Fruet chuta o balde | Fábio Campana

Fruet chuta o balde

do Celso Nascimento, Gazeta do Povo:

O prefeito Gustavo Fruet não parece preocupado em se reeleger: o aumento, numa paulada, da tarifa de ônibus de R$ 2,85 para R$ 3,30, e mais a confusão armada com a desintegração tarifária das linhas metropolitanas são fatos mais do que suficientes para o eleitorado, frustrado com as esperanças que depositou nele em 2012, prefira não renovar seu mandato em 2016.

Para sustentar a hipótese de que Fruet despreza a possibilidade de permanecer no cargo, há que se pensar que sua atitude de chutar o balde tenha sido obra do seu senso de responsabilidade com o interesse público. Isto é, ao invés de inventar moda e tomar medidas “populares” para evitar o aumento, optou pela preservação de outras prioridades.

Ele poderia, por exemplo, pegar a planilha do transporte coletivo e passar a tesoura em alguns itens. Preferiu não fazer isso por duas razões: a planilha é peça constante do contrato que o município firmou em 2010 (gestão do então prefeito Beto Richa) com os consórcios do transporte coletivo. Segundo, porque o corte unilateral de qualquer item imediatamente leva os consórcios à Justiça, onde sistematicamente ganham as causas e tudo fica como está.

Já aconteceu isso no começo de 2014, quando Fruet foi à Justiça para pedir-lhe que considerasse ilegais dez itens da planilha, alguns deles referentes a tributos devidos exclusivamente pelas empresas, mas embutidos na tarifa. Quem paga o IPVA dos ônibus e o imposto de renda sobre o lucro dos consórcios é o usuário. O sindicato dos empresários recorreu, ganhou a pendenga e tudo continuou nos termos do contrato, ainda que injustos.

Como já se viu no caso do pedágio, por exemplo, não existe aquela coisa de “baixa ou acaba”. Ou se respeitam os contratos até que a Justiça reconheça que eles contêm ilegalidades, ou o poder público arca com subsídios para não deixar a passagem subir tanto quanto preveem as cláusulas firmadas. Ou, em hipótese extrema, os usuários pagam o valor cheio da passagem.

Fruet ficou no meio termo: nem o passageiro pagará tarifa cheia nem o orçamento municipal será sacrificado com subsídios maiores e impagáveis, que subtraem recursos da prestação de outros serviços essenciais, como saúde e educação.

Mas, para poder ficar no “meio termo”, adotou uma solução radical ao se recusar a cobrir a parte dos custos de manutenção da rede metropolitana que cabe ao estado. Jogou este abacaxi para o governador Beto Richa, a quem legalmente compete administrar as linhas intermunicipais. No fundo, entretanto, a inteligência que há décadas inspirou a integração metropolitana do transporte foi abandonada. Isto é, houve um retrocesso no tempo de difícil superação.

Culpa apenas do prefeito? Não estritamente. Ela deve ser dividida em pelo menos três momentos históricos: (1) aquele de 2004, quando o então prefeito e hoje governador baixou as tarifas para aquém dos custos reais por motivos eleitorais e gerou o ovo da serpente que ainda hoje dá crias; (2) o de 2010, quando ocorreu a licitação e se firmou com os empresários do transporte um contrato lesivo para os usuários; e (3) o momento atual, quando o governo estadual, com as finanças tão quebradas quanto as municipais, tergiversa quanto ao seu dever de responder pelas linhas intermunicipais.

Desculpas existem dos dois lados, mas todas caem no colo da parte mais indefesa do sistema – a população que paga, além da passagem, muitos impostos; e a economia em geral, que não funciona se o transporte parar ou não for bom. Lembrem-se: a Associação Comercial do Paraná calculou em R$ 500 milhões o prejuízo causado pelos dois dias da greve do ônibus no mês passado.

A propósito: o comércio reclamou do prejuízo que teve em dois dias de greve, mas este prejuízo – meio bilhão de reais – é metade do que custa o transporte um ano inteiro. Entretanto, desconhecem-se sugestões ou iniciativas do empresariado para evitar que greves se repitam indefinidamente. Sem contar a culpa dos próprios empresários do transporte, que pensam mais nos lucros do que na responsabilidade social da atividade que exercem.

Enquanto isso, aparentemente alheios à realidade, promotores e supostos defensores da economia popular dão-se a palpitar interminavelmente – como se tivessem soluções a oferecer.

Para finalizar, anote-se: motoristas e cobradores querem aumento salarial este mês de 17%, muito acima da inflação e com impacto sobre a tarifa que acaba de ser reajustada. Teremos nova greve?


18 comentários

  1. Roberto
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 14:29 hs

    Não entendi se o Colunista apoia o Gustavo ou é contra…

  2. Marcos
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 14:43 hs

    Em 2013 e 2014 teve aumento das tarifas ? …se não houve aumento neste período, logo só está havendo é uma “reposição” inflacionária nestes 02 anos, ou seja, de R$2,85 para R$ 3,30 dá exatos 15,8% de aumento, algo muito próximo a inflação neste período! Eu também não gosto da administração do prefeito Fruet na capital, prefiria ele como parlamentar lá em Brasília, mas ocorre que há a necessidade da correção dos preços das passagens de ônibus e não se pode “represar” esse repasse por muito mais tempo. O Sr. governador subiu o IPVA em 40% e não ví maiores protestos sobre isto, dentre outras coisas…enfim, todo mundo quer aumento de salários, produtos e serviços, mas ninguém quer que a passagem de ônibus suba, cada coisa! Brasileiro é miserável mesmo, protesta contra aumento de passagem de ônibus, mas não vai às ruas pedir o fim da corrupção, má gestão na saúde, habitação, infraestrutura, educação, segurança, e uma melhor aplicação dos nossos impostos que nunca retornam em benefício para a população brasileira, enfim, brasileiro é pequeno por dentro, merece a cada minuto de sua existência os governantes que tem!!!

  3. tadeu rocha
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 14:49 hs

    EU NÃO ACREDITO , TEM MUITAS FOFOCAS, PIOR NÃO É ISSO , PIOR QUE NINGUÉM FALA DESSE ROMBO DE 200MILHOES DO PT E MAIS ALGUMA COISA, ISSO SIM É UMA VERGONHA. AINDA MAIS FOI O MAIOR ROUBO DO MUNDO NINGUEM FALA NADA… ACORDA BRASIL….

  4. RR
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 15:11 hs

    ESSE PILANTRA TEM O RABO PRESO COM ESSES EMPRESÁRIOS MORTOS DE FOME,ELES FINANCIARAM A CAMPANHA DELE E A DA DILMACONHEIRA.

  5. NA CORDA BAMBA
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 15:33 hs

    Caiu a ficha em tigrada (eleitor)…

  6. jose carlos pinto.
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 15:38 hs

    NÃO ERA O SALVADOR DA PÁTRIA, AGORA FICA COM ESSA CHORADEIRA, ESSE VELHACO. TOMA VERGONHA E TRABALHE, FAÇA COMO SEU PAI QUE ERA UM HOMEM DE FIBRA, O SR. MAURICIO FRUET ERA HONESTO E TINHA VERGONHA NA CARA.

  7. Clodoaldo Pereira
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 15:44 hs

    Amigo, náo importa, neste momento, se o cara é a favor ou contra o tal “Prefeito”.

    Todos nós somos a favor da Cidade de Curitiba ……..

    A cidade está um lixo. Parece (com todo o respeito), uma cidade do interior da Bolívia, Paraguai, Equador, etc………….

    Não tem uma lixeira nas ruas, e as que têm, estão queimadas ou quebradas , o mato toma conta das nossas ruas, avenidas, praças e cemitérios .

    Nunca pensei que a nossa “Cidade Sorriso” ou ” Cidade Modelo” como fomos conhecidos no passado, poderia se transformar neste LIXO.

    Gustavo, e eu acreditei em você !!!!!!!!!!!

  8. Roberto
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 16:32 hs

    É bom mesmo que desista… Assim é um mentiroso a menos no horário eleitoral!!!

  9. JEAN
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 16:51 hs

    Resumindo . A culpa toda é do atual governador. Abaixou a tarifa quando não devia ter feito (2004), fez uma licitação às cegas (2010) e não quer assumir o custo do transporte metropolitano (2014). O Gustavo Fruet sacrificou sua reeleição.(?). esperar para ver…

  10. quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 17:16 hs

    Fruet sabe que não se reelege e então arrumou uma boa desculpa para sair de fininho

  11. Alexsander
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 17:42 hs

    O Fruet foi a maior decepção eleitoral de todos tempos de Curitiba,,,,Nascimento teve ter ganho um cascalho para defender o indefensável, ou seja, o Fruet e sua corja, ele colocou a irmã para cuidar do dinheiro do povo, deve ser por isso que Curitiba esta sem dinheiro ou não???

  12. quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 18:04 hs

    Gustavo é um bom homem e um politico decente, seu unico grande erro foi se aliar a essa ralé do PT, mas ainda temos 2 anos e penso que as coisas podem melhorar pro lado dele e não venham com essa de mau gestor pois estão ocorrendo aumentos por todos os lados: Gasolina, IPVA e etc…ou voces pensam que sustentar uma frota moderna custa barato?Vão pra SP ou RJ e dai sim poderão reclamar do péssimo serviço e tarifas caras.

  13. Escritor
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 18:04 hs

    Fret, o pior prefeito do Brasil dentre as grandes capitais
    Essa gestão desastrada vai marcar sua biografia para sempre.
    Devia ter ficado como deputado, o poder nem sempre compensa.

  14. zangado
    quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 – 18:43 hs

    Todo o apoio ao chute no balde!
    Chega de empulhação!
    O texto é ambíguo.
    A origem do problema está lá quando o atual governador era prefeito.
    É herança maldita que ele tentou obviar com subsídio (dinheiro do povo) e agora, depois de detonar o orçamento do Estado, não tem mais din din para empurrar com a barriga e safar-se de sua incompetência.
    Fruet foi até onde pode e definiu-se; o que não consegue fazer o governador, sempre surfando na virtualidade e na dissimulação.

  15. Debora- Mercês
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 – 7:21 hs

    Se Fruet for inteligente não se candidata mais em Curitiba. O PT acabou com a gestão. Os servidores municipais nunca foram tão desprestigiados. Ainda bem que logo tudo isso acaba.

  16. João Santana
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 – 8:45 hs

    A exemplo do que acontece com a tarifa, tem também o problema sério com a saúde, que desde 2011 não acontece concurso para medicos e profissionais de saúde, e neste contexto a capital caminha para o caos; Esta gestão esta equivocada na eleição de prioridades em tempos de crise, aumenta o numero de comissionados ao mesmo tempo que baixa um decreto (10/99 2015) que obriga todas as secretaria inclusive a saúde em cortar 10% dos gastos, ue hoje no minimo faltam 800 profissionais.

  17. COMANDO
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 – 9:24 hs

    Gustavo votei em você, mas agora vejo que joguei no voto no lixo.

  18. Observador Atento
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 – 13:21 hs

    Quem tem que acordar e vôce TADEU ROCHA, sempre defendendo a incompetência da equipe do prefeito! ACORDA!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*