André Vargas recorre ao STF contra cassação | Fábio Campana

André Vargas recorre ao STF contra cassação

vargas - _

O deputado André Vargas (ex-PT, sem partido-PR) impetrou no STF um pedido de mandato de segurança contra decisão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara que rejeitou o recurso, no qual o deputado pedia a anulação do parecer do Conselho de Ética da Casa, que recomendou à cassação do seu mandato. O pedido, encaminhado nessa terça-feira (2), está nas mãos do ministro Luís Roberto Barroso.

No último dia 11, após sucessivos adiamentos, a CCJ decidiu rejeitar em votação simbólica o pedido do deputado. Vargas argumentou que as provas utilizadas como base para a recomendação de sua cassação foram ilícitas. O deputado é investigado por manter relações com o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal.

No recurso apresentado ao STF, a defesa de Vargas argumenta que o processo por quebra de decoro resultou do vazamento ilícito dos primeiros dados da Operação Lava Jato, relacionando o deputado com o doleiro Youssef na mediação de contratos da empresa Labogen e do laboratório EMS com o Ministério da Saúde.

O parecer do Conselho de Ética da Câmara pode ser colocado em votação até o final deste ano. A iminência da votação teria motivado Vargas a entrar com o recurso junto ao Supremo. Caso o STF aceite o pedido do deputado, a tramitação do procedimento administrativo será suspensa, acarretando o retorno do processo ao Conselho de Ética.


10 comentários

  1. Johan
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 12:45 hs

    Caro FÁBIO, como dizia o ditado, ” eu já sabia”, mais uma decisão a favor dos quadrilheiros. Os políticos estão forçando a barra em cima dos eleitores. Atenciosamente

  2. abilio ribeiro
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 13:07 hs

    é porisso que a ‘chapa’ dos políticos está esquentando……

  3. Saul
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 13:25 hs

    O André Vargas está submetendo a justiça do Brasil ao maior vexame já visto. Tudo bem que se defender é um direito do malfeitor. Agora, o número de recursos apresentado pela sua defesa é protelatório e deve encerrar seu mandato sem que seja ao menos cassado. Uma vergonha. Todo trabalho feito pela Comissão de Ética da Câmara foi só desperdício. Estão com medo do que para condenar o safado?

  4. PT
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 13:53 hs

    B O C A R R A !

  5. PT
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 14:07 hs

    SEGUNDO O JORNAL GAZETA DO POVO DE HOJE, NA COLUNA VIDA PÚBLICA, SOBRE O NOVO SECRETÁRIO DA FAZENDA DO PARANÁ DESSE GOVERNO QUE AÍ ESTÁ, O BOCÃO É UM VERDADEIRO “SANTO DO PAU ÕCO”!

  6. Juca
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 14:46 hs

    O Barroso tem que indeferir a liminar e deixar que cassem o mandato do marginal.

  7. Clodoaldo
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 15:16 hs

    Gazeta do Povo ?grande jornal, grande referência jornalística ! Alguém ainda lê “isto” que fez campanha aberta para a Barbie ao governo ?
    Alguém lembra ano passado ela em Paris “se preparando” para a árdua campanha de 2014 com destino ao kkkk Palácio kkkk Iguaçu kkkkkkkkkkkk, na coluna social do “grande” matutino ?

  8. MENSALEIRO JÚNIOR.
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 – 16:41 hs

    NÃO SEI NÃO, SE ELE ARGUMENTAR DIREITINHO É CAPAZ DE CONSEGUIR REVERTER ESSE PROCESSO, É SÓ ELE USAR O ARGUMENTO CERTO,TIPO,SE NÃO CONSEGUIR VOU ABRIR O BICO E CABEÇAS VÃO ROLAR,ALGUÉM DUVIDA QUE ELE CONSIGA ?

  9. FUI !!!
    sexta-feira, 5 de dezembro de 2014 – 6:39 hs

    Dizem que o Brasil tem leis suficientes para combater a corrupção, porem
    o que me deixa indignado é exatamente o oposto que vemos diariamente.
    O cumprimento das leis é uma panaceia de recursos e atalhos que a cer-
    teza que tenho é exatamente o oposto:- as leis não são cumpridas e quem
    ganha com isto são só os malandros profissionais…

  10. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 5 de dezembro de 2014 – 9:21 hs

    Não vai ser cassado.

    A ideia, desde o começo, era essa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*