Prefeitura de Curitiba propõe reajuste de 5% mais inflação para IPTU | Fábio Campana

Prefeitura de Curitiba propõe reajuste de 5% mais inflação para IPTU

Da Gazeta do Povo:

A prefeitura de Curitiba propôs à Câmara Municipal um projeto para fazer a primeira correção real no valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) desde 2003. Caso o projeto seja aprovado, o imposto de imóveis edificados em 2015 terá um reajuste de 5%, mais o IPCA acumulado em 2014. Imóveis não edificados teriam correção de 8%, mais IPCA.

O ajuste proposto pela prefeitura vai além do IPTU de 2015. A ideia é que sejam feitos outros dois reajustes reais, em 2016 e 2017 – de 4%, mais inflação, para imóveis edificados, e de 7% mais inflação para os não edificados.

O projeto da prefeitura prevê a atualização da planta genérica do município, o documento a partir do qual é calculado o imposto pago pelos moradores. A planta estabelece os valores dos imóveis em cada região da cidade, sobre os quais incidem as alíquotas de IPTU.

Nos últimos anos, o boom imobiliário na cidade fez com que o preço dos imóveis subisse mais do que a inflação, deixando a planta genérica defasada. Para a prefeitura, essa defasagem cria uma perda no potencial de arrecadação.

Segundo dados do município, a falta de atualização da planta genérica fez com que R$2 bilhões deixassem de ser arrecadados nos últimos 11 anos. Com a proposta de aumento, a arrecadação do imposto em 2015 deve ser de R$ 523 milhões, contra R$ 383 milhões em 2013. A arrecadação de 2014 ainda não foi fechada.

Apesar de pedir a atualização da planta, a prefeitura garante que não passará a cobrar o IPTU imediatamente com base nos novos dados. Isso porque há casos em que a correção do valor do imóvel passaria de 300%. “Esse valor não seria condizente com a nossa economia hoje”, relatou a secretária da Fazenda de Curitiba, Eleonora Fruet. Por isso o projeto estabelece os porcentuais para os próximos três anos.

A justificativa do aumento é a necessidade de mais verba para a manutenção da cidade. “Nós tivemos um aumento significativo do número de equipamentos urbanos e de servidores na cidade. Precisamos desse valor para cobrir esses gastos”, explica Eleonora.

O projeto de lei será apresentado nesta segunda-feira (17) e será votado pela Câmara Municipal de Curitiba.


8 comentários

  1. Anderson
    segunda-feira, 17 de novembro de 2014 – 19:50 hs

    Eita falta de novas idéias para a gestão. Aumentar imposto é um tremendo atestado de incompetência. Lamentável senhor prefeito

  2. CORINGA
    segunda-feira, 17 de novembro de 2014 – 19:59 hs

    UÉ NÃO ERA APENAS CORREÇÃO DOS VALORES IMOBILIARIOS

  3. Paolo
    segunda-feira, 17 de novembro de 2014 – 21:52 hs

    Fruet se juntou com o PT/3%: jamais terá outra vez meu voto!!!!

  4. FERNANDO
    terça-feira, 18 de novembro de 2014 – 8:12 hs

    O atual Prefeito, foi a maior decepção da história de Curitiba, pois dizem nos corredores da Prefeitura, que na aparece para trabalhar, dorme todos os dias até as 11:00. Senhor Prefeito, a solução não é aumentar o IPTU, o que vece deve fazer é o seguinte; 1)- Diminuír o número de Secretária. 2) – Diminuír o número de carros que circula em Curitiba, com a placa a serviço da Prefeitura. 3) – Cobrar o valor real no ITBI, pois hoje se um cidadão compra um imóvel por 1.000.000,00, no momento da avaliação pela Prefeitura da cobrança é de 2.500.000,00, com isso a Prefeitura travou o mercado imobiliario da cidade. 4) Extringuir a Guarda Municipal, pois a tarefa pode e deve ser feita pela Policía Militar ou Policia Civil. 5), Diminuír o Salario do Prefeito ( esse bicho preguiça), Secretários, Funcionários Público e Vereadores. 6) – Imediatamente não fazer mais nenhum concurso público.
    7) – O serviço de limpeza dos ruas e jardins, deverá ser feito pelos atuais funcionários e não de empresa tercerizadas. 8) Acabar e demitir todos os funcionários da Secretária da Vigilância Sanitária e do Meio Ambiente, pois esses funcionários não deixam os empresários trabalhar e criarem empregos e além do mais são arrogante e prepotentes.

  5. Aguirre
    terça-feira, 18 de novembro de 2014 – 10:24 hs

    Por maior que seja a arrecadação, sempre surge a necessidade premente de consumi-la e ultrapassá-la.
    Provavelmente a partir do pedido do prefeito, veremos uma simbiose perfeita entre a Prefeitura e a aprovação na Câmara Municipal (que não representa os interesses do cidadão) , pois o orçamento desta última é proporcional à arrecadação municipal.
    Mas, como compensação aos recursos retirados do cidadão, há a esperança de, no próximo ano, não nos envergonharmos mais com a atitude abjeta do Sr. Salamuni na televisão pedindo o pagamento do décimo terceiro salário aos seus comandados.
    Fruet nunca mais!

  6. Observador Atento
    terça-feira, 18 de novembro de 2014 – 10:55 hs

    Gustavo, acabe com os cargos de comissão daqueles que não trabalham (a maioria) e não precisará aumentar o IPTU além da inflação. O corte dos comissionados será aprovado por toda a população, o aumento do IPTU além da inflação, que já está alta, o levará ao maior revés eleitoral na próxima eleição.

  7. Roberto
    terça-feira, 18 de novembro de 2014 – 13:27 hs

    Acabe com as isenções de IPTU (daqueles terrenos do Lerner) e verá que alívia o cofre…

    Diminua os gastos de publicidade de 150.000.000,00 e verás sobrar dinheiro.

    Comissionados e outros salários já elencados…

    E por aí vai…

  8. Servidor Municipal
    terça-feira, 18 de novembro de 2014 – 14:31 hs

    A hora do fim dessa administração pífia está chegando….Fruet, teus dias estão contados e a tua batata tá assando….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*