Curitiba refém do ICI | Fábio Campana

Curitiba refém do ICI

Do Celso Nascimento, na Gazeta do Povo

Seu nome está na lista da “dívida ativa” da prefeitura de Curitiba e, dada à fortuna em que se transformou o débito, sobre o qual recaíram juros, correção, multas e honorários, não tem como pagar. De repente, a prefeitura, interessada em arrecadar caraminguás perdidos para pagar seus credores, lança o Refic– que cancela alguns dos encargos e ainda permite ao contribuinte parcelar o que deve em 12 ou 24 vezes.

Ótimo: como fez dia desses o leitor C.B.Q., você corre ao guichê disposto a aderir ao Refic para limpar seu nome em suaves prestações. Surpreendentemente, porém, o servidor municipal que o atende diz: “Meu senhor, não é possível fazer o seu Refic”. A explicação vem do próprio funcionário: a prefeitura está devendo para o Instituto Curitiba de Informática, o famigerado ICI, que, em represália, decidiu “travar” o sistema que daria acesso à formalização do acordo de parcelamento!


4 comentários

  1. antonio
    sábado, 13 de dezembro de 2014 – 17:50 hs

    Eh de se lamentar esse fato. Quem foi o desnaturado Prefeito que terceirizou os servicos de informatica da Prefeitura? Um dia acabaria nisso. Eh uma tristeza realmente a Prefeitura nao poder dispor dos seus proprios registros. Isso eh crime minha gente.

  2. Gilberto Campos
    domingo, 14 de dezembro de 2014 – 13:47 hs

    Caro Fábio,

    Sua coluna de 13/12 reproduz texto do Celso do dia 11/12. Mas não cita nota de esclarecimento do ICI enviada a editor@fabiocampana.com.br naquele mesmo dia.

    Abraços,

    Gilberto Campos
    imprensa – ICI

    Segue a nota:

    NOTA DE ESCLARECIMENTO

    Em resposta à coluna de Celso Nascimento do Jornal Gazeta do Povo,
    datada de 11/12/2014, o Instituto Curitiba de Informática esclarece
    que as informações citadas pelo colunista não correspondem à realidade
    dos fatos, visto que o desenvolvimento e a implantação do sistema
    REFIC 2014 é um item novo e não está no rol dos serviços contratados
    pela Prefeitura Municipal de Curitiba, portanto, inexiste
    responsabilidade do ICI sobre a impossibilidade de formalização de
    acordo de parcelamento de dívidas pelos contribuintes de Curitiba.

    Tal responsabilidade pela inexistência deste sistema recai sobre os
    gestores públicos municipais responsáveis pelo lançamento do programa
    de parcelamento da dívida sem disponibilizar tal sistema preparado
    para acesso ao público em geral.

    Como já noticiado anteriormente por essa mesma coluna, é sabido que a
    Prefeitura Municipal de Curitiba tem acumulado dívidas com seus
    fornecedores e prestadores de serviços há vários meses. A dívida
    acumulada junto ao ICI entre os anos de 2011 a 2014 ultrapassa R$ 70
    milhões de reais e o ICI tem feito todos os esforços técnicos e
    financeiros para manter a integralidade dos serviços contratados, não
    obstante a inadimplência da Prefeitura Municipal de Curitiba.

    Mesmo assim, o ICI tem mantido todos os sistemas contratados e
    promovido vários avanços nas áreas de Tecnologia da Informação e
    Comunicação, a citar a expansão da rede wifi gratuita em vários pontos
    da cidade, como parques, praças e escolas públicas municipais e
    comunidade residente em torno das escolas e o projeto Justiça No
    Bairro.

    O ICI também tem avançado na certificação da qualidade de gestão e de
    prestação de serviços, o que vem sendo reconhecido constante e
    frequentemente pela imprensa e portais especializados.

    Sobre a composição do Conselho de Administração do ICI, esclarecemos
    que a Prefeitura Municipal de Curitiba ocupa quatro vagas e não duas
    como citado pelo colunista, sendo quatro o número máximo permitido na
    legislação federal e municipal, para uma parte interessada em uma
    Organização Social (OS). Caso houvesse um maior número de conselheiros
    por parte da Prefeitura de Curitiba, tal situação descaracterizaria
    uma OS e seria equiparada a uma empresa pública.

  3. CORRIJA O CELSO NASCIMENTO
    segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 – 8:38 hs

    O REFIC da prefeitura de Curitiba mão cancela nenhum encargo, absolutamente nenhum.
    As custas processuais dos processos em dívida ativa devem ser pagos e os honorários advocatícios dos advogados da prefeitura que já recebem salário da prefeitura para trabalhar mas não vão precisar mover uma palha para fazer o REFIC, poderá ser parcelado. Por exemplo: se você deve R$ 10.000,00 pra prefeitura, voce vai pagar mais R$ 1.000,00 de honorários de honorários de advogados mesmo que estes funcionários que já recebem todos os meses para justamente isso, não fazerem nada e isso não vai para a prefeitura, vai para a conta deles. ISSO PODE ARNALDO? Além do mais, NÃO EXISTE nenhum incentivo para o contribuinte pagar seus débitos a vista, nenhum desconto, nenhuma redução de encargos. OUTRA COISA: ninguem trabalha de graça. PRECISA PAGAR O ICI PRIMEIRO NÃO É MESMO?

  4. Marissol
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2015 – 15:46 hs

    O ICI não pagou os salários e benefícios de seus colaboradores e a situação está ficando complicada. Na segunda feira todos os funcionários do ICI vão entrar em greve. Sem salário de dezembro e benefícios vamos parar. A Prefeitura também será atingida pela paralisação.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*