Filho de Eike Batista absolvido no caso de morte de ciclista | Fábio Campana

Filho de Eike Batista absolvido no caso de morte de ciclista

Thor-Batista-presta-depoimento-sobre-o-atropelamento-com-mort
Wanderson Pereira dos Santos morreu após ser atingido pela Mercedes-Benz do filho de Eike Batista, Thor Batista

Em julgamento de recurso, Thor Batista foi absolvido pela Justiça do Rio da acusação do atropelamento que causou a morte de um ciclista na BR-040 em 2012. Um ano após o acidente, Thor foi condenado pela juíza Daniela Barbosa, da 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, mas os advogados recorreram e conseguiram a vitória judicial. A nova decisão é dos desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). Ainda cabe recurso a esta decisão de 2ª instância.

De acordo com a assessoria do TJ, os desembargadores decidiram pela absolvição porque “não há provas suficientes” para a condenação. Na época do atropelamento, um primeiro laudo pericial da Polícia Civil apontou que o rapaz dirigia a pelo menos 135 km/h no momento do choque. No entanto, essa informação foi revista pelo Departamento Geral de Polícia Técnico e Científica (DGPTC), que definiu que a velocidade de Thor na hora do atropelamento estava entre 100 e 115 km/h. O primeiro laudo foi retirado do processo.

Wanderson era ajudante de caminhão, tinha 30 anos, e passava de bicicleta pela pista sentido Rio, na descida da Serra, quando foi atingido pelo carro do filho mais velho de Eike, uma Mercedes-Benz SLR McLaren prata. Thor voltava de Petrópolis com um amigo quando aconteceu o acidente. Ele chegou a deixar o local do crime, mas se apresentou na 61ª Delegacia de Polícia (Xerém), onde o caso foi registrado como homicídio culposo provocado por atropelamento.

Thor e o ciclista foram considerados responsáveis pelo acidente. Segundo o inquérito policial sobre o caso, o filho de Eike dirigia de maneira imprudente. Mas a vítima, segundo exames realizados pela perícia, estava alcoolizada. Logo após o acidente, Thor se submeteu ao teste do bafômetro, que não indicou qualquer consumo de álcool pelo jovem. Thor chegou a fazer um acordo financeiro com a família do ajudante de caminhão.


6 comentários

  1. VERDADE
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 22:39 hs

    Ueh! Porque o espanto…aqui no Paraná quem mata o filho dos outros se faz de morto e ainda se elege!

  2. OPINIÁTICO
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 23:34 hs

    REALMENTE PARECE SER A FUSÃO DA MADRE LUMA DE OLIVEIRA COM O BOMBEIRO SARADO..

  3. Frida
    sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 – 10:04 hs

    Igual o parente do Requião,
    Familia rica e com poder, atropela e mata pobre, Não dá em nada !!

  4. luiz indignado
    sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 – 14:33 hs

    Neste nosso Brasil varonil só fica preso e paga multa quem é coitado, pobre, sem poder de barganha, sem as costas quentes com deputados.

  5. BigPeter
    sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 – 16:19 hs

    Logo, logo,a família do pobre pedreiro vai receber das mão de um Oficial de Justiça, cópia da ação, já transitado em julgado, exigindo que paguem a mercedes que o irresponsável pedreiro amassou com seu corpo, e sua velha bicicleta.
    Enquanto isso, Príncipe Thor desfila sua vaidade, sua rede de proteção e sua arrogância junto às periguetes, de todo o Rio de Janeiro.

  6. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015 – 13:02 hs

    -Pode até ser absolvido pela (in)justiça brasileira, mas duvido que terá paz de consciência(se é que pessoas desta envergadura, compreendam o que significa)!!!
    -Trata-se de deixar livre quem tem muito dinheiro, poder e notoriedade e quem sofre a ação, esquecida, injustiçada e enterrada!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*