A conexão Gleisi-Paulo Bernardo e Youssef | Fábio Campana

A conexão Gleisi-Paulo Bernardo e Youssef

unnamed
Ucho Haddad

Em meio a tantas informações, os integrantes da força-tarefa da Operação Lava-Jato trabalham para garimpar provas que reforcem a conexão entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (PT). Procuradores da República e policiais federais estão debruçados sobre o tema, que pode complicar ainda mais a situação de Bernardo e de sua mulher, a senadora petista Gleisi Hoffmann, acusada de ter recebido R$ 1 milhão do Petrolão, o maior escândalo de corrupção da história.

Identificar a ligação de Paulo Bernardo com Youssef não é tarefa das mais difíceis, pois em tempos outros o ex-ministro, por intermédio do deputado cassado André Vargas, usou o esquema criminoso do doleiro para lavar dinheiro de campanha. O assunto acabou na alça de mira das autoridades, que à época abriram investigação.

A grande questão que tira o sono da equipe que investiga os crimes cometidos no âmbito da Lava-Jato é a rota do dinheiro desviado da obra do anel viário de Maringá, orçada inicialmente em R$ 142 milhões, mas que com o passar do tempo saltou para R$ 179 milhões.

Executada sob o guarda-chuva do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, o polêmico DNIT, o anel viário da importante cidade paranaense teve sobrepreço de R$ 10 milhões, de acordo com análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

Responsável pela execução da obra, a construtora Sanches Tripoloni rebateu a análise do TCU, mas agora pode estar na mira da força-tarefa da Lava-Jato, o que não é bom sinal para todos os envolvidos no suposto esquema de corrupção.

Com o avanço das investigações, novos personagens foram arrastados para o olho do furacão, além do doleiro Youssef, Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann. No rol dos investigados estão deputados federais do Paraná, além de conhecidos políticos do estado sulista. A situação de Gleisi e Paulo Bernardo, que já não era boa, pode piorar sobremaneira depois do período de ócio carnavalesco. Fora isso, Gleisi e Bernardo foram passageiros constantes no avião King Air, matrícula PR-AJT, de propriedade do empresário Francisco Tripoloni, dono da construtora Sanches Tripoloni, que, como mencionado acima, foi responsável pela construção do anel viário de Maringá.

As autoridades da Operação Lava-Jato querem identificar qual esquema criminoso operado por Alberto Youssef que foi usado para lavar o dinheiro de mais um escândalo envolvendo o Partido dos Trabalhadores, que agoniza sem que os “companheiros” aceitem a dura realidade. Tanto é assim, que os petistas têm se agarrado cada vez a teorias esdrúxulas para manter a legenda na UTI da política nacional.


7 comentários

  1. Antonio Alvaro Rosar
    sábado, 14 de fevereiro de 2015 – 19:12 hs

    Que tal os grevistas usarem isto também para não serem imparciais?

  2. justino bonifacio martins
    sábado, 14 de fevereiro de 2015 – 19:48 hs

    Camarada Campana, falando em maior corrupção da história,você já leu os livros do José Carlos de Assis?

  3. sábado, 14 de fevereiro de 2015 – 20:21 hs

    O André Vargas devia contribuir com a nação brasileira e dizer tudo o que sabe sobre o Petrolão, haja vista ter sido expulso de seu partido e ter que renunciar a mesa diretora da Câmara e ainda ser cassado. O casal de ex ministros estão com a pulga atrás da orelha. Faça algo que o dignifique, pelo menos uma vez na vida, ANDRÉ VARGAS. O Brasil inteiro se solidariza com você. Não arque com a pecha de “bandido” como foi tratado pelo seu partido, inclusive pelo chefe Lula, que pediu sua cabeça. Lealdade nesse partido é só quando interessa, o resto é tudo conversa para “boi dormir”.

  4. sábado, 14 de fevereiro de 2015 – 21:06 hs

    É minha conterranea a coisa está ficando brava pro teu lado certo ?

  5. NA CORDA BAMBA
    domingo, 15 de fevereiro de 2015 – 6:16 hs

    Continuem puchando a corda que vão encontrar o Paulo e Gleisi.

  6. JÁ ERA...
    domingo, 15 de fevereiro de 2015 – 8:48 hs

    Políticos da estirpe do casal Bernardo e Gleisi precisam ser extirpados
    da nossa sociedade. Pior:- são Paranaenses…

  7. Ernani
    quinta-feira, 5 de março de 2015 – 10:51 hs

    O SUL É O MEU PAÍS ! Vamos separar a região sul, e a pena pra políticos corruptos será a perda dos direitos políticos e CADEIA EM REGIME FECHADO, sem direito a progressão de pena!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*