Novo Secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa esclarece situação financeira do Estado | Fábio Campana

Novo Secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa esclarece situação financeira do Estado

Em nota enviada à imprensa, o novo Secretário da Fazenda do governo Richa, Mauro Ricardo Costa, falou sobre as reuniões que teve no Palácio Iguaçu, onde conversou com lideranças políticas e empresariais do Estado. Costa aproveitou para comentar a situação financeira paranaense, que, segundo ele, sofre de vícios herdados de exercícios anteriores ao atual e que, por se encontrar no limite prudencial das ações financeiras, precisa passar por medidas apropriadas. É o que segue:

“No dia de ontem participei de sucessivas reuniões no Palácio Iguaçu, quando tive honrosa oportunidade de fazer interlocução com lideranças políticas, empresariais e imprensa do estado do Paraná.

A pauta das reuniões foi intensa e proveitosa para todas as partes e quase integralmente dedicada às ações que discutimos com o Senhor Governador Beto Richa.

A título de subsídios a outros interessados, e para que interpretações equivocadas não surjam, faço aqui breve resumo do que ontem publicamente falei:

1. Aceitei o honroso convite que me fez o Governador Beto Richa por conhecer a sua vocação de homem público, os bons propósitos que o fazem governador reeleito, pela liderança que o estado do Paraná exerce no contexto nacional e pela certeza de que o nosso trabalho seja proveitoso ao povo paranaense.

2. Alertei que o Paraná, apesar de muito bem organizado e gerido pela equipe que ora encerra um ciclo de governo, presentemente, está quase no limite prudencial das ações financeiras.

3. O Paraná sofre de vícios herdados de exercícios anteriores ao atual, onde as finanças públicas foram fixadas em um tripé frouxo de certeza arrecadatória: combustíveis, telecomunicações e energia.

4. Consciente sobre o especial e tormentoso momento pela qual passa o Brasil, sugeri que medidas apropriadas sejam adotadas, objetivando que o governo paranaense possa continuar os seus reconhecidos e premiados programas sociais e administrativos, e com vistas ao desenvolvimento a que faz jus.

5. A governabilidade passa sempre por ajustes. É mister permanente ao bom governante; e o Paraná faz o seu dever. O governador Beto Richa, independente dos apelos populistas ou eleitoreiros, tem visão estadista. E, como tal, deve ser parabenizado pela ousadia de propor ajustes efetivos e perenes, para que no futuro não precise administrar com apelativos e improvisos.

Mauro Ricardo Costa
09 de dezembro de 2014″


21 comentários

  1. Mutatis Mutandis
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 17:13 hs

    O que ninguém fala, e muito me assusta, é que:

    1) O Paraná gera absurdos de impostos para o Governo Federal;

    2) O PT persegue o Paraná e toma nosso dinheiro;

    3) O PT não devolve o dinheiro do Paraná para o Paraná. Ele gasta em Petrobras, Petrolão, Obras superfaturadas, Nordeste e outras coisas.

    4) Ou o Richa organiza a casa, ou o estado vai quebrar. Por culpa do PT.

    Curiosamente ninguém fala sobre isso.

    É o fim dos tempos.

  2. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 17:26 hs

    Deixe eu ver se entendi,o Beto Richa se elege,prometendo o ceu aos Paranaenses e depois se depara com um caos herdado dos seus antecessores .Mas não aumenta impostos e passa os 4 anos dizendo que o Paraná é discriminado,que a Gleise boicotou o estado e parte para a reeleição com uma vontade agarrada ao poder como se governar fosse o ceu.
    Ai vem as contas a pagar,os comissionados,as lambanças e depois de quatro anos resolve trazer um forasteiro já que nenhum deputado ou secretario atual quer essa pecha de ferrar com todos paranaenses.
    O novo secretario chega e fala o OBVIO,que os governos anteriores foi que produziram esse deficit.
    Aqui os comentaristas mais afoitos e mais chegados do governo,vocês acreditam de novo nisso?
    Não,por que se continuar essa acantactinela o que será de nós se o próximo,lá no longínquo 2018 dizer a mesma coisa.
    Não seria melhor entregar os pontos e dar tudo para o governo a troco de ração?
    Acada dia que passa mais eu fico pasmo,não com os politicos mas com a mediocridade com que tratamos eles.

  3. luzia da silva
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 17:46 hs

    Acredito que será realmente importante cortar mais da metade dos cargos comissionados, reduzir o salário desse povo que subiu uns 200 % e não apenas penalizar o povo.

  4. zangado
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 17:47 hs

    E o governador que deixa a coisa pública desandar até esse ponto não é responsável por nada nem pela sua própria incompetência, ou melhor, inapetência para governar?

    Ele se esconde nessas ocasiões porque não governa, nunca governou, e isso já vem dos tempos de prefeito quando deixou a questão dos transportes ganhar corpo sem se dignar a tomar providência para encaminhar a solução.

    Péssimo prefeito e péssimo governador, citemos uma obra ou serviço que o projete na história, nenhum, e temos ainda a capacidade de fazer olhos de mercador nisso tudo …

  5. zrodrigues
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 18:23 hs

    Ao inves de promover o aumento da arrecadacao pela eficiencia das receitas e cortes de despesas desnecessarias, propoe via legislativo o aumento de impostoso, onerando desnecessariamente a sociedade,

  6. Quincas
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 18:57 hs

    Quem venceu a queda d braço foi Caixo Two Negucio q terá um grande negócio no estado, As PPP e por isso sacaram o Sebastiani da SEFA. O Caixo sai e o Planejamento vira um Balcão para atender suas empresas.

  7. luis
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 20:47 hs

    Esse mamute deve ser hospede no Palácio!

  8. quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 21:25 hs

    Mutateis, vc me assusta….

  9. Dionísio Kochinski
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 22:54 hs

    Hauly deu à SEFA condições materias e humanas que propiciaram ao Estado o troféu de maior índice de crescimento da arrecadação tributária dentre todos os Estados, no seu período à frente da pasta. Impotente diante da gastança desenfreada, pois a Fazenda era mera tesoureira, apenas encarregada de pagar, o valoroso deputado pediu o boné e foi-se. Será que o Mauro Ricardo será obedecido nos seus “nãos”? Talvez, sem o compromisso da reeleição, o governador e sua equipe dêem ao novo secretário os ouvidos que não deram ao ilustre deputado.

  10. Paranaense
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 23:09 hs

    Vá se ferrar puxa saco do Bentinho! O cara quebra o Estado por falta de competência, boa s mão na grana dos paranaenses e você defende , acusando o Pt? Se aqui tivesse mais dinheiro já teria sumido! Você deve estar ganhando muito neste Governo! Vá se ferrar falso paranaense !!

  11. luis p. grein
    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 – 23:19 hs

    Agora,a confirmação para os incrédulos eleitores de B. Richa;todos vamos pagar a conta de um governador inepto para este e outros cargos.O injusto é que os que não elegeram tal criatura,por conhecer seu modo de gestão na falida prefeitura,também terão que ser impingidos pelas medidas escroques do estado.

  12. ZÉ BUSCAPÉ
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 10:18 hs

    Vai quebrar não, já está quebrado, só você que não sabe, vc. e outros tantos que elegeram nosso querido gov. “pacotão”. Espero que estejam satisfeitos com a m…. que fizeram com o paraná. Obs. é com p minúsculo mesmo diante da situação que se encontra. Será que os santos da Bahia irão ajudar??? Acho que não…

  13. VLemainski - Cascavel
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 10:20 hs

    Ajuste financeiro pode ser feito de duas maneiras: Aumento de impostos ou corte de gastos… Não vi nada de cortes e tem muita gordura a ser queimada…Secretaria cheias de inutilidades… O processo administrativo estadual é um dinossauro, grande e pesado… E os dinossauros foram extintos pelos animais menores e mais ágeis… Pensem nisso.

  14. Freddy Kruger
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 11:21 hs

    Os dois senadores eleitos pelos Paranaenses, Roberto Requião e Gleisi Hoffmann, são dois zeros à esquerda a serviço do PT. Não devemos jamais voltar a votar nestas duas criaturas. Acordem Paranaenses.

  15. mario
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 11:50 hs

    caro mauro ricardo, como explicar a noticia veiculada na midia onde cita o Parana dentro dos estados que estouram o limite prudencial junto com outros tantos outros estados da Federação, e outra para que isso aumento de icms em cima de alimentos ?
    o que esse governo pensa, por que faze isso??

    ta ai a noticia

    http://www.jornalportaldoparana.com.br/imprimir2.php?nt=18740

  16. Freddy Kruger
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 12:18 hs

    Em tempo: O Governo Federal aumentou em 46% o preço da energia gerada por Itaipu. Estranho. Não vi ninguém protestando. O pior é que a metade deste valor vai para Los Hermanos Paraguaios. O aumento da energia elétrica afeta todos os setores da economia. É preciso também verificar as contas da Itaipu Binacional, aí tem coelho escondido dentro da cartola !!!

  17. Magaiver
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 13:03 hs

    O governo tapa os furos dele e Quem vai sair perdendo é o povo trabalhador !!

  18. andre albara
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 17:27 hs

    Falido apenas para os trabalhadores no PR, já para as bilionárias (BRFOOS) sempre há “incentivos”. será que esses incentivos sao para compensar as doações para a campanha do betinho vagal?
    além disso, se o pr aumentou a arrecadação, para onde foi o $? na verdade é tudo culpa do PT, afinal, entregou o governo do pr ao vagal do PSDB, ficamos sem governador.

  19. jk
    quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 – 21:29 hs

    O povo otário votou, e agora tem o governo que merece.

  20. chernobil
    sexta-feira, 12 de dezembro de 2014 – 15:13 hs

    Ahhh governador deve estar muito preocupado com as contas do Paraná,,, porque então autorizou uma festança da Sanepar em Foz do Iguaçu, capitaneada pelo Guinhone e seus asseclas Hallage, Martinho com licitação duvidosa, pois o dono do hotel é amigo intimo dessa trupe, onde foram gastos mais de R$ 150.000,00, com diarias altissimas, passagem de aviões, jantares, visita na argentina todas paga com dinheiro Publico.

    E as dezenas de camionetes Hilux, locadas a preço altissimo e entregues aos gerentes da Sanepar das regiões metropolitanas e diretores, veiculos esses descaracterizados, pra moçada ir onde quizer com combustivel pago pela Sanepar, Vale a pena investigar de quem é essa locadora, porque aí tem. Ministerio Publico cade voce?

  21. Oswaldo
    sexta-feira, 15 de maio de 2015 – 11:21 hs

    Por onde o Mauro Ricardo passou só restou terra morta, quase nada sobrou ! Os corajosos e valentes Funcionários Público do Esrado do Paraná resistem bravamente. Lutem e botem para correr este senhor privatização…Fora Mauro Ricardo !

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*