Aposta nas instituições | Fábio Campana

Aposta nas instituições

instituicoes
Para reequilibrar a economia e regenerar a política, teremos de apostar nas instituições

Paulo Guedes, O Globo

Inflação alta e subindo, crises de água e luz, ameaça de recessão, déficit fiscal e buraco nas contas externas. Empreiteiros pagando propina a políticos, rebelião na Câmara de Deputados, isolamento e ameaça de impeachment à presidente Dilma Rousseff. Com a economia e a política em chamas, não há saída fácil.

Apostar no aperfeiçoamento das instituições é o único caminho seguro para a prosperidade. Para reequilibrar a economia e regenerar a política, teremos de apostar nas instituições. A “independência” do Banco Central, inaugurada no Plano Real e institucionalizada no sistema de metas de inflação, trouxe aos brasileiros uma moeda decente.

Do mesmo modo, a independência do Poder Judiciário exibida nas admiráveis atuações de Joaquim Barbosa e Sergio Moro aumentou as chances de que nossos filhos e netos possam viver num país melhor.

Ao contrário, a degeneração das instituições é uma conhecida rota para o caos. Os socialistas bolivarianos e peronistas do século XXI, que nos últimos anos apostaram cada vez mais no controle do Legislativo e do Judiciário, atacando o Estado de Direito e a liberdade de imprensa e aprofundando suas intervenções nos mercados, levaram finalmente seus países à ruína econômica e à violência política.

Essa aposta no aperfeiçoamento institucional também se aplica aos primeiros movimentos da Câmara de Deputados sob a presidência de Eduardo Cunha. No momento em que se revela à Justiça um mercado político “paralelo”, onde se compra governabilidade “por fora” dos fóruns republicanos e dos orçamentos públicos, a declaração de independência do Legislativo por Cunha e sua proposta de levar adiante uma reforma política são bastante desejáveis.

Seriam portanto precipitadas as críticas de que o PMDB estaria apenas renegociando novos termos de adesão à “velha política”, aumentando o preço de fisiológica sustentação parlamentar ou vendendo caro um seguro presidencial contra oimpeachment.

Penso que está tudo em aberto, que seguimos em uma transição incompleta do Antigo Regime para uma Nova República, que os inimigos da sociedade aberta foram flagrados e estão em fuga à luz das informações em livre fluxo e que estaremos já em 2015 regenerando nossas práticas políticas e aperfeiçoando nossas instituições.


10 comentários

  1. De Olho
    segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015 – 19:07 hs

    Será que os magistrados citados representam o Judiciário cheio de previlegios? Um por não entrar no esquema se aposentou precocemente.

  2. Marcos
    segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015 – 19:43 hs

    Os bombeiros, as Igrejas e as FFAA são as instituições mais respeitadas no Brasil, o resto vem ladeira abaixo. As últimas pesquisas foram em 2013 e gostaria que houvesse em 2015 outra sondagem nas instituições brasileiras para ver quem “desceu”, quem “subiu” e

  3. Marcos
    segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015 – 19:45 hs

    Os bombeiros, as Igrejas e as FFAA são as instituições mais respeitadas no Brasil, o resto vem ladeira abaixo. As últimas pesquisas foram em 2013 e gostaria que houvesse em 2015 outra sondagem nas instituições brasileiras para ver quem “desceu”, quem “subiu” e quem “desabou” de vez !! Dou um chute que a presidência, congresso nacional e STF nem pontuem em uma nossa sondagem!! Grande mico brasileiro os nossos governantes bolivarianos!!

  4. Paolo
    segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015 – 22:50 hs

    Atentai, Sr. Paulo Guedes!!! “Instituições” não existem de per si!!! Existem HOMENS que dão vida às instituições; ou HOMÚNCULOS, que as matam!!!!!!

  5. OTIMISTA
    terça-feira, 17 de fevereiro de 2015 – 6:24 hs

    Ser mais otimista do que os brasileiros é impossível. Mesmo na
    maior desgraça do país, faltando água e tudo subindo o povão con-
    tinua sambando… é o famoso rir para não chorar. Este 2015 vai ser
    uma desgraça.

  6. terça-feira, 17 de fevereiro de 2015 – 9:10 hs

    MAS DEPOIS DA COPA TUDO NÃO SERIA MIL MARAVILHAS..?
    Q SERÁ QUE HOUVE..?

  7. Johan
    terça-feira, 17 de fevereiro de 2015 – 10:49 hs

    Caro FÁBIO, esse texto do Sr. Paulo Guedes está muito correto, pois ilumina o bom caminho da institucionalização que é a regra que garante a convivência entre os indivíduos da nossa sociedade. Porém Sr. Paulo, será que os iluminados da Magistratura, do judiciário, do legislativo e do executivo estão preparados para organizar e orientar a sociedade a seguir esse caminho? Pelo que a sociedade tem por sentimento não é verdadeira essa assertiva. Eles estão apavorados com a situação, com o desenrolar dos acontecimentos, estão perdendo PODER, estão olhando para o próprio umbigo e buscando salvar suas conquistas. Esquecem que na QUEDA da BASTILHA não sobrou nenhum indivíduo de destaque. A hora é de as lideranças recuarem, reverem suas posições, propor manutenção de seus subsídios, proventos e haveres do ESTADO, aos valores de 04 anos atrás. Essa é uma proposta de AUSTERIDADE CLARA a ser apresentada à sociedade, e dessa maneira, com certeza a população entenderá que a situação está no limite, está CAÓTICA , situação provocada pelos MEMBROS da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA nos últimos 12 anos. A sociedade entende o BOM exemplo, como também entende o MAL exemplo. Com aval dos membros da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA, a sociedade percebeu que a CORRUPÇÃO está institucionalizada em todos os segmentos do ESTADO. Hoje só não rouba do ESTADO quem é TROUXA, desde a presidente até o guarda praça. Defendo a liberdade de imprensa, liberdade de investigação e liberdade de opinião. Apoio a proposta de ” o sul é o meu país” e proponho o IMPEACHMENT JÁ da DILMA, agora no poder, para evitar maiores constrangimentos e VERGONHAS a sociedade brasileira. Atenciosamente..

  8. Do Interior.....
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 – 13:05 hs

    As instituições só se fortalecerão se:
    1) acabar com a reeleição, em todos os níveis;

    2) Extinguir os tribunais de contas, que viraram um cabide de empregos e não valem mais nada;

    3) Extinção de suplentes. Entra para a vaga o mais votado;

    4) Extinção das verbas parlamentares. Deputados são eleitos para elaborar leis e não para distribuir dinheiro de nossos impostos a fundo perdido;

    5) Extinção do fundo partidário para as coligações. Nem a concessão do tempo de propaganda poderá ser repassado a outro partido;

    6) Extinção do voto de legenda. Elege-se o mais votado. O mais votado também será o presidente da câmara e do senado;

    7) A perda do mandato será exceção ao direito de liberdade e poderá ser decretada mesmo sem o fim do processo na justiça. Neste caso, em cada eleição deverá ser colocado o nome dos “sujos” na urna para votação se será cassado ou não, pelo povo;

    8) Extinção da urna eletrônica atual ou mudança no sistema, tendo voto normal, paralelamente;

    9) Estatais não poderão ser ocupados por políticos nem por indicados. Se ocorrer, o político e o presidente perderão o mandato;

    10) Limitar o número de ministérios a 20;

    11) Indicações ao STF, TSE, STJ, sempre será por concurso;

    12) Limitar o número de assessores para deputados e senadores;

    13) E, principalmente, o repasse de verbas ao Legislativo, judiciário e outros órgãos, será de acordo com a arrecadação (proporcionalmente) e não de acordo com o orçamento.

    14) As medidas acima terão início em 10 anos (antes disso, ninguém irá votar contra si mesmo).

  9. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015 – 11:20 hs

    -Pura BALELA!!!
    -A única coisa em que confio é na minha .380!!!

  10. Helena
    sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 – 19:42 hs

    Aperfeiçoar as instituições de que maneira? Elas estão aparelhada pelo Estado? Até a OAB, o seu presidente, quer uma “boquinha no STF? Apoiou abertamente o comportamento anti ético do Ministro Cardozo?
    Não Acredito mais em nada, só mesmo no brasileiro alfabetizado politicamente e, se a maioria for honesta.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*