Em Jacarezinho, Bolsa Família é pago a mortos e a servidores | Fábio Campana

Em Jacarezinho, Bolsa Família é pago a mortos
e a servidores

O Bolsa Família está sendo pago a pessoas mortas e a funcionários públicos, com salários bem maiores do que o limite do programa, conforme denúncia de uma ONG contratada pela prefeitura de Jacarezinho. A prefeitura decidiu fazer um novo recadastramento de todas as famílias participantes do programa federal, para evitar novas fraudes. As informações são do G1-PR.

Os entrevistados, agora, vão de porta em porta para atualizar os dados. De 2,3 mil pessoas cadastros no município, 2 mil já passaram pela fiscalização – até agora, estima-se que uma em cada dez famílias estão em situação irregular.

A lista com pessoas que já morreram e ainda recebem o benefício tem seis nomes, segundo a prefeitura. A mãe de uma das beneficiárias, Natividade dos Santos, afirma que a filha já morreu há dois anos e não sabe quem está sacando o dinheiro. “Eu não sei quem é que está pegando esse dinheiro. Se está vindo, não sou eu que estou pegando e nem alguém da minha família”.

A dona de casa Arlete Lourenço dos Santos não tem renda fixa, mas é casada com um funcionário público, cujo salário é de R$ 1,5 mil – pelas regras do programa, portanto, não poderia receber o Bolsa Família. “O salário dele é dele. Pertence a ele, não a mim”, explica, negando que há irregularidade na prática.

A conselheira tutelar Míriam de Fátima Ricas também fazia saques regulares do benefício, de R$ 112 por mês, mesmo com salário de R$ 1,5 mil. Ela afirma que se inscreveu no programa quando estava desempregada e não sabia das regras. “Acreditei que seria dado baixa. Eu não sei como funciona. Não é um erro, foi falta de informação”.

Depois da entrevista à RPC, Míriam procurou a Secretaria de Assistência Social para devolver o dinheiro que reconheceu ter recebido de forma indevida.


5 comentários

  1. LUIZ
    domingo, 18 de janeiro de 2015 – 13:33 hs

    ESSE É O ÚNICO LEGADO DO CACHACEIRO CANCEROLEPROSO.

  2. Paolo
    domingo, 18 de janeiro de 2015 – 16:24 hs

    Como assim, “em Jacarezinho”?! Isso ocorre no Brasil todo, nas barbas das “otoridades”, até porque esse programa transformou-se num evidente esquema de COMPRA DE VOTOS para o PT/X%!!!!
    Agora, mudando de saco pra mala, o que há de mais FALSO é esse tão apregoado “baixo nível de desemprego” no País! O governo/PT/X% sabe muito bem que os índices anunciados são uma fraude total! Vejam, não é que os números de carteiras assinadas, anunciados pelo Cajed estejam errados! A fraude, a que me refiro, se dá na relação empresa/trabalhador, consistindo na assinatura da carteira somente para dar direito ao seguro-desemprego! São milhões de carteiras assinadas com o objetivo único de fraudar o tal seguro-desemprego, lesando em bilhões o erário!! O PT mudou as regras do SD tão logo ascendeu ao poder e escancarou uma enorme porta à fraude! E a FRAUDE DO EMPREGO VIRTUAL, que não gera riqueza alguma, mas dá um prejuízo bilionário ao Estado, se generalizou! É por esse motivo – OH ANALISTAS ECONÔMICOS POUCO ESPERTOS – que, apesar do baixo nível de desemprego, o PIB é ridículo!!! Admira muito que os economistas e os poucos jornalistas isentos não tenham percebido essa evidente fraude!!!

    Paolo Hemmerich

  3. Helena
    domingo, 18 de janeiro de 2015 – 17:19 hs

    p…p…, é roubalheira por todos os lados, só mesmo acabando com essa raça criada pelos políticos corruptos.

  4. Marcão
    domingo, 18 de janeiro de 2015 – 21:05 hs

    No Brasil inteiro ocorre o cadastro indevido, principalmente de gente ligada a própria gestão do programa. Esse é o nosso Brasil, muita gente leva vantagem, muitas vezes com indicação politica.

  5. Flávius
    segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 – 0:19 hs

    Exemplo de um vizinho.
    No lugar de dar, o Governo começou a ensinar a trabalhar. Está oferecendo ferramentas, insumos, treinamento e se for necessário, compra o que for produzido para utilizar na rede pública.
    Isto é EXATAMENTE o que o presidente do PARAGUAI está fazendo.
    Ele está ELIMINANDO os “vales-e-bolsas-tudo-que-é-coisa” do Paraguai. Coisa que o bispo Ludo vinha implantando sistematicamente, utilizando o dinheiro do povo para ganhar votos. Exatamente como o PT, com LULA e DILMA, faz de forma desmedida no Brasil. Como Evo na Bolivia, Cristina na Argentina, Chaves e seu sucessor Madura na Venezuela fazem para se perpetuarem no poder.
    Foi uma atitude digna e sábia, e que ao mesmo tempo gerou revoltas por parte dessa parcela da população, que inclusive tinha deixado de trabalhar para viver da “mensalidade” que o governo repassava, já que eles “não conseguiam” trabalhar para ganhar o seu sustento. Qualquer semelhança não tem nada a ver com a classe pobre do Brasil que insiste em não procurar emprego para continuar tendo direito às “bolsas” que o governo dá. E agora o exemplo na prática: o governo dá as ferramentas, subsidia as terras (se necessário), fornece sementes, adubos, fertilizantes e inseticidas, subsidia a instalação de poços e bombas de água (se necessário), faz o treinamento e acompanhamento das famílias para que possam PRODUZIR e começar a VIVER POR CONTA PRÓPRIA. E mais, se o produtor precisar, o governo COMPRA a produção para distribuir nas escolas públicas e onde mais for necessário.
    ISSO é fazer algo direito. Isso é ensinar o povo a MERECER e a CONQUISTAR de acordo com seu trabalho e seu suor. Isso faz bem para o mundo. Com isso, o povo evolui, o país cresce e a economia se fortalece! E olha que conseguem fazer isso com uma carga tributária que não chega a 5% do que o Brasil impõe aos seus cidadãos.
    Esse é o exemplo que o BRASIL deveria seguir. Esse é o tipo de AJUDA SOCIAL que o Brasil e o povo brasileiro precisam!
    Porque isso não é feito? Bem, porque fazer o povo trabalhar não é algo que gera tantos votos quanto dar um cartão magnético e botar um dinheiro na conta todo mês. “Dinheiro grátis” é mais eficaz para eleger um político.
    Fonte: internet

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*