PR investe R$ 14,4 bilhões em infraestrutura | Fábio Campana

PR investe R$ 14,4 bilhões em infraestrutura

unnamed

O Governo do Paraná fez nos últimos quatros anos um dos maiores investimentos na melhoria da infraestrutura do Estado. A Secretaria de Infraestrutura e Logística e suas autarquias aplicaram R$ 4,66 bilhões em obras que melhoraram as rodovias, portos, aeroportos, ferrovia e a infraestrutura dos municípios, além da construção, ampliação e reforma de prédios públicos. Nos próximos quatro anos serão mais R$ 9,8 bilhões, parte dos recursos em parcerias, totalizando R$ 14,46 bilhões em investimentos.

“O Estado do Paraná passou por uma das maiores transformações, reduzindo os gargalos logísticos, melhorando a vida dos paranaenses. Para os próximos anos, a previsão é ampliar os investimentos, com parcerias e financiamentos internacionais”, disse o governador Beto Richa..

“A partir de 2015 até 2018, a previsão é aplicar cerca de R$ 9,8 bilhões em obras rodoviárias”, disse o secretário de Infraestrutura e Logística, José Pepe Richa Filho. São recursos de parceiros, como a Votorantim e Klabin, da parceria público-privada da PR-323 e do financiamento do BID, cujo valor é de US$ 500 milhões. “Sem contar os recursos próprios do DER e do Estado, que aumentam os investimentos em infraestrutura”, completa Pepe Richa.

DUPLICAÇÕES – O diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), Nelson Leal Junior, destacou que o maior avanço no setor rodoviário foi o programa de duplicação de rodovias. São 700,5 quilômetros de duplicações, dos quais 48 quilômetros foram entregues e outros 392 estão em andamento. Somam-se a estas obras mais 260,5 quilômetros que começam em 2015.

“Este foi o maior programa de duplicações dos últimos 25 anos, com obras em todo o Paraná”, disse Leal. O diretor afirmou que quando o governador Beto Richa assumiu a administração do Estado, em 2011, o Paraná contava apenas com mil quilômetros de rodovias duplicadas, entre estradas federais e estaduais.

O diretor explica ainda que as obras estão sendo feitas com recursos próprios e com investimentos das concessionárias. Após negociação com as empresas do Anel de Integração, o Estado garantiu a retomada de investimentos, que somam mais de R$ 1,7 bilhão e que vão duplicar 340 quilômetros de rodovias.

PARCERIAS – Outro avanço importante é a formalização da parceria público-privada que será responsável pela duplicação entre Maringá e Francisco Alves. Serão 220 quilômetros de pistas duplicadas da PR-323, obra que inclui 19 viadutos, 22 trincheiras, 13 passarelas e nove pontes, além de marginais e ciclovias nas áreas urbanas. A nova rodovia também contará com serviços de atendimento ao usuário, com ambulâncias e serviço de guinchos. Ao longo do programa, de 30 anos, serão aplicados R$ 7,7 bilhões.

A previsão é que as obras de duplicações comecem no primeiro trimestre de 2015, atendendo assim mais de um milhão de paranaenses que vivem na região. A gestão da concessão será feita pelo Consórcio Nova 323.

A Rodovia dos Minérios, entre Curitiba e Rio Branco do Sul, também será duplicada em parceria, neste caso com a Votorantim. Telêmaco Borba, Ortigueira e Imbaú terão rodovias implantadas e ampliadas, uma parceria do Estado com a Klabin. Estas duas empresas irão investir R$ 700 milhões, que serão abatidos em ICMS pelo programa de crédito outorgado.

AEROPORTOS E FOMENTOS – Outro destaque da Secretaria de Infraestrutura nos últimos quatro anos foi o apoio aos municípios. O Estado ajudou na melhoria da malha de estradas rurais, com o programa Caminhos da Pedra de recuperação de rodovias com pedras poliédricas, que atenderam mais de 2 mil quilômetros. Também foram investidos recursos na construção de 177 pontes de concretos, além do repasse de recursos para compra de massa asfáltica, usada na pavimentação de ruas.

Mais de R$ 35 milhões foram aplicados em obras nos aeroportos municipais, administrados pelas prefeituras. Além da melhoria da infraestrutura dos aeroportos, como a construção do terminal de passageiros em Cascavel, a secretaria ajudou na desapropriação de terrenos para ampliação dos aeródromos, como no caso de Londrina.

MODERNIZAÇÃO DA FERROESTE – O Estado também investiu na modernização da Ferroeste. Em quatro anos, foram aplicados R$ 4,1 milhões em melhorias, contra R$ 768 mil aplicados em oito anos na gestão passada. A Ferroeste ganhou mais locomotivas e vagões e também reduziu o tempo de trânsito entre Cascavel e Guarapuava.

Com faturamento maior, a empresa quitou o passivo dos oito anos da gestão passada, que passava de R$ 13 milhões. E, pela primeira vez na história da Ferroeste, a empresa conseguiu obter uma certidão negativa.

Outro avanço da Ferroeste foi a implantação do Centro Logístico, cujo investimento, em parceria com o setor público, soma R$ 200 milhões. “A meta para os próximos quatro anos é ampliar este Centro Logístico e adquirir mais cinco locomotivas e mais de 400 vagões, dobrando a capacidade de transporte”, disse o diretor-presidente da Ferroeste, João Vicente Bresolin de Araújo.

PORTOS – Nos portos de Paranaguá e de Antonina, os investimentos somam R$ 511 milhões. “Com mais obras e melhorias na gestão, acabaram as filas de caminhões e foi ampliada a capacidade de escoamento. Os investimentos também permitiram a atracação de navios de grande porte”, disse Richa Filho.

O superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, disse que algumas mudanças foram fundamentais para as melhorias nos portos. O Estado está concluindo a troca de quatro shiploaders – equipamento que carrega com grãos os navios cargueiros – e substituindo máquinas de 1970 e 1980. Também foram adquiridos 10 guindastes. A dragagem ampliou o canal de Paranaguá e estão em andamentoas melhorias viárias de acesso ao Porto de Paranaguá.

Outro avanço é no planejamento. O Governo do Paraná já concluiu o Plano de Desenvolvimento do zoneamento portuário, que permitirá o arrendamento de área. Para isto, aguarda a autorização por parte do governo federal. Os projetos dos novos píeres já estão prontos, além da ampliação do pátio de triagem.

NOVAS OBRAS – Na área de edificações, a Paraná Edificações aplicou R$ 900 milhões na construção, ampliação e reformas de prédios públicos. Somente na área de Justiça, são 39 obras que já foram entregues. Também foram finalizadas 31 obras em segurança, 18 em saúde e 26 para a Secretaria de Administração, atendendo todas as áreas, com exceção da Secretaria da Educação, que administra suas próprias obras.

“São obras importantes para toda população, como o Hospital do Câncer em Umuarama, o IML de Londrina e o quartel do Corpo de Bombeiros de Matinhos”, disse o diretor da Paraná Edificações, Luiz Fernando Jamur.


7 comentários

  1. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 – 18:10 hs

    Se gastaram 14 bilhões devem ter mucosado 13,por que tá parecendo obra das pedageiras,dizem que investem 100 quando são menos de 10

  2. segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 – 21:38 hs

    Detalhe e que segundo eles entregaram 48 Km nessa primeira gestao, agora tenho que acreditar que nos proximos 4 anos duplicarao 652 Km, e tem quem acredita, 55% dos paranaenses…

  3. Do Interior....
    segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 – 22:37 hs

    Investiu mais que o LuLLarápio e a Capivara gorda vermelha durante 12 anos de atraso do PT no Paraná.

    Sergio, o Beto não é o PT que mete a mão na Petrobrás.. kkkkk

  4. ZÉ BUSCAPÉ
    terça-feira, 6 de janeiro de 2015 – 7:58 hs

    Quanto aos portos do “Paraná”, vale lembrar que o porto de PARANAGUÁ tem renda própria, e seus investimentos são feitos com recursos PRÓPRIOS. Quanto a cidade, bem a cidade continua na mesma, ou seja, sem investimentos do governo do ESTADO.

  5. Jacir Hoiça
    terça-feira, 6 de janeiro de 2015 – 11:14 hs

    Parte dos investimentos foi em parceria, deve ser da seguinte maneira, 13 milhões do Governo Federal e o resto do Estado, igual a história das 100 mil moradias financiadas pela Caixa atravês de recursos do Governo Federal, o Piá de Prédio não engana mais ninguém.

  6. terça-feira, 6 de janeiro de 2015 – 12:45 hs

    Aonde estão esta obras, que ninguém vê. Texto sem vergonha, dizem que será feito a duplicação da Rodovia dos Minérios por este desgoverno desde 2012, até agora não mexeram em nenhuma pedra, a PR323 está sendo privatizada a contra gosto dos Paranaenses, Poderiam mostra um mapa das “duplicações dos 700 KM”, mas não mostram porque simplesmente não existem.

  7. Ricardo Madafakas
    terça-feira, 6 de janeiro de 2015 – 17:25 hs

    Esse Carlos e seus parentes me ensinaram muito sobre política em 2014, pois mostraram que neste país basta fazer uma excelente propaganda de si e do governo, ser educado e sorrir sempre que os eleitores caem feitos patinhos. Caso dê algo errado, basta culpar o PT ou a dilma. Fácil, fácil…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*