governo federal para conseguir a liberação dos recursos do Proinvest. Lembrou que o governo do estado acionou o Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu três liminares exigindo a liberação dos recursos para o Paraná, e que até foi realizado pedido de prisão para o então secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin.

“Apesar de vencermos em todas as instâncias no STF, até hoje o Paraná não recebeu na totalidade esses recursos, que viriam para realizar obras de infraestrutura e de saneamento, melhorando efetivamente a vida dos paranaenses”, disse Marcello Richa.

“Como se não bastasse isso, ainda temos que ver o governo federal investir pesado nos seus companheiros autoritários na América do Sul e do Norte. É refinaria na Venezuela, obras de infraestrutura na Bolívia, porto em Cuba. É esse o Brasil que a gente queria, que ignora as necessidades da nossa população, mas não pensa duas vezes antes de destinar nosso dinheiro para países ideologicamente alinhados ao PT?”, questionou.


9 comentários

  1. Carlos
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 11:54 hs

    De novo essa choradeira?
    Quebraram o Paraná e querem achar culpados

  2. Palpiteiro
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 12:02 hs

    Esta história de discriminação federal explica muita coisa, mas não explica tudo. A verdade é que este governo pode até ter herdado um legado maldito, mas, seus membros não tiveram competência para inovar ou achar qualquer solução inovadora. Trouxeram um zé baiano que adotou medidas tão óbvias, que qualquer contador de galinheiro aplicaria. Subir preços, tarifas e impostos e atochar, não pagar credores e atochar o funcionalismo são medidas do tempo de Hamurabi.

  3. Beatrix Kiddo
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 13:36 hs

    Pelas declarações do filho do piá de prédio vê-se que o guri precisa crescer mais, porva que é muito novo, ingênuo mesmo. De tanto ouvir o pai meter a culpa em tudo que acontece aqui na província nas costas da camarada Dilma, acreditou. Agora vai pelo mesmo caminho. Coitado, se enganou. Aviso, não sou pestista nem tucano, odeio incompetentes, e odeio mais ainda gente que atribui os próprios fracassos à incompetência alheia.

  4. Sergio Silvestre
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 16:28 hs

    O gente,avia o imberbe ai que isso não cola mais e ele vai ficar até 2050 chorando empréstimos.Diga ao BABAI para começar governar.

  5. Carlos Tramontin
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 17:29 hs

    Filho de peixe,peixinho é! Filho de piá de prédio,piá de prédio é! Cala a boca seu playboyzinho,parem com essa mania de jogar a incompetência e irresponsabilidade do seu pai nas costas do Governo Federal.Até quando vai isso???Ficam dizendo que por ser PSDB sofrem perseguições do PT.Saibam que São Paulo é PSDB e não está falido,Minas Gerais ficou doze anos na oposição e também não está falido.Parem de reclamar e vão trabalhar,aliás falar em trabalho pra você e seu pai é pedir demais,pois nunca trabalharam na vida e o primeiro emprego do seu pai foi ser deputado estadual aos 28 anos,ou seja continuou não trabalhando.

  6. domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 20:24 hs

    Curitiba: 08/02/2015

    Que pena este rapaz tentar passar para a sociedade uma realidade que não condiz com a verdade. O governo do Paraná ficou 4 anos, sem um planejamento estratégico compatível com a história política e desenvolvimentista do Pr. Segundo o Jornal O Globo o estado, está com os gastos com servidores no limite da responsabilidade fiscal.
    O governo não apresentou para a sociedade alternativas para o desenvolvimento que era esperado; não tem projetos de desenvolvimento. A secretaria de planejamento que sempre foi uma usina de idéias, foi totalmente deixada de lado. Não temos projetos. Em breve teremos também também uma crise hidrica no Paraná, e não temos planejamento de médio e longo prazo para resolver a situação. Portanto o governo deveria parar de enganar a sociedade e começar a governar para o povo do Pr. A educação está em crise. Nunca houve tanto abandono no ensino médio; o ensino fundamental está abandonado, nossos alunos têm desempenho pífio nos testes nacionais. A segurança é um caos. Então arregassem as mangas e comecem a trabalhar e parem de culpar os outros. Estamos de saco cheio desse jogo de empurra.

  7. zangado
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 21:16 hs

    O filho defende seu pai com argumento que lhe favorece, é bonito isso.
    Mas esse é um assunto.
    No mais a gestão de seu pai foi um desastre para o erário público, porque em vez de ser probo foi inadvertidamente pródigo resultando para sua segunda gestão numa “herança maldita” que ele próprio não foi diligente em evitar.
    E agora quem paga é a sociedade.
    Isso não é bom nem bonito.

  8. PRIORADO DE SIÃO
    domingo, 8 de fevereiro de 2015 – 21:21 hs

    Marcello, aposta em boas leis, cultura e indústrias !!

  9. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015 – 12:53 hs

    -Mas a herança política dos Richa, continua na mesma linha e com o mesmo discurso!!!
    -Fique quieto “piazinho”…seu pai não tem capacidade administrativa alguma, se esquiva dos problemas colocando a culpa nos ombros de outros e não arregaça as manga para trabalhar pelo que foi eleito e reeleito!!!
    -Melhor mudar o discurso!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*