Guerra intestina no PT atinge Fundação Cultural | Fábio Campana

Guerra intestina no PT atinge Fundação Cultural

marcos-cordiolli-jornal-metro

O PT, derrotado nas eleições, tratado como intruso na administração municipal de Gustavo Fruet, com a bancada estadual reduzida a três gatos pingados, com uma tropa a reivindicar sinecuras, prebendas, um capilé, o PT de Curitiba entra em guerra intestina de grupos que lutam por espaços de sobrevivência. Um dos alvos da rapaziada carente de verbas para tocar a vida é a Fundação Cultural de Curitiba, que não tem caixa para essa fome de anteontem. Mas a moçada não tem pejo.

A mesma turma que faz reverências e bajula o secretário estadual de Cultura, Paulino Vaiapiana, tucano de baixa extração, desce o porrete em Marcos Cordiolli (foto), um quadro respeitável do partido. Que argumentos heterodoxos tem Viapiana que faltam a Cordioli por conta do aperto de caixa da Prefeitura? Eis um mistério que só a própria esquerda, um dia revolucionária, hoje apenas funcionária, pode revelar em detalhes e em números.

Diante da crise instalada, a direção do PT resolveu entrar em cena e jogar água fria na fervura. O documento partidário sobre o imbróglio está no Leia Mais.

Fucucu-2-580x853


11 comentários

  1. sábado, 22 de novembro de 2014 – 16:26 hs

    Caro Fábio Campana,
    Não há bajulação alguma à SEEC ou ao Viapiana. No mais breve oportuno momento a Frente demonstrará a inaptidão deste gestor e seu catastrófico desempenho frente a pasta.
    Basta aguardar.
    Não justifica nivelar o posicionamento de quase dois mil artistas, signatários do manifesto contra a FCC, como manobra política. Não é e não poderá ser. A arte está acima do partidarismo.

  2. Luiz Nobre
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 17:37 hs

    Precisa ficar claro que este ” documento” não representa a direção do partido, e que é um documento apresentado por quem apoia o Sr Marcos Cordiolli, que não é unanimidade dentro do próprio PT. Portanto não é um documento da direção do partido.
    Outra questão tratava-se de um movimento FRENTE ACORDA CULTURA CURITIBA que conta com mais de 2000 assinaturas de artistas da cidade que não cincordam com a gestão do Sr Marcod Cordiolli. Ninguém que boquinha alguma, como ironicamente afirma o texto acima.
    Quanto a SEEC e seu Secretário, este também será questionado com a mesma forma que o presidente da FCC; mas como envolve todo Estado, a articulação começa a ser feita.

  3. Johan
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 19:13 hs

    Caro FÁBIO, é lamentável ler um manifesto com essa qualidade de informação. Isso é petismo, escrito por petistas. Todos os gestores anteriores são culpados e praticantes de MALFEITOS, e o mesmo cabe ao período dos indígenas que moravam no BRASIL no início do descobrimento. É o fim da picada, estão buscando pelo em cobra. O que será dito na prefeitura pelo próximo governo, a partir de 2.016. Atenciosamente.

  4. sebastian
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 21:08 hs

    Que Pena

  5. Vigilante do Portão
    domingo, 23 de novembro de 2014 – 9:12 hs

    Será que o PT vai desembarcar da candidatura do Fruet?

    É só sair uma pesquisa, dando conta da (IM)popularidade do Prefeito, hummm, vai ser uma debandada geral

    Enquanto isso, a RPC, entrevistou o Prefeito e a Gazeta deu espaço para a Eleonora Fruet, Secretária da Fazenda.

    Um festival de perguntas combinadas.

    É assim:

    Quando o ESTADO passa por dificuldades financeiras,
    BETO é um péssimo administrador.

    A Prefeitura está com um rombo de R$200 Milhões, devendo para Hospitais, empresas do TC, fornecedores e até para o pessoal do corte de árvores.

    É só um problema de redução na arrecadação, decorrente da crise…

  6. Julia Santos
    domingo, 23 de novembro de 2014 – 11:04 hs

    O senhor está louco? Este manifesto foi feito pelos artistas que se reuniram por causa da ameaça de fechamentos das casas de leitura. O Mnaifesto tem quSE 2 MIL ASSINATURAS E O SENHOR REDUZ ISSO A BRIGUINHA DO PT? Manifesto de mais de 1500 assinaturas é briga do PT? Tem assinaturas da maioria dos artistas de Curitiba lá! E o senhor reduz a briguinha do PT!? Ninguem quer mais o Sr Cordiolli a frente da Fundação porque ele se mostrou incompetente. Por que o senhor nao procurar saber com artistas hein?

  7. domingo, 23 de novembro de 2014 – 16:06 hs

    é de fato importante retificar o erro de informação instante no artigo. A tal “turma” referida não está nem do lado da SEEC (PSDB) nem ao lado da FCC (PT). Está turma está em prol de um mínimo de dignidade na administração da cultura em Curitiba e no Paraná. Como em outras áreas, gestões de partidos diversos vêm minando a área de Cultura sistematicamente.
    “Cultura não dá voto”, eles pensam (quando pensam). Assim estamos tendo que encarar o declínio de instituições que outrora eram respeitadas e produtivas.
    Além de “não dar voto”, a cultura é perigosa para os políticos, pois ela gera reflexão. E isso não é bem vindo para que eles possam gerenciar a população como carneirinhos ignorantes.
    Por isso, a Cultura está morrendo. Temos uma classe política majoritariamente aculturada, desinteressada e ciente que ela pode ser maléfica para os interesses “do partido”.
    Não deve ser difícil entender que uma manifestação venha em prol de um ideal desprovido de sigla partidária. Este tipo de pensamento deveria ser justamente o que forma partidos. Infelizmente, como esse documento mostra, partidos estão aí hoje para gerenciar interesses de grupos e não defender ideologias políticas.
    E não se enganem que esse tipo de prática esteja restrita a membros do PT. Esta promiscuidade nefasta onde o carreirismo está acima de tudo é o que os detratores tanto reprovam. INDEPENDENTE DE SUA ORIGEM PARTIDÁRIA.
    Por fim: ainda que não seja novidade para ninguém, é sempre chocante ver um documento como esse que diz coisas do tipo “somos um partido democrático, mas…” ; “fazendo críticas à FCC sem base em resoluções partidárias” , entre outros despautérios.
    Esta crise, que está apenas no começo, mostra que a Cultura, pode não ser importante na cabeça desses dementes, mas é capaz de gerar terremotos devastadores.
    Mais uma vez não se engane. O movimento está aí para resolver as questões da cultura no município. A SEEC e o senhor governador que se cocem pois são os próximos da lista.

  8. Paulo Biscaia Filho
    domingo, 23 de novembro de 2014 – 16:42 hs

    Em tempo: É necessário comentar a frase um tanto grosseira “rapaziada carente de verbas para tocar a vida”. Pois bem, vamos encontra uma solução. A tal “rapaziada” pode parar de fazer o que faz e encontrar outras coisas para fazer. Combinado? Vamos ver como ficará a cara de nosso povo se todos os artistas paranaenses desistirem de seus ofícios, que vem cheios de suor, eu asseguro.
    O que é mais digno? Direcionar verbas minimamente maiores para a tal “rapaziada” (que estuda a fundo e batalha pelo que faz) construir a identidade de um povo, ou continuar aumentando as verbas nababescas de uma outra rapaziada que vive de cargos no executivo e legislativo (que em muitos casos virou uma capitania hereditária de beócios) e estão pra lá queimados na praça com toda a população?
    Enquanto não tivermos um ecossistema que possibilite a existência de arte e cultura independente de governo, é necessário pensar em políticas que subsidiem e apontem caminhos para a autonomia. E ainda assim, essa independência jamais será (nem deve) ser totalmente conquistada. Basta observar como é gerenciada a cultura em países da Europa que possuem séculos de experiência e ainda assim subsidiam artistas, pois sabem o quanto é importante para a própria economia.
    Repito: não se trata de pão e circo, mas de IDENTIDADE CULTURAL DE UM POVO. A matéria prima de reflexão e criação para as bases de quem nós somos.
    Se essa dita “rapaziada” não fizer isso, ficará então a cargo de quem?
    Ou será que é melhor mandar a rapaziada desistir e virar um garçom de assembleia (que ganha mais que qualquer um desses ‘bobinhos da rapaziada’)? Que tal?
    Não, eu não estou ofendido com a grosseria da frase. Apenas preocupado em aprofundas as reais questões do post no blog. Obrigado. Abraços.

  9. Enéas Lour
    segunda-feira, 24 de novembro de 2014 – 9:51 hs

    Muito bem Paulo Biscaia Filho! É lamentável que o Sr. Fábio Campana se refira aos artistas curitibanos signatários do manifesto como “uma turma que faz reverências e bajula o secretário estadual de Cultura”. Realmente lamentável.

  10. Roberto
    segunda-feira, 24 de novembro de 2014 – 13:22 hs

    Excelente artigo Fabio. Agora que o Vanhoni não se reelegeu, precisa de um emprego em Curitiba…

    Quanto aos “artistas”, e seus manifestos, todos bois de piranha…

  11. Sergio Moura
    quarta-feira, 26 de novembro de 2014 – 14:56 hs

    Incrível a quantidade e o teor de equívocos publicados pelo blogueiro aliás, conhecido e muito, de todos nós. “esquerda funcionaria”, é de uma infelicidade, e por isso deve ter saído do enorme saco de maldade, só pode. E lembrem-se meus caros> FAZER ARTE PRODUZIR CULTURA NO SENTIDO MAIS GENUÍNO E PORTANTO SEMPRE INSERIDO NESSA LEGITIMIDADE, É SOBRETUDO ATO E GESTO DE RESISTÊNCIA, porque toda vez que afirmamos um pensamento estético, filosófico e por conseguinte cultural, estamos fazendo Política. No final dos comentários, uma grosseria enorme de alguém que escreve que os artistas são “boi de piranha”!!! Arte é melhor.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*