Família tenta convencer iguaçuense condenado à morte na Indonésia a fazer exame psiquiátrico | Fábio Campana

Família tenta convencer iguaçuense condenado à morte na Indonésia a fazer exame psiquiátrico

unnamed
A família do iguaçuense Rodrigo Gularte, condenado à morte na Indonésia por tráfico de drogas, tenta convencer autoridades locais e o próprio Rodrigo a fazer um exame médico oficial para anexar ao processo penal. Diagnosticado com esquizofrenia, Rodrigo teria uma chance de invocar a legislação local, que impede a execução de pessoas vulneráveis. Mas vivendo crises de alucinação e confusão mental, ele tem se recusado a deixar a prisão para fazer o exame. Segundo a prima de Rodrigo, Angelita Muxfeldt, que está na Indonésia há duas semanas, ele não aceita tratamento e diz que seria perigoso sair da prisão. Nesta quinta-feira, dia de visitas, Angelita seguiu pela quarta vez à prisão, acompanhada de um advogado. As informações são da BandNews FM.

O segundo e último pedido de clemência para Rodrigo Gularte feito pelo Brasil ao governo da Indonésia foi negado neste mês. Se a pena por cumprida, ele será o segundo brasileiro executado na Indonésia. O primeiro foi Marco Archer Cardoso Moreira, fuzilado no dia 17 de janeiro. Rodrigo Gularte está preso em uma das unidades de um complexo de prisões que fica na cidade de Cilacap, a 400 quilômetros da capital Jacarta. Rodrigo Gularte foi preso há quase 11 anos, em 31 de julho de 2004, no aeroporto de Jacarta, com 6 quilos de cocaína escondidos em oito pranchas de surf. Na época, ele tinha 32 anos. Hoje ele está com 42.


9 comentários

  1. Juca
    quinta-feira, 29 de janeiro de 2015 – 19:00 hs

    Na verdade, já está borrando as cuecas.

  2. Beatrix Kiddo
    quinta-feira, 29 de janeiro de 2015 – 21:05 hs

    Coitadinho do iguaçuense, agora ele ficou “louco”, mas quando foi diversas vezes par a Indonésia com a prancha cheia de cocaína ele estava nem aí para o perigo. O “condenado” sabia sabia o perigo que corria, se meteu nesta fria porque quis. Não se deixem iludir pela choradeira da família, eles sabem bem o filho que tem.

  3. sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 0:14 hs

    Sabemos o quanto é difícil para a família do rapaz, principalmente para a mãe. Entendo que a pena de morte é muito pesada.
    Por outro lado, a família que tem um usuário de droga, vive o inferno dentro da própria casa! Só sabe mesmo quem convive com um deles! Ninguém tem sossego nem de dia nem de noite! Quando o elemento não pode roubar lá fora, rouba a própria família, isto sem contar que para conseguir a droga, praticam qualquer coisa: são violentos, ameaçam, matam para roubar, inclusive seus familiares! Quantos pais são espancados e mortos.
    Enquanto isso, aqui no Brasil, o traficante fica numa boa …

  4. JÁ ERA...
    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 6:04 hs

    Na hora de colocar cocaína na prancha de surf o cara não era doente
    mental !? O mundo todo sabe que na Indonésia tráfico de drogas é pena
    de morte. Agora chorar do leite derramado é tarde…

  5. Drika
    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 8:34 hs

    Este rapaz fez mal e destruiu muitas famílias por ser traficante !
    Tchau !

  6. tadeu rocha
    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 9:01 hs

    não darei minha opinião .,,,, sou contra drogas que esta acabando com nosso brasil e as familias.

  7. ELEITOR
    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 12:45 hs

    ESTE TIPO DE LEI NÃO É APROVADA NO BRASIL , PORQUE SERÁ???

  8. Marcos
    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 13:22 hs

    Será que um hospital psiquiátrico será melhor que a prisão? Depois de tantos anos preso agora que a família viu a água batendo no bumbum, ocorreu a execução do Marcos está correndo com o laudo de esquizofrenia?O próprio Rodrigo diz que seria perigoso sair da prisão. Com certeza todos esses anos preso ele sabe muito bem como funcionam “as coisas” na Indonésia, só não pensou nisso, por ter tanta auto confiança como o Marcos de que não iria ser preso e caiu. Voce colhe os frutos que planta!.

  9. João de Deus
    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 – 14:39 hs

    Só há uma maneira de acabar com o trafico e uso de droga no Brasil. Pena de morte. Não existe nenhuma ação mais nefasta do que essa de traficar droga. PENA DE MORTE PARA TRAFICANTE AQUI NO BRASIL. PARABÉNS A INDONESIA. E, O GOVERNO BRASILEIRO QUE PARE DE FAZER DEMAGOGIA TENTANDO A CLEMENCIA PARA O TRAFICANTE. A EXECUSSÃO DESSE CRIMINOSO SERVE DE EXEMPLO PARA OUTROS “MALACOS” QUE POSSAM QUERER ENTRAR COM DROGA NO PAIS DELES. A RETRIBUIÇÃO DA PENA DEVE SER PROPORCIONAL A INTENSIDADE DO ATO ILICITO. ESSE É O MAIOR CRIME QUE SE POSSA PRATICAR CONTRA UMA SOCIEDADE.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*