Fruet vira as costas para a RMC, diz Akel | Fábio Campana

Fruet vira as costas para a RMC, diz Akel

unnamed

O presidente da Comec, Omar Akel, disse nesta terça-feira-feira (3), após a prefeitura de Curitiba anunciar a nova tarifa do transporte público, que o governo estadual continuará as negociações para manutenção da integração física e tarifária do transporte público na região metropolitana. “Essa é uma conquista social histórica que precisa ser preservada. O Governo do Paraná fará de tudo para que a integração seja mantida”, afirmou Akel, em entrevista á rádio CBN.

Akel lamentou a decisão da prefeitura de Curitiba, que ameaça a integração, de anunciar uma tarifa específica para ônibus que circulam dentro da capital. “Curitiba olha apenas para o seu interesse virando as costas para o transporte metropolitano. Esquece que os moradores da RMC movimentam a economia da cidade e representam uma dinâmica social que está sendo construída há anos”, afirmou Akel.

Ele ressaltou a importância da recuperação do equilíbrio tarifário e financeiro do sistema. A Comec manterá as conversas com os 14 prefeitos da RMC para encontrar uma solução. Além disso, prepara um estudo técnico para estabelecer uma nova forma de operação que preserve as conquistas da população metropolitana. “A sustentabilidade do sistema é primordial para garantir um transporte de qualidade para a população e é nesse objetivo que devem ser centrados todos os esforços”, afirmou Akel.


6 comentários

  1. josé carlos de andrade
    terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 – 20:14 hs

    Eu quero ver é esse Governador explicar para o povo, que não paga as férias dos funcionários, aumenta o ICMS, aumenta o IPVA, demite os professores, não tem dinheiro para manter a RIT… mas pagar R$ 300 milhões para o CAP ter a ARENA, isso eu quero ver.

  2. fernando pereira
    terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 – 20:28 hs

    Em 2016, a briga pela eleição de prefeito vai ressucitar vários “,mortos vivos”…. Tarifa d onibus, etc.Rato jr., Renata Bueno e ” outros” vão deitar e rolar. E o povo??? Kkkkkk….na mesma!

  3. FISCAL DE REALEZA
    terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 – 20:36 hs

    é facil entao é só ele pagar a conta que pronto mas com velhaco como o BETO nao da para confiar nem um poquinho sujeitinho miseravel

  4. Amarelinho
    quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015 – 8:40 hs

    Isso é uma grande mentira,
    eles não estao interessados o povo,
    mas em manter os lucros nos bolsos, pois são amigos dos empresarios ou são os proprios empresarios,
    porque quem anda 3 km, 10km na cidade, tem que pagar a passagem igual a quem anda 50 ou 70 km?
    porque o Estado tem que bancar prejuizo de empresas privadas, que sempre recebem o pagamento a vista (passagem) ou até adiantado (cartão transporte)?
    São empresarios gananciosos que querem esfolar o povo e o dinheiro publico.

  5. Zangados
    quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015 – 9:18 hs

    Essa conquista social da tarifa integrada está sendo posta abaixo pela incompetência e inapetência do governador desde quando era prefeito; em vez de resolver o problema celebrou contratos desastrosos e depois subsidiou empurrando com a barriga a solução; porque o ministério público estadual, espelhando-se no federal, não abre uma será investigação de tudo isso dando resposta à sociedade e mostrando que faz jus à sua condição de instituição mais regiamente paga pelo povo para defender seus direitos indisponíveis como é o transporte público?

  6. Roni Capote de Oliveira
    quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015 – 11:30 hs

    Equilíbrio tarifário? Acordem senhores, menos da metade dos municípios da RMC tem integração de transporte. Estou morando em Quatro Barras há três longos anos e o transporte público da cidade é uma vergonha, aliás lá a passagem já custa mais de R$ 3,00 faz tempo… Minha opinião pessoal é de que o prefeito Gustavo Fruet deve sim administrar a cidade de Curitiba e não a RMC. Considero um absurdo o poder público de qualquer esfera ter que bancar o custo de empresas e contribuir com o lucro das mesmas, aonde vivemos? Se o governo banca parte do custo/lucro então quem paga a conta somos nós, usando ou não usando as linhas. Realmente é vergonhoso como o sistema de transporte brasileiro funciona… e a cada dia vai ficando mais fácil de entender porque vivemos patinando enquanto outros países ditos emergentes vão tomando a frente…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*